Curiosidades

Café mais caro do mundo é produzido com fezes de um mamífero

O café mais caro do mundo chama-se Kopi Luwak, sendo originado da fermentação no sistema digestivo do mamífero civeta, original da Indonésia.

O café mais caro do mundo é o o Kopi Luwak, escolhido pelo método de produção, raridade ou tiragem e qualidade do grão. Trata-se de um produto produzido na Indonésia, com um método curioso.

Isso porque os grãos do café são ingeridos pelas Civetas, mamíferos típicos da região. Logo em seguida, há o processo digestivo onde o animal libera enzimas e ácidos sobre o grão, de modo que haja uma fermentação natural. Por fim, há eliminação nas fezes, de onde colhe-se os grãos para processamento.

Sendo assim, o café mais caro do mundo tem origem das fezes desse mamífero, e posteriormente acontece o tratamento da marca. Curiosamente, consumidores relatam que o Kopi Luwak possui um sabor leve de frutas vermelhas, sem índice de acidez e com um gosto amargo suave. Além disso, vende-se cada quilo por três mil dólares, tornando-o vencedor na competição.

Café mais caro do mundo de origem brasileira

Em contrapartida, estima-se que o Jacu Coffee seja o primo brasileiro do Kopi Luwak. Mais ainda, a alternativa nacional também tem um processo de fabricação semelhante. Porém, o animal que executa a fermentação são os jacus, encontrados unicamente na América do Sul.

Desse modo, o Jacu Coffee tem fabricação desde 2006 em uma fazenda do estado do Espírito Santo. Ademais, o surgimento se deu por conta de um problema com as safras de café, devoradas por bandos de jacus. Entretanto, ao invés de esperar a burocracia e o aconselhamento de órgãos ambientais, o fazendeiro Henrique Sloper inspirou-se no processo do Kopi Luwak e iniciou o Jacu Coffee.

Portanto, tornou-se um dos cafés mais conhecidos e conceituados no Brasil, assim como no mundo. Apesar disso, estima-se que o quilo custe cerca de trezentos reais, enquanto a xícara em casas especializadas varie entre dez e quinze reais.

Continua após a publicidade

Outros cafés mais caros do mundo

1) Café Marfim NegroF

A princípio, esse também pode ser considerado o café mais caro do mundo, porém sua comercialização ainda é restrita. Apesar disso, com origem no norte da Tailândia, esse competidor busca desbancar o Kopi Luwak custando mais de mil dólares o quilo. Ademais, ainda é produzido por meio da fermentação no sistema digestivo dos elefantes.

Nesse sentido, os grãos ganham odores e sabores peculiares porque fazem parte da dieta do animal, com base em cana-de-açúcar e bananas. Portanto, o café fermentado com as proteínas responsáveis pelo amargor quebradas. Como consequência, há uma suavidade e doçura natural à bebida.

2) Hacienda La Esmeralda, um dos cafés mais caros do mundo e mais raros também

Primeiramente, esse café é original das terras altas do Panamá. Nesse sentido, as lavouras tem altitudes que ultrapassam os 1700 metros, fundamental para o processo de fermentação. Sendo assim, também faz parte da lista porque cada quinhentas gramas custa mais de seiscentos dólares.

Por outro lado, o Hacienda La Esmeralda vai além de um dos cafés mais caros do mundo, porque é igualmente raro. Sobretudo, cada safra produz poucos grãos, tornando-o especial.

3) Monkey Coffee

Também produzido por meio da fermentação no sistema digestivo do macaco Rhesus, esse café é cultivado na Índia. Porém, o animal responsável pela fabricação apenas aproveita a casca e o sumo, cuspindo o grão. Portanto, a digestão que começa na boca dão ao café características únicas.

Sobretudo, as enzimas dos grãos não se partem no processo, mas há alteração do perfil geral no sabor do café. Ademais, cada quilo chega a custar 700 dólares no mercado internacional. Por fim, estima-se que o mamífero escolha somente as sementes maduras e doces, facilitando parte da produção.

Continua após a publicidade

4) Café Santa Helena também é um dos cafés mais caros do mundo

Em primeiro lugar, o Café Santa Helena leva o nome da ilha em que é produzido, localizada a 1.200km da costa da África. Desse modo, cada quilograma chega a custar 160 dólares, porque o afastamento do continente produz grãos de primeira qualidade. Portanto, fatores como o regime de chuvas, ventos e a salinização das águas criam esse exemplar único.

5) El Injerto

A princípio, o café El Injerto tem origem em Guatemalteca, com produzido desde 1900. Curiosamente, conquistou nove vezes o prêmio de excelência de café reconhecido mundialmente. Além disso, cada quilo chega a custar 422 dólares, em especial pelas notas florais, sabor marcante de frutas cítricas e textura de vinho de seu produto final.

6) Fazenda Santa Inês

Por fim, o Fazenda Santa Inês é o segundo representante brasileiro na competição pelo título de café mais caro do mundo. Nesse sentido, produz-se esse exemplar em Carmo de Minas, Minas Gerais. Mais especificamente, é original da região da Serra da Mantiqueira.

Ainda que cada quilo custe somente cinquenta dólares em relação aos outros, o grão alcançou 95,85 de 100 pontos na escala da premiação do café especial. Ademais, configura-se famoso pelo aroma de notas florais cítricas adociadas e o sabor que mescla notas frutadas com fundo de caramelo.

E aí, aprendeu sobre o café mais caro do mundo? Então leia sobre O que é flopar? Esta e outras gírias comuns na internet.

Fontes: Blog Tudo Gostoso | TecMundo | Blog uCoffee | Grão Gourmet 

Continua após a publicidade
Próxima página »

Escolhidas para você