História

Coliseu de Roma: história e curiosidades sobre o monumento

O Coliseu de Roma é talvez a construção mais emblemática de Roma; um edifício imponente cheio de história que impressiona só de olhar.

Existem lugares que você precisa conhecer pelo menos uma vez na vida, e o Coliseu de Roma é um deles. Uma obra arquitetônica que se mantém há 2.000 anos e que abriga uma história muito extensa e interessante. No entanto, certamente há muitas coisas que você não sabia sobre este monumento italiano. Vamos conferir abaixo!

5 curiosidades sobre o Coliseu de Roma

1. Os assentos refletiam o status social

Os assentos do coliseu romano refletiam a hierarquia da sociedade romana. Quanto mais poder se tinha, mais baixo se sentava. Assim, os senadores sentavam-se no nível inferior, mais próximo de toda a ação, enquanto mulheres, homens e escravos mais pobres só podiam sentar-se no nível superior.

Além disso, nem todos eram bem-vindos ao Coliseu. Atores, coveiros e ex-gladiadores não podiam a assistir a nenhuma apresentação.

2. Diversão sangrenta

O Coliseu Romano é mais famoso por suas lutas de gladiadores. Uma das curiosidades mais tristes e sangrentas é que cerca de 400 mil pessoas e mais de 1 milhão de animais morreram por fazer esse tipo de “entretenimento” na época.

Continua após a publicidade

3. Seu nome original era Anfiteatro Flaviano

O imperador Vespasiano começou sua construção por volta de 70 d.C. Seu filho, Tito abriu em 80 d.C. Vespasiano, Tito e Domiciano (governante de 81 a 96 d.C.), ou seja, os famosos imperadores Flavianos. É por isso que o Coliseu foi chamado Amphitheatrum Flavium, o Anfiteatro Flaviano.

Mais tarde, adotou o nome de Coliseu até os dias de hoje. Este nome é devido a uma grande estátua que ficava nas proximidades, chamada O Colosso de Nero. Atualmente esta estátua não existe pois séculos mais tarde serviu de material de construção para outras obras arqueológicas.

4. Contra a pena de morte

A pena de morte foi abolida na Itália em 1948. Desde 2000, as autoridades romanas mantêm o prédio iluminado por 48 horas cada vez que uma sentença de morte é comutada ou adiada em algum lugar do mundo.

O anfiteatro tornou-se um símbolo contra a pena capital. Sem dúvida, é uma das curiosidades mais interessantes.

Continua após a publicidade

5. É o maior anfiteatro do mundo

Embora tenha levado apenas dez anos para ser construído, o Coliseu era, e ainda é, o maior anfiteatro do mundo. Abrange uma área de 2 hectarescom um comprimento máximo de 187 metros e uma largura máxima de 157 metros. Assim, estima-se que capacidade do Coliseu seja entre 50.000 e 87.000 espectadores.

História do Coliseu de Roma

Construção e inauguração

A construção do Coliseu Romano começou no ano 70 d.C e terminou no ano 80 d.C. Sua inauguração culminou numa grande festa que durou 100 dias. Na época, o povo romano recebeu acesso gratuito para ver os espetáculos na arena.

Além disso, o monumento foi construído com materiais de excelente qualidade, como blocos de travertino, madeira, tijolo, pedra, concreto, estuque e mármore. Tinha capacidade para mais de 50.000 espectadores que vinham ver as lutas de gladiadores e feras, além de outros espetáculos.

Os últimos jogos aconteceram no século VI, além da data em que se considera que o Império Romano terminou. Mais tarde, este edifício teve vários usos, pois foi refúgio, fábrica e pedreira.

Continua após a publicidade

Acabou sendo usado como santuário cristão, por isso conseguiu sobreviver até hoje, pois muitas de suas pedras estavam sendo usadas para construir novos edifícios na cidade.

Atualmente está restaurada em algumas partes e a cobertura de madeira que era a arena não está preservada, então a parte inferior pode ser vista, mas é uma das grandes obras desse império desaparecido.

Como o Coliseu de Roma era utilizado?

O Coliseu foi construído principalmente para sediar jogos de gladiadores, bem como vários outros eventos. Os jogos, também chamados de “munera”, costumavam ser organizados por indivíduos e não pelo Estado. Inicialmente, como cerimônias religiosas e depois como demonstração de prestígio e poder familiar.

Eles se tornaram muito populares por razões políticas.Os romanos da classe aristocrática organizavam jogos para os plebeus para ganhar seu favor (e votos). Além da “munera”, que representa uma batalha entre dois homens, as “venationes”, que colocavam homens contra animais, eram muito populares.

Continua após a publicidade

Para fazer isso, um grande número de animais vieram África e foram presos no subsolo do Coliseu. Gladiadores eram romanos livres, escravos, criminosos condenados ou prisioneiros de guerra.

Caso o gladiador vencesse vários combates, ele tinha o direito de pedir sua liberdade ao imperador. Como sinal do pedido aceito, o lutador recebeu uma espada de madeira, que representava sua liberdade e a promessa de que nunca mais teria que lutar.

Coliseu na atualidade

Por fim, shows no Coliseu ocorreram até o século 6 d.C, quando os custos se tornaram muito altos para justificar a despesa, e o interesse público mudou. Ao longo dos séculos, foi reutilizado para diversos fins. Hoje é o símbolo de Roma e um dos sítios arqueológicos mais visitados do mundo.

Atualmente esta atração é paga, e para poder vê-la é melhor estar lá logo pela manhã para poder comprar o ingresso o quanto antes. Abre todos os dias às 8h30 e os bilhetes para adultos custam 12 euros.

Continua após a publicidade

Aliás, outra forma de conseguir ingresso é usar o Roma Pass, um cartão para obter descontos em diferentes atrações e monumentos da cidade, evitando também filas.

Fontes: Toda Matéria, Tudo sobre Roma, Ideias na Mala, Viva Decora

Leia também:

História da Torre Eiffel: origem e curiosidades sobre o monumento

Continua após a publicidade

Pirâmide de Quéops, um dos maiores monumentos construído da história

Arco de Galério – História por trás do monumento da Grécia

Esfinge de Gizé – História do famoso monumento sem nariz

Torre de Pisa – Por que ela é torta? + 11 curiosidades sobre o monumento

Continua após a publicidade

Notre Dame depois do incêndio, veja como ficou o monumento

Castelo de Buda: história e como visitar o palácio de Budapeste

Próxima página »

Escolhidas para você