Comida japonesa engorda? O que dá para comer sem remorso no japa?

Quem vive de dieta sabe o quanto é difícil sair para comer. Normalmente as comidas preparadas fora de casa são carregadas em gordura, temperos que estimulam o inchaço e, claro, costumam ser um desfile sem fim de massas e outros pratos gordos para lá de convidativo.

É por isso que a comida japonesa costuma “salvar”. Mas, mesmo se tratando de uma das culinárias mais saudáveis do mundo, existem pratos e temperos que devem ser consumidos com moderação, já que podem sim fazer com que se ganhe alguns quilinhos (dependendo da quantidade e da frequência da ingestão).

Mas, como você vai ver, a existe uma série de iguarias nos restaurantes de comida japonesa que podem ser consumidas sem susto por quem quer comer algo gostoso sem quebrar a dieta. E, quem mostra isso é a musa fitness Mayra Cardi, em um vídeo em seu canal no Youtube.

Comida japonesa que engorda

Além das frituras, que todo mundo sabe que devem ser evitadas se a intenção é controlar o consumo calórico, algo que deve estar claro na cabeça de quem quer manter a dieta na hora da comida japonesa é evitar o carboidrato. Ou seja, é preciso vigiar os pratos a base de arroz, como sushis, gungans, temakis e assim por diante.

E o problema do arroz não é só o carboidrato. No preparo dos pratos japoneses, o arroz leva açúcar, o que pode potencializar ainda mais o ganho de peso se consumido diariamente ou sem moderação.

E não é só isso. O próprio molho de soja costuma ser um grande inimigo quando o assunto é comida japonesa. Mas, nesse caso, não é que ele engorde exatamente, mas ele causa muita retenção de líquido por causa do excesso de sódio e deixa qualquer um com aspecto inchado.

Nesse caso, o melhor a se fazer para minimizar os efeitos indesejados é diluir o shoyu no suco de limão. Dessa forma, você consegue temperar o sashimi sem exagerar no sódio.

As melhores opções para a dieta

Quem está dieta também pode evitar os preparados com manga por exemplo, já que a fruta é rica em frutose. Mas, pode dar preferência às comidinhas com abacaxi e com quiuí, que são bem menos ricas em açúcar.

A escolha do peixe também conta muito. Embora o sashimi seja ótimo por ser servido cru, é possível fazer escolhas ainda melhores, optando por atum, rico em proteína; que por salmão, que é mais gorduroso. Aliás, para quem não sabe, Mayra explica que as listras brancas no salmão são exatamente a parte gordurosa.

Agora, falando em escolhas acertadas na hora de comer a comida japonesa, uma das melhores opções para colocar no prato, conforme a musa fitness, é a lula. Ela pode ser consumida sem culpa se não for frita e é uma excelente fonte de proteínas.

Da mesma forma são os cogumelos. Eles são pouco calóricos, têm um sabor interessante e são riquíssimos em proteína, o que auxilia bastante na perda de gordura e na construção de massa muscular.

Pulo do gato

Agora, uma dica simplesmente fantástica: o nabo ralado que bem no enfeite dos pratos japoneses não é só pouco calórico. Embora muita gente não saiba, ele é perfeito para quando se derruba shoyu na roupa.

Nesses casos, basta pegar um chumaço do nabo e esfregar imediatamente sobre a mancha. Funciona como mágica!

Abaixo você assiste ao vídeo que Mayra postou em seu canal e confere as dicas da musa:

E então, você sabia que tanta comidinha dos restaurantes japoneses poderiam comprometer sua dieta? Não deixe de comentar!

Agora, falando em comida japonesa, se você gosta desse tipo de culinária, deveria conferir ainda esse outro post: Você usou o hashi do jeito ERRADO a vida inteira!

Fonte: Vix