Como é um espermatozoide por dentro?

Se você não fugiu das aulas de Biologia na escola, provavelmente aprendeu que o espermatozoide se trata de uma célula reprodutiva masculina, que existe em todos os animais que reproduzem a partir de reprodução sexuada.

Basicamente, esse tipo de reprodução consiste na penetração de pelo menos uma dessas microgametas no óvulo. É a partir disso que acontece a fecundação e um novo bebê ou filhotinho começa a ser gerado.

Mas, por mais que quase ninguém pare para refletir sobre o assunto, a verdade é que os espermatozoides podem ser muito mais que simples armazenadores de material genético. Vistos de perto, eles contam com um corpo muito mais estruturado que a gente costuma imaginar que seja.

Abaixo, como você vai ver, mostramos detalhadamente como é o corpo dos espermatozoides por dentro e como cada parte é importante para que ele atue na reprodução.

Veja como é um espermatozoide por dentro:

1. Cabeça

Com a dimensão de 5 µm de comprimento, a cabeça do espermatozoide é subdividida em três partes.

OBS: a unidade de medida “µm” ou, como é chamada micrômetro, corresponde a 0,001 milímetro.

a. Cofre magnético

É a parte achatada, onde fica guardado o material genético que ele carrega. Esse núcleo, considerado o principal seu componente, armazena os 23 cromossomos paternos, responsáveis por transmitir o DNA para o bebê que se formará caso o óvulo seja fecundado.

b. Nanocamisinha

É a membrana plasmática que envolve o espermatozoide e que tem a função de protegê-lo do ambiente externo. Ela se rompe durante a fecundação e permite que as enzimas do acrossomo (que explicaremos abaixo sobre o que se trata) entrem em ação.

c. Enzimas corrosivas

O acrossomo é uma estrutura em forma de capuz que armazena milhares de enzimas no espermatozoide. Elas são liberadas durante a fertilização e servem para dissolver a parede do óvulo, a fim de o espermatozoide penetre e atinja o núcleo do gameta feminino.

2. Peça Intermediária

Essa parte da estrutura do espermatozoide tem 5 µm de comprimento e é, basicamente, a fonte de energia da célula reprodutora masculina.

É nessa parte que ficam as mitocôndrias, que são a casa de força do espermatozoide. Elas ficam enroladas em forma de espiral ao redor do filamento central e produzem trifosfato de adenosina, a espécie de combustível que permite o espermatozoide se locomover pelo sistema genital.

3. Cauda

A parte mais comprida do espermatozoide, a cauda tem, em média, 50 µm de comprimento. Também chamada de flagelo, a cauda é feita de fibras densas, formadas a partir do pescoço, que fica entre a cabeça e a peça intermediária.

É essa parte do corpo do espermatozoide que permite sua movimentação, feita por meio de movimentos sinuosos, como o feito pelas cobras.

Interessante, não? Você sabia que essas pequenas células tão espertinhas fossem tão complexas assim?

Agora, aproveitando o assunto, talvez você se interesse em conferir também: O que a cor do sêmen pode revelar sobre a saúde masculina.

Fonte: Mundo Estranho