Curiosidades

Complexo de Electra – O que é, como identificar e resolução

O complexo de Electra é o mais conhecido dentre os diagnósticos de transtornos e comportamentos específicos e pode ser facilmente resolvido.

A mitologia possui forte presença na psicologia, o que faz servir como inspiração em diagnósticos de transtornos e comportamentos específicos. O complexo de Electra é o mais conhecido. Que significa uma teoria psicossexual voltada para as meninas.

Durante uma parte de seu crescimento, elas desenvolvem uma preferência afetiva pelo pai, desenvolvendo sentimentos de rivalidade com a mãe.

Com essa teoria, feita por Carl Gustav Jung, as meninas passam por um momento em que preferem o pai. Se dá por gestos simples, como querer passar mais tempo com o pai. Isso costuma acontecer entre os 3 e 7 anos.

Mitologia

Complexo de Electra - o que é, como identificar e lidar
Imagem: Wikipédia

Na antiga mitologia grega, a filha do Agamemnon, rei de Micenas, Electra traça um plano com seu irmão Orestes, para que vinguem a morte do pai, matando a própria mãe e seu amante. Que foi responsável por assassinar seu pai.

Essa história foi utilizada na psicologia por Jung no começo do século XX pela primeira vez. Essa síndrome também é chamada de “complexo de Édipo feminino” ou “complexo de Édipo invertido”.

Fazendo menção ao comportamento psicológico criado pelo também psicanalista Freud. No entanto, esse último, é onde o filho cria uma rivalidade com o pai, desenvolvendo uma adoração pela mãe.

O que é o complexo de Electra

Complexo de Electra - o que é, como identificar e lidar
Imagem: SBPI

É quando meninas na primeira fase da infância mostram preferência pelo pai ou figura paterna. Normalmente, essa etapa termina por volta dos 7 anos de idade, quando voltam a demonstrar maior afinidade com a mãe.

Esse diagnóstico não faz referência somente ao desenvolvimento de preferência pelo pai, mas também a criar uma rivalidade entre filha e mãe. Para que assim, ganhe mais amor e atenção do pai. Isso é completamente natural aos olhos da psicanálise, e até esperada do desenvolvimento psicológico e psicossexual da criança.

Por conseguinte, na maioria dos casos, esses comportamento diminuem até que param por completo aos 7 anos de idade. A partir dessa idade, as meninas começam a ter curiosidade por comportamentos femininos que são feitos pela mãe e querem imitá-los. Quando isso não acontece, pode ser um complexo de Electra mal resolvido ou tardio.

Como se inicia o complexo de Electra

Complexo de Electra - o que é, como identificar e lidar
Imagem: Mensagens com amor

Primeiro, há uma atração pela mãe durante os três primeiros anos de vida. Isso vai marcar o retorno mais tarde e a necessidade por parte da criança em se identificar com a mãe para que incorpore características maternas a sua personalidade, além de internalizar a moralidade no super ego.

À partir dos 3 anos, a menina começa a mostrar certa conduta de fixação ou paixão pelo pai. Esse complexo começa quando as meninas descobrem que não possuem pênis. Sentindo o desejo de obter o que este órgão simboliza. Os psicanalistas dizem que esta proximidade com a figura paterna gera um pouco de rivalidade e distância para com a mãe.

Podem ser desenvolvidos ciúmes e condutas que vão desde possessividade pelo pai até uma certa hostilidade. Como por exemplo se a menina não consegue o que deseja da figura materna.

Resolução natural

Complexo de Electra - o que é, como identificar e lidar
Imagem: SEBRAE

Chegando nos 7 anos, a menina vai sentir de novo a necessidade de se aproximar e se identificar com a mãe. Aí começam a mostrar condutas que vão de imitar e ficar curiosa sobre o mundo feminino. Entretanto, era enfatizado por Jung que isso faz parte normal do desenvolvimento da menina, que vai amadurecendo com o passar dos anos.

É necessário que tudo seja resolvido, como por exemplo que a mãe não brigue com a criança por ela preferir o pai durante a etapa natural do complexo. Que elas, também, não vejam suas mães como inimigas, rivais, evitando assim possíveis dinâmicas. Que podem criar muros de divisão na família.

Complexo de Electra mal resolvido

Complexo de Electra - o que é, como identificar e lidar
Imagem: Revista Pazes

Existem casos em que a hostilidade entre mãe e filha se prolonga até a fase adulta, onde há conflitos constantes entres as duas. Sempre mostrando preferência pelo pai. Como por exemplo, é a filha sempre se posicionar do lado do pai em conflitos, mesmo ele estando errado.

É comum em casos de má resolução do complexo, que a jovem sempre busque de forma exagerada a aprovação do pai. Assim, ele sempre será uma referência na vida da filha. Por isso, nesses casos, a garota busque por um companheiro mais velho, tendo características físicas do pai. Além da personalidade parecida.

Neste modelo, as mulheres que possuem complexo de Electra tardio querem algo similar a um relacionamento amoroso entre pai e filha. Tendo grandes chances de viver casos amorosos dependentes, onde a mulher vai ser mais submissa.

Como identificar e lidar

Complexo de Electra - o que é, como identificar e lidar
Imagem: Heloisa Amante

Alguns dos sinais que indicam que a menina está entrando na fase do complexo de Electra incluem alguns exemplos. Em primeiro lugar, tem-se a necessidade de ela sempre querer se colocar entre o pai e mãe. Choro descontrolado para quando o pai precisa sair de casa.

Sentimentos negativos para com a mãe, tendo ênfase quando o pai está presente. Por conseguinte, um grande sentimento com o pai, onde a menina pode falar que tem a vontade de casar com o pai um dia. Entretanto, esses sinais são temporários e normais.

Caso isso passe dos 7 anos da menina, recomenda-se consultar um psicólogo infanto-juvenil para que seja diagnosticado melhor a situação. Ajudando a garota a melhorar ou resolver com recursos pedagógicos dentro do contexto de família.

E então? Gostou da matéria? Confira também: 9 motivos para contratar um plano de saúde

Fontes: Psicologia online, A mente é maravilhosa, Tua saúde

Imagem de destaque: Heloisa Amante

Próxima página »

Escolhidas para você