Horário de verão: quanto tempo seu corpo leva para se adaptar à alteração no relógio?

Você é daqueles que sofre com a chegada do temido horário de verão? Embora nem todas as regiões do Brasil entrem nesse esquema de horário que deixa o relógio adiantado em uma hora, a verdade é que todo mundo sabe ou pode imaginar o drama que isso significa ao organismo.

Aliás, muita gente chegou a comemorar os rumores de que o governo poderia suspender de vez o famigerado horário de verão do país esse ano. A decisão, no entanto, foi vetada, mesmo que já tenha sido comprovada que a economia no consumo de energia durante esse período não é representativa o bastante para que ele exista.

Mas, voltando a falar sobre os reflexos desso horário de verão para o corpo, os médicos explicam que o cansaço e a irritabilidade das pessoas com essa alteração no relógio não é exagero ou “frescura”, como muitos de nós costumam dizer por aí.

Os impactos no corpo das pessoas que passam por esta mudança, nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste; são reais e podem gerar podem desencadear uma série consequências negativas enquanto nosso relógio biológico não se acostuma com a nova realidade.

Aliás, segundo o médico Marcos Pontes, entrevistado pela Agência Estado, o corpo humano leva de 5 a 7 dias para se adequar às alterações que o horário de verão pode trazer.

É por isso que você acha que o mundo vai acabar quando o relógio desperta nos primeiros dias da mudança, sabe!?

Mudanças e consequências

De acordo com o especialista, a principal interferência do horário de verão no corpo é com relação à nossa ordem temporal interna, que regula os ritmos de sono e temperatura de nosso organismo. Por este motivo, uma nova sincronização é tão importante.

2

Ainda segundo o médico, dentre as consequências mais claras da mudança para o horário de verão estão a dificuldade de dormir, sonolência durante o dia e até mesmo alterações no apetite.

Inclusive, a recomendação médica é de que as pessoas evitem dirigir por longas distâncias durante os primeiros dias da mudança no relógio.

5

E, se você está se perguntando quem mais sofre com essa período, a resposta é simples: todo mundo que acorda cedo para trabalhar ou estudar.

No entanto, há dois grupos que precisam de maior atenção durante os 7 dias de adaptação ao horário de verão: as crianças, especialmente as que estudam pela manhã; e os idosos. Nesses dois casos, o “desgaste” pode ser maior.

Como se adaptar ao horário de verão?

Mas, calma, nem tudo é desgosto nesse caso. Se você não pode fugir do horário de verão, o melhor é se tornar receptivo à ele.

3

Conforme especialistas, a melhor forma de se adaptar ao novo horário é se adiantar a ele, tentando dormir e acordar um pouco mais cedo todos os dias.

Mas, caso você já não tenha mais tempo de se reparar para a mudança, o ideal é dormir com a janela aberta para que a luminosidade natural ajude você a despertar mais cedo.

6

E, então, anotou tudo aí? Claro que ninguém gosta de alterações no horário interno do corpo, mas, como o horário de verão vai de outubro a fevereiro, e acontece anualmente, o jeito é tentar lidar com ele com bom humor, não acha?

Agora, se você quiser saber o que acontece em seu corpo quando você não está mais aguentando ficar acordado, você precisa conferir esta outra matéria: 7 problemas graves que não dormir o suficiente pode trazer à saúde.

Fonte: Terra, Agência Estado