Curiosidades

Inflação, o que é? Como ela aumenta ou diminui e como afeta nossa vida

Inflação pode ser um pesadelo para quem viveu nos anos 80 ou 90, mas, afinal o que ela é? Será que influencia muito em sua vida?

Os anos 80 e 90 no Brasil foram verdadeiros pesadelos quando o assunto é inflação. Foram diversas as causas da hiperinflação como, por exemplo, o aumento de gastos públicos durante o regime militar, o aumento da dívida externa. Isso tudo, certamente, acentuado pela crise mundial causada pelo aumento dos preços do petróleo.

Tudo era tão difícil que de um mês para o outro, a inflação podia subir em 80%. Ou seja, o preço de coisas no supermercado, por exemplo, podiam quase dobrar de valor de um mês para o outro.

Outro ponto importante deste período, aliás, eram os salários. Basicamente, eles também eram reajustados mensalmente, mas não de forma positiva. Quem mais sofria, afinal, era a população menos abastada, que não contava com reservas para se manter.

Mas, isso não é sem a terça parte do que precisamos entender sobre inflação. Já que você entende como ela pode afetar sua vida, agora é hora de aprender mais sobre esse número que podem nos causar grandes problemas.

O que é a inflação?

Como dito na introdução do texto, você pode ter uma ideia do que é a inflação e como ela influencia na vida de todos. Em resumo, inflação é o aumento geral de preços de serviços e produtos. Ou seja, quando está alta, ela provoca perda do poder de compra e desvalorização da moeda nacional.

O principal índice de preço ligado a inflação é o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo). Para calcular o índice, são feitas diversas pesquisas com os principais centros econômicos do país para chegar em um número correto. Sobretudo, são levados em conta diversos parâmetros para se ter uma ideia geral de tudo que é consumido pelo público como um todo.

Continua após a publicidade
Inflação, o que é? - Como ela aumenta e como pode te afetar
Diário do Comércio

Confira todos os parâmetros pesquisados para se chegar no número do IPCA:

  • Moradia
  • Alimentação e bebidas
  • Saúde e higiene pessoal
  • Artigos para casa
  • Despesas pessoais
  • Educação
  • Comunicação
  • Transporte
  • Vestuário

Grandes produtores repassam o valor para os consumidores de qualquer faixa de renda e, partir daí, temos o aumento da inflação.

Isso pode, inclusive, influenciar nos seus investimentos, especialmente, na poupança. Todavia, existe a possibilidade de você perder dinheiro, caso a inflação seja alta e seu dinheiro renda abaixo da inflação.

Hiperinflação

Como você viu no começo do texto, demos um exemplo de hiperinflação acontecido no Brasil. Esse nome é dado quando a métrica está em alta.

Desse modo, especialistas consideram que a inflação alcançou o estágio de hiperinflação quando ela é de mais 50% ao ano. Imagine, então, no Brasil entre os anos 70 e 80, quando chegou há 80% ao mês.

De fato, existem três fatores principais que causam a hiperinflação, ou o aumento da inflação fora do normal: quando a oferta e demanda são desproporcionais, quando existe um aumento dos lucros individuais provados e o aumento dos custos de produção.

Continua após a publicidade

O que aumenta a inflação?

Em primeiro lugar, temos a lei básica do capitalismo de oferta e demanda. Se existem muitas pessoas querendo comprar o mesmo produto e a produção do mesmo é alta, o preço abaixará.

Caso existam pessoas buscando o produto e não o encontrando com facilidade, a tendência é preço subir. Isso pode acontecer, principalmente, com a agricultura. Isso porque ela depende de condições climáticas, que podem prejudicar a entrega do produto. Caso seja um produto bastante consumido pelos brasileiros, o preço subirá e aí teremos a inflação em alta.

Inflação, o que é? - Como ela aumenta e como pode te afetar
Metro1

Em segundo lugar, temos o exemplo ligado aos monopólios. Caso uma grande empresa tenha total controle sobre o mercado de certo produto, ela pode controlar seu preço de forma fácil.

Empresas sempre tendem a buscar o lucro, e quando não existe concorrência, os preços tendem a subir. Quando isso acontece também temos o aumento da inflação.

Por fim, temos o aumento do custo de produção. Existem diversos fatores que podem aumentar o custo de produção, como por exemplo, o aumento de salários, escassez de matérias-primas ou aumento intensivo de impostos. Esse preço, claro, vai ser repassado para o consumidor, puxando novamente a inflação.

Por outra, a inflação também pode cair. E isso acontece quando o movimento do mercado é inverso aos que acabamos de descrever.

Continua após a publicidade

Inflação nos últimos anos

Inflação, o que é? - Como ela aumenta e como pode te afetar

Felizmente, depois dos terríveis anos 80 e 90, a inflação parou de ser tão alta. Confira em seguida a inflação dos últimos 10 anos:

  • 2019 – 4,25%
  • 2018 – 3,75%
  • 2017 – 2,95%
  • 2016 – 6,29%
  • 2015 – 10,67%
  • 2014 – 6,41%
  • 2013 – 5,91%
  • 2012 – 5,84%
  • 2011 – 6,50%
  • 2010 – 5,91%
  • 2009 – 4,31%
  • 2008 – 5,90%

Como 2019 ainda não chegou ao fim até a data dessa matéria, não sabemos seu valor. Dessa forma, os 4,25% mencionados, na verdade, representam a meta do governo. Para 2020, inclusive, a perspectiva é de que o índice fique em 3,66%

E aí, o que achou da matéria? Comenta aí e compartilha com todo mundo. Caso tenha gostado, é provável que também vá gostar dessa: 8 investimentos que ricos fazem e você deveria entender.

Fontes: BCB, Brasil Escola, Mais Retorno, ADVFN

Imagem de Destaque: Metro 1

Continua após a publicidade
Próxima página »

Escolhidas para você