Listas

10 tipos de inseguranças comuns entre as pessoas

Todos nós nos sentimos inseguros em algum momento de nossas vidas, mas o que é esse sentimento e como lidar com ele?

A insegurança é um sentimento que nos alerta que podemos cometer erros. Quando temos dúvidas sobre o caminho a seguir, podemos experimentar um certo grau de insegurança.

Além disso, a insegurança é muitas vezes acompanhada por uma sensação de desconforto e tensão que pode atingir proporções consideráveis.

Se não conseguirmos enfrentar este sentimento, ele continuará crescendo dentro de nós, paralisando-nos cada vez mais. Muitas pessoas sofrem de certos tipos de inseguranças durante anos, permitindo-lhes ditar suas decisões, limitar seu potencial e inundá-las de frustração, culpa e angústia.

Veja alguns desses tipos mais comuns abaixo.

Continua após a publicidade

10 tipos de inseguranças comuns

1. Insegurança física

O alto quer ser baixo, o baixo quer ser alto, todos nós queremos ser magros, ou ter cabelo assim ou daquele, e assim por diante. O que podemos fazer sobre isso? Talvez começar a ver o que gostamos em nós mesmos pode ser um bom começo.

Podemos tentar mudar o que não gostamos, mas se não conseguirmos, ter orgulho do que já temos pode ajudar.

2. Ter pouca experiência

Quem não se sentiu menos porque não sabe ou não sabe alguma coisa? Se realmente há algo com o qual você não sabe como lidar, então lide com isso e aprenda, mas também é importante reconhecer certas preocupações inúteis.

Por exemplo, há pessoas que estão em conflito por não terem viajado para o exterior, mas por outro lado, há aquelas que nem conhecem seu próprio país. Você tem que ver tudo com perspectiva e começar a agir para obter a experiência que deseja. Mas lembre-se, não saber não faz de você uma pessoa pior.

Continua após a publicidade

3. Fazer algo sozinho

Ser incapaz de fazer algo sozinho não tem nada a ver com ser excessivamente sociável, tem a ver com insegurança. Somos todos seres individuais e, pelo mesmo motivo, precisamos de solidão de vez em quando para nos conhecermos um pouco melhor.

Portanto, tente encontrar uma atividade que você possa fazer sozinho e perca o medo desse momento, para lidar com esse tipo de insegurança.

4. Não ser social

Pode ser que fazer novos amigos ou conhecer pessoas pareça um desafio e algo que é comum apenas para quem é super confiante. Neste caso, desafie-se e comece as conversas, afinal a pior coisa que pode acontecer é você sair perdendo por não tentar.

5. Não ganhar o suficiente

O que está relacionado à economia é algo que pode não só te deixar inseguro, mas também está relacionado a muita incerteza. Mas, você realmente acha que ter menos do que o próximo te torna inferior?

Continua após a publicidade

Seu valor é baseado em tudo, exceto dinheiro, além disso, quando você conhece alguém, não há como saber se você é uma herdeira milionária ou alguém que trabalha duro para sobreviver. Se você tem o que é preciso para viver e ser feliz, o que importa o que a pessoa ao lado tem?

6. Ciúme

Há muitas inseguranças que vêm à tona quando temos nosso primeiro relacionamento. Não porque não estivessem lá antes, mas porque estavam escondidas.

O ciúme, por exemplo, é um tipo de insegurança que geralmente nos deixa ansiosos, nervosos ou frustrados. Identifique se essas atitudes são motivadas pelo outro ou se não estão corretas, para que você possa resolvê-las de uma maneira melhor .

7. Insatisfação com seu corpo

Preferir cabelos lisos ou ganhar alguns centímetros não é o mesmo que ter um trauma real com seu corpo, sentir repulsa ou machucá-lo com hábitos nocivos (como não comer).

Continua após a publicidade

Desse modo, sinais de insegurança grave podem evoluir para transtornos como anorexia, bulimia e outros. Pense no que o está incomodando, trabalhe nisso e, se não conseguir superar, peça ajuda.

8. Ser solteiro

Muitas inseguranças estão associadas ao preconceito e ao estigma social, essa é uma delas. Mas, lembre-se que estar em um relacionamento é uma decisão pessoal, não se julgue por não ter um parceiro (a), talvez você gostasse, mas isso não tem nada a ver com o seu valor.

9. Ser mulher

Muitas mulheres sentem uma insegurança bastante forte só porque são mulheres. Bem, não é muito surpreendente considerando a sociedade em que vivemos, onde muitas vezes o coletivo tem sido responsável por desmerecer o gênero feminino.

Com efeito, lembre-se que sentir-se menos capaz, menos inteligente, etc., só fará com que os outros o percebam dessa forma, pois tudo o que você acredita sobre si mesmo se reflete.

Continua após a publicidade

10. Medo do futuro

Sentir-se inseguro sobre o futuro é normal, mas deve ser um incentivo e não um problema. Alguns passos serão mais difíceis que outros, mas isso não significa que você não possa seguir em frente. Fortaleça suas habilidades e trabalhe suas fraquezas, pouco a pouco você se sentirá mais confiante para seguir em frente.

O que são as inseguranças e como elas surgem?

A insegurança decorre de sentimentos de inadequação que surgem da falta de autoconfiança ou da incapacidade de lidar com uma situação. Essas emoções são muitas vezes acompanhadas por uma incerteza geral e também ansiedade em alcançar nossos objetivos e desenvolver habilidades (físicas ou sociais).

Dessa forma, as inseguranças geram pensamentos negativos sobre nossas próprias habilidades. Em geral, esse tipo de autopercepção é impulsionado por um sentimento de negatividade com base em nossas expectativas ou objetivos.

Como lidar com elas?

A insegurança pode levar a estados de timidez ou desenvolver uma fobia social. Por outro lado, algumas pessoas inseguras tentam mascarar sua insegurança com um mecanismo compensatório, como atitudes arrogantes, agressivas ou distantes em relação aos outros, para que, em qualquer caso, sua esfera social seja afetada e possam se sentir isoladas.

Continua após a publicidade

Portanto, comece analisando de onde vêm suas crenças negativas, você ficará surpreso ao descobrir que são generalizações inadequadas que você formou a partir de eventos isolados ou rótulos que outros colocaram em você.

Portanto, não generalize e não use palavras depreciativas,além disso, não se compare com os outros ou exija muito de si mesmo. Por fim, saiba que a terapia é o tratamento mais indicado nesses casos, sobretudo se for baseada em técnicas cognitivo-comportamentais.

Fontes: Crescer sempre, Buzzfeed, Psitto, Vyaestelar

Leia também:

Continua após a publicidade

Síndrome de Fregoli: um transtorno delirante de identificação

O que é Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC)?

Síndrome do Patinho Feio, o que é? Como lidar com o transtorno

10 transtornos de personalidade mais comuns atualmente

Continua após a publicidade

Síndrome de Noé: conheça as causas e sintomas da doença

Amaxofobia: entenda melhor o medo excessivo de dirigir

Próxima página »

Escolhidas para você