Medo de agulha? 13 imagens PROIBIDAS para quem sofre com a fobia

Pode parecer exagero, mas medo de agulha exagerado se trata de uma fobia real e afeta de 3% a 10% da população mundial. O problema tem até um nome para chamar de seu, “aicmofobia”, e diz respeito àqueles que sentem um tipo de medo irracional por agulhas, alfinetes, injeções, seringas e assim por diante.

O mais interessante desse problema é que as pessoas que sofrem com a aicmofobia não precisam nem mesmo estar na presença de uma injeção para passar mal. Só de pensar em coisas perfurantes, como uma agulha para doação de sangue, por exemplo; é possível que a pessoa comece a enfrentar uma resposta imediata e bastante intensa de ansiedade.

Quais os sintomas da doença?

O problema pode ficar tão sério com o tempo que, não raro, algumas pessoas que convivem com o medo de agulha passam a sofrer interferências no cotidiano. Isso porque os sintomas do medo de agulha podem ser manifestar físico e psicologicamente.

Dentre os sintomas mais comuns estão:

  • Sensação de desmaio com a visão ou pensamento sobre agulhas
  • Aumento do ritmo cardíaco ou tensão arterial
  • Falta de ar, boca seca, tremores, náuseas
  • Ataque de pânico
  • Pensamentos assustadores e imagens sobre agulhas, morte, dor e etc,
  • Incapacidade de distinguir entre realidade e fantasia (criada pelo pavor).

O que causa o medo de agulha?

Com relação às causas que levam a desenvolver o medo de agulha, especialistas explicam que podem surgir de diversas maneiras. Lembranças traumáticas da infância, associadas a agulhas, são bons exemplos disso; como o fato da pessoa ter presenciado alguém morrer depois de uma injeção ou receber um resultado positivo, de alguma doença grave, depois de amostras de sangue serem colhidas.

Além disso, se alguém mais velho tiver muito medo de agulha, ou se usar o objeto como ameça ou castigo (do tipo, “agulhas vão contaminar você”, ou “se você teimar vou te dar uma injeção”) é possível que a criança desenvolva esse medo irracional e cresça com verdadeiro terror de tudo que possa perfurar sua pele. Por isso é tão importante filtrar o que dizemos às crianças, percebeu?

Tem cura?

A boa notícia para quem sofre com o problema é que a fobia tem tratamento e, claro, cura. Para se livrar do medo de agulha, especialistas recomendam sessões de terapia. Além disso, técnicas de auto-ajuda, como respiração profunda, meditação e relaxamento muscular também são recomendadas para curar a aicmofobia.

Com o tratamento, que inclui a exposição gradual às agulhas e outros métodos, é possível fazer com que a pessoa encare injeções, seringas, exames de sangue e situações que possam levar a isso (como visitas ao médico ou ao dentista) apenas um pequeno desconforto periódico, é preciso algumas sessões de terapia.

Teste: você tem medo de agulha?

Agora, será que você sofre com esse problema? Se você tem dúvidas sobre seu medo de agulhas ser uma reação natural ou exagerada, o teste fatal são as imagens que selecionamos abaixo.

Como você vai perceber, todas elas ilustram vários tipos de agulhas, seringas e injeções, em diversas situações diferentes; e, com certeza, se tornarão impossíveis de serem observadas até o final por quem sofre com aicmofobia.

Vamos fazer o teste? Tente observar tudo sem desviar os olhos:

  

E aí, você sofre ou não sofre com a fobia? Se sim, corra para se tratar; agora, se não, que tal descobrir de vez qual é o seu maior medo? O teste a seguir vai ajudar você nessa missão um tanto bizarra: Teste identifica qual seu maior medo com base nas imagens que você escolhe.

Fontes: BuzzFeed, PsicoAtivo