Notícias

Poliomielite: o que é, sintomas e o caso em Nova York

O último caso de poliomielite que ocorreu nos Estados Unidos foi em 1979, de acordo com o CDC; autoridades de saúde estão em alerta.

As autoridades de saúde do estado de Nova York relataram o primeiro caso de poliomielite encontrado nos EUA desde 2013 em um paciente que mora no condado de Rockland, ao norte da cidade de Nova York.

O paciente foi identificado como um homem de 20 anos que viajou para a Polônia e Hungria no início do ano. O homem, que não está vacinado contra o vírus, já recebeu alta e está em casa com sua família.

Em um comunicado de imprensa compartilhado pelo presidente do distrito de Manhattan, Mark Levine, as autoridades de saúde estão pedindo aos profissionais médicos e outros profissionais de saúde que estejam em alerta máximo para mais casos.

O que é poliomielite?

A pólio (também conhecida como poliomielite) é uma infecção viral altamente contagiosa que pode causar paralisia e morte. O Brasil agora está livre da doença, mas a imunização ainda é importante para evitar que os casos voltem.

A pólio é muito contagiosa e uma pessoa pode espalhar o vírus mesmo que não esteja doente. Os sintomas, que podem ser leves e semelhantes aos da gripe (fadiga, febre, dor de cabeça, rigidez, dores musculares, vômitos), podem levar até 30 dias para aparecer, período durante o qual um indivíduo infectado pode transmitir o vírus a outros.

Embora raros, alguns casos de poliomielite podem resultar em paralisia ou morte.

Continua após a publicidade

Sintomas da poliomielite

A maioria das pessoas infectadas com o vírus da poliomielite não fica doente e não sabe que tem a infecção. Desse modo, apenas uma minoria de pessoas infectadas com o vírus da poliomielite apresenta sintomas semelhantes aos da gripe, que podem durar até 10 dias, incluindo:

  • Febre;
  • Cansaço e fadiga;
  • Dor de cabeça;
  • Náuseas e vômitos;
  • Dor de garganta;
  • Dor ou rigidez nas costas, pescoço, braços ou pernas;
  • Músculos fracos ou sensíveis.

Além disso, 1 em cada 100 pessoas infectadas desenvolve fraqueza muscular grave, conhecida como paralisia flácida aguda, poliomielite aguda ou paralisia infantil. Isso pode afetar os músculos dos braços, pernas, cabeça e pescoço e o diafragma, um músculo do peito vital para a respiração.

Embora a maioria das pessoas se recupere completamente, outras desenvolvem paralisia irreversível e algumas morrem. Algumas pessoas desenvolvem a síndrome pós-pólio, que ocorre quando a fraqueza muscular retorna muitos anos após a infecção original.

Transmissão da poliomielite

A infecção geralmente se espalha de pessoa para pessoa através do contato com as fezes de uma pessoa infectada ou por gotículas de tosse ou espirro.

Portanto, se mesmo uma pequena quantidade do vírus chegar às mãos, alimentos ou água potável de outra pessoa e na boca de uma pessoa não vacinada, ela também pode ser infectada.

O vírus pode então viajar para o intestino onde causa uma infecção. A partir daí, ele pode se multiplicar e entrar na corrente sanguínea ou no sistema nervoso causando sintomas graves.

O período de incubação (o tempo entre a infecção e os sintomas) é de 3 a 21 dias. O vírus pode permanecer no corpo por um tempo e ainda pode estar presente nas fezes por até seis semanas e na saliva por até duas semanas.

Prevenção da poliomielite

A melhor prevenção contra a poliomielite é tomar a vacina. O Programa Nacional de Imunização do Brasil (PNI) determina que a vacina seja distribuída para as crianças em 5 doses, sendo 3 doses de vacina injetável (vírus inativado) aos 2,4 e 6 meses.

Posteriormente, a criança deverá tomar a vacina oral (vírus vivo atenuado) aos 15 meses e 4 anos de idade. Além disso, adultos que viajam para países com incidência de poliomielite ou cuidam de pacientes com poliomielite devem receber um reforço a cada 10 anos.

Se você não foi vacinado contra a poliomielite quando criança, ou se você não tem certeza se está vacinado, procure uma sala de vacinação e atualize seu cartão de vacina.

Vacina VIP

A vacina VIP, Vacina Inativada Poliomielite, é a recomendada para prevenir crianças e adultos contra a poliomielite, evitando que se agrave e gere um quadro de paralisia. Aliás, ela é composta por partículas do vírus da pólio tipos 1, 2 e 3 e por ser inativada, não causa a doença.

Vacina VOP

A principal diferença entre as vacinas VIP e VOP (Vacina Oral Poliomielite) é que enquanto a VIP é injetável, a VOP é administrada em gotas. Contudo, as duas protegem contra os vírus da polio dos tipos 1, 2 e 3, entretanto, a VOP é composta pelo vírus inteiro enfraquecido.

A VOP, por ser de vírus atenuado, deve ser evitada em imunodeprimidos e em crianças com contato com imunodeprimidos, pois o vírus, mesmo enfraquecido, passa pelas fezes e contamina o ambiente (imunidade de rebanho).

Tratamento da poliomielite

Atualmente, não há cura para a poliomielite, por isso é tratada principalmente com base nos sintomas. Estes incluem:

  • Alívio da dor com analgésicos;
  • Repouso e líquidos;
  • Fisioterapia;
  • Medicamentos para ajudar com espasmos musculares;

Sequelas da poliomielite

A síndrome pós-pólio é um grupo de sintomas latentes de poliomielite. A síndrome é causada por efeitos nocivos da infecção viral do sistema nervoso. Os sintomas geralmente ocorrem 15 a 30 anos após o ataque agudo inicial de poliomielite; e incluem diminuição da função de força muscular e fraqueza aguda e fadiga dolorosa.

A causa exata da síndrome pós-pólio não é clara. Em suma, a principal teoria é que é o resultado da deterioração gradual das células nervosas da medula espinhal (neurônios motores) que foram danificadas pelo vírus da poliomielite. Isso explicaria por que a condição pode levar anos para aparecer.

Caso de poliomielite em Nova York

De acordo com o CDC, o último caso confirmado de pólio nos Estados Unidos com origem no país foi em 1979. O último caso trazido por um viajante foi em 1993. A última vez que um caso de qualquer origem foi visto neste país foi em 2013.

As autoridades de saúde do condado de Rockland disseram que souberam da infecção na segunda-feira (18) e que a vítima é um adulto não vacinado que apresentou sintomas de paralisia há cerca de um mês e não viajou internacionalmente. Elas estão realizando vigilância de familiares e contatos próximos.

No Brasil, segundo o Ministério da Saúde, desde 1989, não há mais registros dessa doença e isso se dá graças à campanha de vacinação em massa.

Fontes: CNN, Fiocruz, Bvsms

Se achou interessante, leia também: Doenças antigas – Quais as mais contagiosas e mortais da história

Bibliografia

WHO. Poliomyelitis. Disponível em: <https://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/poliomyelitis>
CDC. What is Polio?. Disponível em: <https://www.cdc.gov/polio/what-is-polio/index.htm>
MINISTÉRIO DA SAÚDE. Poliomielite (paralisia infantil). Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/poliomielite-paralisia-infantil/>

Próxima página »

Escolhidas para você