O que realmente acontece se você dormir com lente de contato?

Ninguém sabe o que realmente acontece, mas todo mundo que usa o acessório sabe que dormir com lente de contato não é uma boa ideia, por mais que, às vezes, dê a maior preguiça de tirá-la. E, como os olhos são órgãos extremamente sensíveis e todo mundo tem consciência de que qualquer ferimento ou infecção pode ser o fim da capacidade de enxergar, o que acontece é que as pessoas costumam ser obedientes a essa regra sem nem pestanejar.

Mas, afinal de contas, pode ou não dormir com lente? E se por acaso isso acontecer é possível, realmente, que os olhos fiquem com alguma consequência ruim e permanente?

Brunette asleep next to smartphone with lamp on at home in bedroom

Para começo de conversa, a menos que seu oftalmologista (ou “oculista” como todo mundo fala por ai) recomende, o recomendado é não dormir com lente de contato. Aliás, o ideal é que as lentes sejam retiradas a cada 8 horas para que os olhos descansem, especialmente se você tem um grau muito alto.

Dormir de lente

Agora, voltando a falar sobre as consequências de dormir de lente, fique sabendo que é realmente perigoso, mas as coisas que podem acontecer não são uma regra. De forma geral, durante a noite, as lentes de contato deixam de receber a lubrificação necessária, produzida por nossos próprios olhos, na superfície da córnea.

1

Durante o dia, enquanto estamos agitados e fazendo nossas tarefas cotidianas, a lubrificação dos olhos é mantida enquanto piscamos, o que para de acontecer quando estamos dormindo. Além disso, o ato de piscar permite uma constante troca de gases entre ela e os olhos, já que elas deslizam milímetros sobre nosso córnea também quando piscamos.

4

Quanto todo esse processo de limpeza e lubrificação cessa, aumentam as chances de adesão das lentes de contato à córnea. O resultado disso pode ser olhos irritados e lentes, literalmente, grudadas nas pálpebras.

Fique atento

Casos de pessoas que desobedeceram a regra de não dormir de lente e precisam ir ao hospital para a retirada do acessório não são caros. Além disso, não se sabe até que ponto essa irritação pode infeccionar ou interferir no órgão.

3

Logo, o mais esperto a se fazer é seguir as recomendações de seu médico quanto ao uso das lentes de contato. Consultas periódicas também são importantes para checar se as lentes estão de acordo com sua necessidade e como anda a saúde de seus olhos.

6

E, falando em visão e assunto relacionados, você vai gostar de conferir ainda: Como é a visão dos bebês? A ciência revela.

Fonte: eÓtica