História

Orestes – História e importância no desenvolvimento da mitologia grega

O julgamento de Orestes marca o nascimento da justiça, segundo a mitologia grega, bem como o surgimento do Voto de Minerva.

Por P.H Mota

Na mitologia grega, Orestes era filho do rei Agamemnon de Micenas e da rainha Clitemnestra, e irmão mais novo de Ifigênia. Além de importante personagem na Oresteia, que leva seu nome, ele também tem destaque nos mitos de Electra.

De acordo com as crenças da mitologia, seu julgamento representa o momento de criação da justiça entre humanos. Também é nesse momento que surge a inspiração para a expressão Voto de Minerva, comum ainda hoje.

Seu nome tem origem nas palavras gregos, óros (montanha) e hístemi (levantar), e pode ser interpretado como aquele que se levanta na montanha.

História de Orestes

Orestes - história e importância no desenvolvimento da mitologia grega
Britannica

Enquanto Agamemnon voltava da Guerra de Troia, acabou assassinado pela esposa Clitemnestra e seu amante, Egisto. Dessa maneira, Orestes acabou fugindo para Fócida, com medo de que também fosse morto pelo amante da mãe.

Já adulto, então, ele recebeu ordens do deus Apolo para se vingar, matando a própria mãe e Egisto. Entretanto, após o crime, ele continuou fugitivo e foi se esconder no Oráculo de Delfos. Pouco depois desse período, acabou sendo capturado e julgado, mas conseguiu ser absolvido depois que a deusa Atena (Minerva, para os romanos) fez o voto de empate em seu favor.

Seguindo as ordens de Apolo mais uma vez, Orestes partiu numa jornada para roubar a estátua de Artemis, em Táurida, e retorná-la para a cidade de Atenas. Dessa vez, no entanto, ele acabou preso com seu primo, Pílades, e condenado.

Continua após a publicidade

Diante de mais uma condenação, ele conseguiu fugir mais uma vez, graças à ajuda de sua irmã Ifigênia. No processo, o trio ainda conseguiu realizar a missão dada por Apolo, levando a estátua de Artemis.

Após a realização da missão, ele finalmente assumiu o posto do herdeiro do trono de Agamemnon e sagrou-se rei. No governo, anexou os territórios de esparta, casou-se com Hermione, mas morreu aos 90 anos, após ser picado por uma serpente.

Voto de Minerva

Orestes - história e importância no desenvolvimento da mitologia grega
imove Web

O nome voto de Minerva é utilizado para classificar votos que decidem decisões que estavam empatadas, até ele. A expressão tem origem na história de Orestes, que, capturado pelas Fúrias para ser assassinado, é salvo por Atena.

A deusa, padroeira da cidade de Atenas, surge antes da execução e ordena a realização de um julgamento no local. Depois que Apolo apresenta o caso, o júri acaba ficando num impasse e a decisão fica nas mãos da deusa. A história ajuda a exaltar o poder das leis e da democracia do julgamento e marca a origem da justiça, segundo a mitologia grega.

Apesar da decisão ter sido tomada pela deusa Atena, a expressão ficou popular com seu nome romano, Minerva.

Assim como na mitologia, ainda hoje é comum que o voto de Minerva aplicado na justiça – como nos nos julgamentos do Supremo Tribunal Federal (STF), por exemplo – seja dado em favor do réu.

Continua após a publicidade

Fontes: Infopedia, Mitologia Civiliz Grega, O Clã das Lobas

Imagens: Britannica, Greek Boston, imove Web

Próxima página »

Escolhidas para você