Mundo Animal

Peixe-leão: conheça a exuberante e temida espécie invasora

Bonito, mas perigoso o peixe-leão tem 18 espinhos espalhados pela região dorsal que pode causar um desequilíbrio ecológico.

O peixe-leão (Pterois volitans) é uma espécie nativa da bacia do oceano Indo-Pacífico. No entanto, ele se espalhou rapidamente pela região subtropical do Oceano Atlântico no início dos anos 2000.

Como é o caso de muitos invasores, seus efeitos em seu novo ambiente eram inicialmente desconhecidos. Todavia, agora está fortemente estabelecido que eles têm um efeito claro e adverso nos frágeis ecossistemas de recifes de coral em que entraram.

Os peixes-leão prosperam em sua área invasiva, permitindo-lhes assumir o controle de uma forma invisível em seu ecossistema nativo. Isso deixa os pesquisadores em busca de possibilidades de conservação e erradicação antes que o peixe-leão possa assumir completamente e começar a ultrapassar seus limites de alcance invasivo ainda mais longe na costa atlântica.

O peixe-leão é um invasor bem-sucedido devido à sua vantagem sobre as presas ingênuas e, uma vez invadido, o peixe-leão supera os predadores nativos e consome as presas em uma taxa muito maior.

Continua após a publicidade

A erradicação completa da espécie é provavelmente impossível em muitos lugares devido ao seu forte estabelecimento, portanto, os esforços devem mudar para a prevenção, redução e conservação.

O risco do peixe invasor

Peixe-leão: conheça a exuberante e temida espécie invasora
Fonte: Pixabay

O peixe-leão tem muitas defesas contra predadores em potencial, mais obviamente seus espinhos venenosos. No entanto, eles também têm uma vantagem com sua coloração e listras específicas, o que os beneficia tanto por dissuadir predadores quanto por confundir ou distrair as presas.

Continua após a publicidade

Desse modo, um indicativo de seu controle no topo da cadeia alimentar nessas águas invadidas, é que eles raramente são mortos por predadores; um estudo não documentou nenhum ataque ao peixe-leão ao longo de um período de três anos.

Essas vantagens fisiológicas tiram grande parte da resistência biótica que poderia ameaçar o peixe-leão, deixando a presa muito suscetível ao seu ataque. Ademais, uma grande vantagem do peixe-leão na caça de presas é sua capacidade de “atirar” jatos de água nas presas, desorientando-as.

Continua após a publicidade

Com efeito, os peixes-leão representam uma ameaça gigante ao ecossistema em que invadem, pois podem representar a extinção de espécies que desempenham papéis cruciais em seus recifes de coral nativos.

Reprodução do peixe-leão

Fonte: Pixabay

Os peixes dessa espécie reproduzem-se cedo e com frequência e depois dispersam os descendentes por toda a parte – é assim que alguns não-nativos se tornam invasores biológicos. Com um ano de idade, o peixe-leão está sexualmente maduro, desovando várias vezes por mês e em todas as estações.

A grande maioria das espécies de peixes fertiliza os ovos externamente. Ou seja, a fêmea expele óvulos para a coluna d’água e o macho expele espermatozoides em direção aos óvulos para fertilizá-los.

Os peixes-leão também desovam externamente, mas com uma diferença crucial. Durante cada evento de desova, a fêmea do peixe-leão libera duas bolsas mucosas gelatinosas, cada uma contendo milhares de ovos. A bolsa protetora é oca.

Continua após a publicidade

O macho fertiliza os óvulos por meio de uma abertura no invólucro, permitindo que os espermatozoides encontrem os óvulos com mais facilidade, em vez de procurá-los em uma coluna de água sujeita a correntes variáveis.

Quando o invólucro se dissolve e surgem larvas de peixe-leão, as correntes oceânicas os dispersam por 20 a 40 dias até que se tornem juvenis. As correntes oceânicas transportaram larvas de peixes-leão para várias partes do mundo.

Um peixe-leão adulto vive até 15 anos, reproduzindo-se continuamente. Durante sua vida, uma fêmea de peixe-leão vai liberar dois milhões de ovos por ano.

Sua longa vida útil, desova frequente e produtiva e capacidade de dispersar larvas a grandes distâncias permitiram que o peixe-leão se espalhasse com incrível velocidade.

Continua após a publicidade

Por outro lado, muitos peixes de recife nativos florescem tardiamente ou requerem condições especiais para desovar.

O que fazer para conter esse predador?

Fonte: Pixabay

O peixe-leão tornou-se bem estabelecido no Oceano Atlântico devido ao seu grande número e ao claro sucesso de estabelecimento; é improvável que a erradicação completa seja possível. No entanto, muito pode ser feito para ajudar a mitigar seus efeitos e restaurar as espécies nativas dos recifes de coral.

A remoção do peixe-leão para aliviar o estresse nos ecossistemas atlânticos é um esforço que requer manutenção consistente para evitar que o número da população aumente durante os tempos de latência.

Dessa forma, o abate consistente combinado com o uso como uma fonte potencial de alimento e renda para as comunidades locais parece ser as oportunidades economicamente mais sólidas e duradouras para mitigação e declínio na população invasora de peixes-leão.

Continua após a publicidade

O processo de abate do peixe-leão é uma chave importante para o seu manejo na região invadida. Todavia, o processo de abate de espécies invasoras como o peixe-leão, embora altamente benéfico quando executado corretamente, vem com a repercussão negativa do comportamento do invasor alterado.

O peixe-leão em recifes que eram rotineiramente abatidos, ficavam mais frequentemente ocultos ou ativos apenas em níveis profundos durante o dia em resposta à caça; eles também foram mais rápidos para responder e evitar mergulhadores.

Ademais, considerando que os peixes-leão já tendem a ser crepusculares esse comportamento pode forçá-los a aumentar a caça ao amanhecer e ao anoitecer, pondo ainda mais em risco as populações de presas.

Gostou de saber mais sobre esse perigoso e inusitado peixinho? Pois, leia também: Camelo: principais características e função da corcova

Continua após a publicidade

Fontes: National Geographic, R7, G1, Folha PE

Fotos: Pixabay

Próxima página »

Escolhidas para você