É assim que pessoas mortas estão sendo transformadas em belos diamantes azuis

A cremação é uma opção cada vez mais popular, a prática deverá representar mais da metade das “eliminações” de corpos até 2020, de acordo com a Associação de Cremação da América do Norte.

Mas ao invés de armazenar as cinzas do ente querido em uma urna ou espalha-las em algum lugar especial, um número crescente de pessoas estão fazendo algo totalmente inusitado: transformar as cinzas em diamantes azuis.

Isso é possível por que o carbono é o segundo elemento atômico mais abundante no corpo humano, e os diamantes são feitos de carbono.

Veja como as cinzas de pessoas – e às vezes animais de estimação – são transformadas em diamantes brilhantes de todos os tamanhos, formatos e cores.

Casal encontra pedra fedida na praia e descobre ser âmbar de R$ 250 mil

Transformar uma pessoa morta em um diamante começa com a cremação. O processo normalmente deixa cerca de 5 a 10 quilos de cinzas, a maioria dos quais é carbono.

Em seguida as cinzas são levadas para um forno especial

Em seguida, as cinzas passam por um processo de purificação para retirar todas as impurezas. Depois de purificada, 99% de sua composição é Carbono e 1% são outros elementos, principalmente o Boro.

O boro é a impureza que colora os raros diamantes azuis encontrados na natureza – e é por isso que muitos “diamantes memorial” também são azuis. Os diamantes podem variar de azul claro a muito azul, quanto mais boro, mais profundo é o azul.

Os diamantes naturais são feitos com o carbono que fica preso em tubos de lava a centenas de quilômetros de profundidade na crosta terrestre. Para simular esse ambiente, as empesas usam maquinas capazes de criar pressões extremas a altas temperaturas

Depois das cinzas passarem semanas dentro dessas máquinas, finalmente o diamante bruto aparece. Alguns clientes preferem leva-los assim, já outros optam por lapida-los.

E então, você sabia que era possível transformas pessoas mortas em belos diamantes azuis?

 

 

Fonte: businessinsider
Imagens: Algordanza