Saúde

Por que dormimos? Principais funções realizadas durante o sono

Há séculos a ciência tenta entender porque dormimos, e já descobriu que o momento é fundamental para revigorar energias e reiniciar o cérebro.

Por P.H Mota

Por séculos, a ciência investe em estudos e pesquisas para tentar responder uma pergunta sobre um dos hábitos mais básicos do ser humano: por que dormimos? A partir daí, foi possível chegar a algumas respostas esclarecedoras.

Atualmente, sabe-se que uma das principais funções do sono envolve recuperar corpo e mente. Além disso, também é nesse momento que as experiências e memórias de cada dia são processadas e armazenadas.

Dessa maneira, de forma resumida, o momento do sono serve para reiniciar o corpo. Com a organização das memórias, economia de energia e reparação física e mental, é nesse momento que ocorre a preparação para um novo dia.

Por que dormimos?

Por que dormimos? - principais funções realizadas durante o sono
Michigan Health

Enquanto dormimos, o cérebro entra num estágio de repouso que se espalha para todo o corpo. Com o relaxamento dos músculos e órgãos, então, é possível reparar e reconstruir fraturas, músculos ativados ou cicatrizes, por exemplo.

Continua após a publicidade

Da mesma maneira, essa recuperação também acontece no cérebro. Isso porque, enquanto dormimos, as informações são processadas e guardadas – ou descartadas. É assim que criamos ou perdemos memórias, ou guardamos informações aprendidas ao longo do dia. Ou seja, estudar por muito tempo e não dedicar-se um bom sono, pode desperdiçar parte do conteúdo absorvido.

De acordo com pesquisas realizadas pela professora Maiken Nedergaard, do Medical Centre da University of Rochester, em Nova York, Estados Unidos, o sono também realiza uma espécie de faxina cerebral.

Continua após a publicidade

Os resultados revelam que, quando dormimos, uma rede de canais microscópicos despejam fluidos capazes de retirar dejetos químicos do cérebro de ratos. Sendo assim, o procedimento é como fazer uma faxina cerebral, garantindo a preparação para o dia seguinte.

Fases do sono

Por que dormimos? - principais funções realizadas durante o sono
ScienceNews

Para colher os benefícios do sono, é importante dormir em ciclos de ao menos 90 minutos. Isso porque, quando dormimos, o corpo passa por cinco estágios que acumulam aproximadamente essa duração.

Continua após a publicidade

O ideal para um sono saudável é passar, no mínimo, por quatro ciclos (6h de sono). Entretanto, dormir por cinco (7h30) ou seis ciclos (9h) é o mais recomendado, apesar de poder ser difícil ter todo esse tempo disponível.

Primeira fase: é o momento em que começamos a pegar no sono. Nessa fase, ainda é fácil despertar com facilidade.

Segunda fase: com duração variada de 5 a 15 minutos, esse estágio conta com redução da frequência cardíaca. Sendo assim, dá início ao processo de relaxamento e queda de temperatura, num estágio de despertar mais difícil.

Terceira fase: é a fase de início do sono profundo, mas ainda não muito intenso.

Continua após a publicidade

Quarta e quinta fase: a quarta fase é marcada pelo sono profundo, onde também acontecem os sonhos e o sono REM. Do inglês, Rapid Eye Movement (Movimento Rápido dos Olhos), o REM conta com atividade cerebral intensa. Ela costuma ocorrer no encerramento do estágio de sono profundo, para, principalmente, cumprir funções de recuperação emocional.

O que acontece se não dormimos?

Por que dormimos? - principais funções realizadas durante o sono
The Conversation

Quando não dormimos, o corpo sofre com a falta de repouso físico e mental. A reação inicial é de falta de energia e fraqueza do corpo, com pálpebras pesadas tentando induzir um estado de relaxamento.

Além disso, as capacidades cognitivas também são alteradas. Ou seja, quanto menos horas dormidas, menor é a capacidade de atenção, concentração e retenção de aprendizado. Da mesma maneira, a falta de descanso afeta diretamente o humor.

Quando não dormimos bem por muito tempo, pode haver problemas mais graves de saúde. Isso porque o corpo começa a desenvolver condições propícias ao surgimento de cardíacos, obesidade, diabetes e até mesmo depressão.

Continua após a publicidade

Fontes: Brasil Escola, Terra, CPAP Vital

Imagens: Greater Good Magazine, Michigan Health, ScienceNews, The Conversation

Próxima página »

Escolhidas para você