Curiosidades

O que é Sanpaku e como ele pode prever a morte?

Sabia que a posição dos olhos de uma pessoa pode dizer se ela está com o pé na cova? Quer entender melhor essa história? Conheça o Sanpaku dos japoneses.

Sanpaku parece mais um daqueles papos furados de internet, mas há quem acredite realmente nesse negócio estranho. De acordo com o japonês George Ohsawa, fundador da filosofia e da dieta macrobiótica, essa palavrinha estranha se trata de uma condição que indicaria se a pessoa foi amaldiçoada de alguma maneira, mudando a posição de seus olhos.

Na prática, o Sanpaku significa “três brancos”. A palavra diz respeito à forma como os olhos das pessoas estão divididos ou posicionados com relação à esclera, a parte branca dos olhos. Basicamente, a posição dos olhos e a forma que a esclera aparece em cada pessoa pode indicar se ela está mais próxima da morte ou até mesmo de um colapso nervoso. Dá para acreditar?

Dessa forma, se a esclera de alguém aparece como no olho da foto, o significado pode não ser bom. Viu que a posição do olho está mais para cima, escondendo pedaço da parte colorida, a íris; e deixando a uma parte da parte branca à mostra, na parte mais baixa?

Para o japa Ohsawa, esse é um sinal claro de Sanpaku. Conforme ele, pessoas saudáveis e que têm uma vida longa e próspera pela frente não costumam exibir essa posição dos olhos.

O que quer dizer a posição dos olhos no Sanpaku?

Ao contrário, pessoas “livres de maldições” e de algum tipo de problema preocupante têm as extremidades da parte colorida dos olhos completamente protegidas pelas pálpebras. É como se pessoas sãs tivessem a posição dos olhos como a de um sol nascente, como mostra a figura abaixo.

Sanpaku

Continua após a publicidade

A explicação de Ohsawa para isso, conforme seus conhecimentos de macrobiótica, é de que, ao longo da vida, quando a pessoa se encontra enferma ou envelhece, a tendência é de que a íris comece a subir e ficar mais apontada em direção ao crânio, com uma parte branca à mostra logo abaixo. Em resumo, para ele, o Sanpaku deixa a pessoa com “olhos de morto”, traduzindo um desequilíbrio que pode vir do espírito, do psicológico ou das partes emocional e, claro, orgânica.

Resumindo, se a esclera (a parte branca, como já explicamos) for visível na direção inferior da íris, isso significa que o mundo exterior está exercendo influência ruim sobre a pessoa analisada. Nesse caso, ela própria está em risco e pode até morrer.

Sanpaku

Já, se a esclera aparente for a cima da íris, o desequilíbrio pode estar relacionado ao mundo interior da pessoas. Nesse caso, as emoções do indivíduo podem ser a parte perigosa e ele pode ser incapaz de controlar seus impulsos.

Calma, calma, não criemos pânico!

Tenso, não? Mas, é claro que nada é tão literal assim. É preciso ressaltar que não é todo o oriente que acredita no tal Sanpaku. Aliás, embora seja uma teoria interessante e estudada por alguém ilustre em várias partes do mundo, essa teoria da posição dos olhos nem é tão popular assim.

Girl Looking Up

Continua após a publicidade

Então, antes de sair correndo para o espelho ver se você está à beira da morte ou da loucura, leve em consideração que nada na vida é tão literal assim. Os próprios olhos, dependendo da posição da cabeça ou do olhar lançado, podem ficar em diversas posições e isso é fácil de testar: você só precisa mover a cabeça em várias direções, olhando para um espelho e vai entender.

O lado bizarro do Sanpaku

5

Qual a parte assustadora nisso tudo? É que, mesmo se tratando de uma teoria muito particular, Ohsawa conseguiu prever a morte de algumas celebridades, baseando-se apenas na posição dos olhos delas. Louco não?

Entre as “vítimas” do Sanpaku, afinal, estão Marilyn Monroe, o presidente americano John Kennedy, James Dean e até mesmo Abraham Lincoln. John Lennon, aliás, teria mencionado essa condição em uma de suas músicas (I’m Sorry), despertando muita gente para a suposta maldição.

Leia também: 

Fonte: Mega Curioso, Tofugo, Kotaku

Continua após a publicidade

Bibliografia:

Ohsawa, G. (1969) Guia prático da Alimentação Macrobiótica Zen. 2a edição. Porto Alegre: Associação Macrobiotica de Porto Alegre.

Próxima página »

Escolhidas para você