Prótese de silicone pode causar câncer, afirmam médicos americanos

Apesar de ser o sonho de muitas mulheres, médicos americanos emitiram um sinal de alerta sobre a prótese de silicone que pode fazer muitas delas abandonaram o projeto de turbinar os seios. Isso porque, segundo a Food and Drug Administration (FDA), órgão americano de regulação na área da saúde, reconheceu, recentemente, que mulheres com próteses de silicone têm risco aumentado de desenvolver um tipo raro de câncer.

O mais preocupante de tudo é que já foram registradas 9 mortes decorrentes do que eles chamam de linfoma anaplásico de grandes células (ALCL, em inglês). Conforme os médicos, o tumor afeta as células do sistema imunológico e está associado, diretamente, aos implantes mamários das pacientes.

Mas, o ALCL não é um tipo de câncer de mama. Os especialistas explicam que, geralmente o tumor tem início nos gânglios linfáticos e pode se espalhar para a pele.

Qual prótese de silicone pode ser mais perigosa?

Sobre o tipo de silicone associado à doença, os médicos afirmam que ela ocorre mais frequentemente após implantes de próteses com superfície texturizada.

Até fevereiro deste ano, os americanos havia registrado 359 casos de linfoma anaplásico de grandes células ligado ao implante mamário, incluindo 9 mortes. Deste total, 231 estavam relacionados à próteses com superfície do silicone, sendo que 203 era texturizada e 28, lisa.

Os médicos relatam também 312 informes relacionados ao tipo de preenchimento das próteses: 186 eram de silicone gel e 126 eram prótese salina.

Sinal de alerta?

Apesar de tudo, os médicos afirmam que as mulheres não precisam entrar em pânico. A doença é rara e, por isso, sua incidência é muito pequena. O único fato constatado até agora é que o silicone aumenta o risco de desenvolver o câncer em comparação às mulheres que não têm implantes mamários.

Aliás, sobre a retirada preventiva das próteses é totalmente desaconselhada em pacientes que não apresentam os sintomas do câncer (dor, caroços, inchaço ou assimetria nas mamas). Aquelas que contam com os implantas também não precisam mudar o estilo de vida, somente manter os cuidados médicos e os exames de rotina.

Embora mortes tenham sido registras e o tumor tenha sido considerado de rápido crescimento, o ALCL é “altamente tratável” se identificado logo no início.

Para se prevenir do câncer, os médicos recomendam que as mulheres continuem fazendo mamografia de rotina, conforme indicação do médica. E, para aquelas que possuem silicone gel, também são recomendadas ressonâncias magnéticas periódicas para a investigação de possíveis rupturas.

Interessante, não? Melhor ficar atenta à sua saúde! Agora, aproveitando que estamos falando de silicone, você pode gostar de conferir essa outra matéria: O que acontece com as próteses de silicone depois da morte?

Fonte: Vix