Curiosidades

Rainha de Sabá: história, lendas e representação nos textos sagrados

A Rainha de Sabá ou Makeda aparece nas tradições judaica, islâmica e etíope e sua relação com Salomão gera especulação sobre sua influência no mundo antigo.

A história da Rainha de Sabá aparece em textos religiosos sagrados para judeus, cristãos e muçulmanos. Descrita na Bíblia simplesmente como uma Rainha do Oriente, os estudiosos modernos acreditam que ela veio do Reino de Axum na Etiópia, do Reino de Saba no Iêmen ou de ambos.

A principal pista deles é que ela trouxe fardos de incenso como um presente; o olíbano só cresce nessas duas áreas. Ambos os países a reivindicam como sua. Visto que estão separados por apenas 25 quilômetros, ambos podem estar certos.

Conforme a crença etíope, o nome da Rainha de Sabá era Makeda ou Bilqis. Aliás, há menções á Rainha Makeda de Sabá na Kebra Negast (Glória dos Reis), uma antiga compilação das lendas etíopes.

Nessas histórias, a Rainha de Sabá busca a verdade e a sabedoria, pois ela ouviu que o Rei Salomão de Israel é um homem muito sábio. Ela viaja em camelo para Jerusalém para encontrá-lo e testar seus conhecimentos com perguntas e enigmas. Desse modo, ela carrega olíbano, mirra, ouro e joias preciosas. Saiba tudo sobre ela, a seguir.

Continua após a publicidade

A Rainha de Sabá e o Rei Salomão

Fonte: Pinterest

O rei Salomão ouviu falar de Sabá e de seu grande reino. Ademais, ele também ouviu dizer que ela tem uma feição estranha, um pé esquerdo partido como o de uma cabra e uma perna cabeluda.

Ansioso para ver se a história é verdadeira, ele manda polir o chão de sua corte até que fique como vidro. Quando a Rainha de Sabá caminha pelo chão, Salomão vê o reflexo de seu pé fendido. Então, bem na frente de seus olhos, ele se transforma e se torna normal.

A Rainha de Sabá testa a sabedoria de Salomão, fazendo-lhe muitas perguntas e dando-lhe enigmas para resolver. Ele responde à satisfação dela e então a ensina sobre seu Deus e ela se torna uma seguidora. É assim que alguns etíopes acreditam que o cristianismo chegou ao seu condado.

Começo da linhagem de imperadores da Etiópia

Rainha de Sabá: história, lendas e representação nos textos sagrados
Fonte: Pinterest

A rainha concorda em ficar com o rei Salomão como hóspede. Todavia, ela avisa o rei para não tocá-la, mas eles passam a noite juntos. Então, quando ela volta para casa de seu reino, descobre que está grávida de um filho. Ela cria seu filho Menelik sozinha. Quando ele cresce, Menelik decide que quer encontrar seu pai e viaja para Israel para encontrar o Rei Salomão.

Continua após a publicidade

Quando ele retorna, ele leva consigo a Arca da Aliança, o recipiente sagrado que continha os Dez Mandamentos. Na lenda etíope, a Arca permaneceu na Etiópia desde então e os etíopes vêem Menelik como o primeiro em uma linha ininterrupta de reis etíopes que se estende até o século XX.

Outras representações da Rainha de Sabá

Rainha de Sabá: história, lendas e representação nos textos sagrados
Fonte: Pinterest

A rainha de Sabá aparece nas Antiguidades de Josefo com o nome de Nicaulis, um nobre filósofo e governante do Egito ou do Chifre da África. Ela também aparece no Alcorão como uma rainha que se submete a Salomão, o profeta de Alá, e se converte ao Islã.

Na lenda judaica, ela é identificada com Lilith, rainha dos demônios. Embora seus enigmas não apareçam na Bíblia, eles são fornecidos em fontes subsequentes e mostram seu vasto conhecimento do mundo, incluindo a história das famílias governantes de Judá.

Makeda, apesar do mistério de suas origens, apresenta-nos uma memória válida de mulheres que conseguiram conquistar para si posições de alto escalão em mundos dominados por homens.

Continua após a publicidade

Além disso, sua “hutzpah” ou “habilidade em desafiar” – o rei escolhido por Deus com enigmas não está de forma alguma fora do personagem para tal monarca.

Por fim, lendas extra-bíblicas também mostram que Makeda é uma usuária fácil de enigmas e outras formas de sabedoria, pelas quais ela exibe sua astúcia e habilidade para governar.

Quer seja vista como uma parceira demoníaca perigosa ou uma ancestral nobre, as fontes tradicionais a retratam como uma governante capaz e, portanto, uma poderosa encarnação humana das virtudes e habilidades que levam a outras fronteira o nome do reino de Sabá.

Se curtiu esse artigo, leia também: Selo de Salomão: origem e significado por trás do símbolo

Continua após a publicidade

Fontes: Rainhas trágicas, Portal São Francisco, E-biografia, Infoescola, DW, Brasil Escola

Fotos: Pinterest

Próxima página »

Escolhidas para você