Remédios que matam mais que cocaína e muita gente toma diariamente

Eles estão “na moda” e são receitados para o controle da ansiedade e para o combate à insônia, mas segundo estudos, medicamentos a base de benzodiazepina estão na lista dos remédios que matam mais que a cocaína. Pelo menos foram essas as conclusões de duas pesquisas publicadas no American Journal of Public Health.

Agora, se você acha que não conhece esse tipo de medicamento, está enganado. Esse componente perigoso é a base de remédios popularmente prescritos para quem sofre de ansiedade ou precisa de uma ajudazinha para dormir, como Rivotril, Xanax, Ativan e Valium, por exemplo. Começou a se familiarizar com os nomes, não foi?

Remédios que matam mais que cocaína

O primeiro estudo sobre o caso, realizado pela Universidade da Colúmbia Britânica (UBC), de Vancouver, no Canadá, apontou que o consumo excessivo desses de medicamentos a base de benzodiazepinas causa risco de morte 1,86 vezes maior do que o uso de várias drogas ilegais e consideradas pesadas.

Para chegar a esses números, os pesquisadores entrevistaram de 6 em 6 meses, ao longo de 5 anos, aproximadamente 2.802 participantes que faziam uso diário desses remédios que matam. No final do estudo, mais de 18% do grupo já havia falecido.

Mais medicamentos, mais infecções

Os cientistas também perceberam que mesmo depois de isolar outros fatores, como o uso de drogas ilegais e os comportamentos considerados de alto risco, a taxa de morte continuou impressionantemente alta entre os usuários desse composto.

Um segundo estudo, por sua vez, levando em consideração uma parte menor do mesmo grupo apontou a ligação entre o uso dos tais remédios que matam com infecções por hepatite C, por exemplo. Também foi possível perceber, dessa vez, que a taxa de infecção foi 1,67 vezes superior nos usuários desses medicamentos.

Irresponsabilidade nas prescrições

Conforme os estudiosos, o problema pode estar na forma como esses remédios que matam estão sendo prescritos. Um relatório emitido pela Organização Mundial da Saúde (OMS), por exemplo, alerta que remédios são feitos para tratar “ansiedade ou insônia grave, incapacitante, que cause angústia extrema”.

O que se vê, no entanto, é um número crescente de pacientes fazendo uso de medicamentos faixa preta, como os que citamos ao longo da matéria, mesmo não se encaixando nas descrições extremas feitas pela OMS.

A entidade, aliás, recomenda que, antes de receitar remédios tão fortes, os médicos levem em consideração que medicamentos a base desse composto causam dependência e levam até mesmo a crises de abstinência. A OMS recomenda ainda que a benzodiazepina seja usada em dose eficaz mínima e durante o menor período de tempo possível.

E você, também consome esses remédios que matam ou conhece alguém que faça uso deles? Imaginava que eles pudessem fazer tão mal assim? Não deixe de nos contar nos comentários!

Agora, falando em medicamentos perigosos, você deveria conferir ainda essa outra matéria: 8 remédios que fazem mal e você tem em casa.

Fonte: Exame, Super Interessante