Curiosidades

Sankofa, o que é? Origem e o que representa para a história

A sankofa é um símbolo de resistência, cuja origem africana foi trazida para o Brasil na época colonial, quando negros eram feitos escravos.

A Sankofa é um símbolo de lembrança da história afro-americana e afro-brasileira. Ademais, ela recorda os erros do passado para que eles não sejam cometidos novamente no futuro. Isto é, representa a volta para adquirir conhecimentos do passado e a sabedoria.

Em síntese, o pássaro voando reto representa que é necessário seguir em frente, rumo ao futuro, sem se esquecer do passado. No entanto, pode ser substituído por um coração estilizado. Logo, eram utilizados para estampar tecidos de roupas, cerâmicas, objetos, entre outras coisas.

Por fim, esse símbolo advém dos povos africanos trazidos para o Brasil, no período colonial, como escravos. Dessa forma, eles praticavam trabalho a força, sofrendo com bastante violência. Então, os africanos esculpiram o seu trabalho em forma de manifestar resistência. Por isso, surgiu a variação de um ideograma adrinkra, que é o Sankofa.

O que é Sankofa?

Sesc SP

A Sankofa consiste em um símbolo, tendo um pássaro mítico ou um coração estilizado. Ademais, representa a volta para adquirir conhecimentos do passado e a sabedoria. Além disso, também é a busca da herança cultural dos antepassados para desenvolver um futuro melhor. Em síntese, a palavra Sankofa vem da língua twi ou axante. Logo, san significa retornar, ko significa ir, e fa remete a buscar. Assim sendo, pode ser traduzida como volte e pegue.

Continua após a publicidade

Sankofa: Símbolos

Dicionário dos Símbolos

A Sankofa apresenta como símbolos um pássaro mítico e um coração estilizado. A princípio, o pássaro possui os pés firmes no chão e a cabeça virada para trás, segurando o ovo com o bico. Ademais, o ovo significa o passado, e o pássaro voa para frente, como se simbolizasse que o passado ficou para trás, mas que não fosse esquecido.

Ou seja, mostrando que é necessário conhecer o passado para desenvolver um futuro melhor. Por outro lado, o pássaro pode ser substituído por um coração estilizado, cujo significado é o mesmo.

Continua após a publicidade

Em suma, a Sankofa faz parte dos símbolos adinkras, um conjunto de ideogramas. Desse modo, eram utilizados para estampar tecidos de roupas, cerâmicas, objetos e outras coisas. Assim sendo, tinham o objetivo de simbolizar os valores da comunidade, ideias e provérbios. Além disso, também eram usados em cerimônias e rituais, como funerais de líderes espirituais, por exemplo.

Origem

Revista Cláudia

Os povos africanos eram trazidos ao Brasil, na época colonial, como escravos. Pois, apresentavam uma mão de obra que possuía conhecimentos tecnológicos para construções e agrícolas. Além disso, eram utilizados como mão de obra. Ademais, a população escravizada atuou fielmente na sua libertação. Entretanto, no início essa possibilidade parecia algo irreal, até que veio à tona.

Continua após a publicidade

Portanto, tinham a sua força de trabalho e seus corpos voltados para o trabalho forçado e a violência. Ademais, tornaram como um ambiente de resistência, com os africanos ferreiros que esculpiram em seu trabalho de símbolos de resistência, como uma variação de um ideograma adrinkra, o sankofa.

Sankofa nos Brasil e Estados Unidos

Dicionário dos Símbolos

Os símbolos do pássaro e o do coração estilizado se popularizaram em outros locais. Por exemplo, nos Estados Unidos e no Brasil. Ademais, nos Estados Unidos ele pode ser encontrado em cidades como Oakland, Nova Orleans, Charleston e outras. Em suma, na cidade de Charleston o legado dos ferreiros do estúdio Phillip Simmons permaneceram.

Isto é, os trabalhadores aprenderam tudo a respeito da arte do metal com os ex escravos. Por fim, no Brasil ocorreu o mesmo no período de colonização, atualmente, é possível encontrar diversos corações estilizados pelos portões brasileiros.

Então, se você gostou dessa matéria, também vai gostar dessa: Lenda do Uirapuru – História do famoso pássaro do folclore brasileiro. 

Continua após a publicidade

Fontes: Itaú Cultural, Dicionário de Símbolos, CEERT

Imagens: Jornal a Verdade, Sesc SP, Revista Cláudia

Próxima página »

Escolhidas para você