4 tipos de dores que os brasileiros mais reclamam

Você lembra qual foi a última vez que precisou tomar um analgésico?

Embora pareça que só você sofre com pequenas dores no corpo, uma pesquisa realizada pelo Ibope Conecta, em parceria com a marca Advil, mostrou que muita gente no Brasil está nesse mesmo barco.

Quais os tipos de dores que os brasileiros mais reclamam?

Ao que tudo indica, existem alguns tipos de dores que os brasileiros mais reclamam e a dor de cabeça foi citada por 78% dos 1.500 voluntários que responderam à pesquisa. Essas pessoas afirmaram que tiveram pelo menos um episódio de dor de cabeça nos últimos três meses.

E, embora essa seja a mais recorrente das dores que os brasileiros mais reclamam, a dor de cabeça está longe de ser a única. Aproximadamente 63% das pessoas disseram sentir dores nas costas com frequência, e 61%, incômodos musculares em partes diferentes do corpo.

Estresse e má postura

Conforme os pesquisadores, o grande vilão das dores que os brasileiros mais reclamam, sem dúvida, é o estresse, especialmente com relação à dor de cabeça. Quanto às dores nas costas, os especialistas atribuem o incômodo à má postura.

Segundo neurologistas, o cortisol, hormônio do estresse, aumenta a liberação de substâncias que aumentam a sensibilidade à dor.

Além disso, é comum que por causa da rotina estressante, as pessoas acabem se descuidando da alimentação e da qualidade do sono, fatores que também contribuem para o aparecimento ou para a piora dos quadros de dores pelo corpo.

Como aliviar e prevenir as dores que os brasileiros mais reclamam

Mas, os responsáveis pela pesquisa alertam que tomar remédio não é a única forma de combater essas dores que os brasileiros mais reclamam.

Segundo eles, existem alguns hábitos que podem ser alterados e que vão manter o estresse e o sistema imunológico em dia, proporcionando bem-estar e menos dores. Abaixo você confere algumas dessas táticas:

1. Não use remédios de forma descontrolada

Analgésicos aumentam em 19 vezes o risco da dor se tornar crônica.

Além disso, alguns desses remédios, se tomados por mais de dois dias por semana, apresentam risco para o fígado, para os rins e pode sobrecarregar outros órgãos.

Eles também podem causar dependência.

2. Tente chegar ao seu peso ideal

O sobrepeso e a obesidade são gatilhos frequentes para inúmeras doenças e dores.

Embora ainda não exista uma explicação científica entre as dores de cabeça e a obesidade, os pesquisadores percebem que pessoas que conseguem controlar o peso e manter uma alimentação equilibrada, bem como uma vida livre do sedentarismo, sofrem menos com o incômodo.

3. Melhore a qualidade do sono e combata o ronco

Pessoas que sofrem com enxaqueca costumam roncar duas vezes mais que as que não sofrem com esse mal.

Um médico especializado no assunto poderá investigar a causa de sua sinfonia noturna ajudar você a ter um sono de melhor qualidade.

4. Tente consumir menos cafeína

Duas xícaras de café por dia já oferecem a quantidade ideal de cafeína para nos deixar alertas e proporcionar benefícios à cabeça. Aliás, a cafeína em si conta com propriedades analgésicas, razão pela qual ela está presente em vários remédios voltados ao alívio da dor.

No entanto, se consumida em excesso, essa substância pode causar o efeito rebote e intensificar a dor, o estresse e impedir você de ter uma noite relaxante.

E aí, você também sofre com alguma dessas dores que os brasileiros mais reclamam, de forma geral? Se sim, não deixe de nos contar o que você costuma fazer para se livrar dela, ok?

Agora, falando em dores e em remédios, você (e todo mundo) precisa ler também: Antibióticos: 8 coisas que você precisa saber antes da próxima dose.

Fonte: Saúde, Mundo Positivo