6 mulheres que marcaram a História com contribuições incríveis

Quando estudamos História, não é incomum ver nomes de grandes homens e seus feitos heroicos, que mudaram o rumo de como aconteceram as coisas. Mas, nem sempre prestamos atenção que existiram (e existem ainda) incríveis mulheres que marcaram a História com suas contribuições, seja no campo do conhecimento e até mesmo da guerra.

Para fazer jus a essas heroínas que quase sempre ficam ofuscadas nos livros de História, preparamos uma lista com apenas algumas das mulheres que marcaram a História do Brasil e do mundo de forma inegável.

Como você vai ver, todas elas têm em comum a coragem de falar e de se impor em épocas em que as mulheres simplesmente não tinha voz alguma. Algumas, infelizmente, pagaram pelas contribuições que deram com a vida, outras, no entanto, conseguiram desfrutar do sucesso de suas brilhantes ações.

Conheça 6 mulheres que marcaram a História com contribuições incríveis:

1. Hipácia

Matemática, astrônoma e uma das pensadoras mais relevantes da Antiguidade, Hipácia viveu entre os anos 350 a 415.

Por se comportar de forma atípica para sua época, ela assassinada pela Igreja, que a acusava de bruxaria. Naquela época, para quem não sabe, as mulheres que se destacavam pela beleza ou excesso de vaidade, pelos conhecimentos científicos e até mesmo pela cor de cabelo (ruivo) eram consideradas bruxas e condenadas à morte.

Ela foi considerada a última mulher de destaque da Alexandria no mundo intelectual.

2. Joana d’Arc

A francesa que viveu de 1412 a 1431, tinha apenas 17 anos quando se tornou uma das figuras mais representativas da hamada Guerra dos 100 anos, entre a França e a Inglaterra.

Apesar de não ter nenhum conhecimento militar, a camponesa convenceu, por meio da fé, um pequeno grupo de soldados a acompanhá-la nas batalhas, até que sua fama se espalhou e ela conseguiu formar seu próprio exército, com cerca de 7 mil homens.

Seus feitos foram tão heroicos que a menina pobre se tornou chefe militar e conseguiu autorização real para marchar até Orleans, a cerca de 130 quilômetros de Paris, para retomar a cidade do cerco inglês.

A moça, que nunca aprendeu a ler, acabou sendo presa e condenada à morte na fogueira, sob acusação de assassinatos e heresia. Ela foi queimada viva, em praça pública, com apenas 19 anos de idade. Depois de alguns anos, a própria Igreja Católica canonizou Joana d’Arc, que hoje é considerada santa.

3. Maria Quitéria de Jesus

A brasileira, considerada uma das mulheres que marcaram a história, viveu de 1798 a 1853. Ela foi militar e se tornou símbolo da resistência baiana e heroína na Guerra da Independência, travada contra os portugueses.

Para lutar, Maria Quitéria precisou se disfarçar de homem e acabou se tornando a primeira mulher a assentar praça pública em uma unidade militar das Forças Armadas Brasileiras. Ela também foi a primeira a entrar em combate pelo Brasil, em 1823.

4. Ada Lovelace

Ada viveu entre os anos de 1815 e 1852, no Reino Unido. E, além de uma mestre dos números, também era uma cantora exímia. Ela foi considerada a primeira programadora do mundo, muito antes do computador como conhecemos hoje ser imaginado.

Filha do renomado escritor Lorde Byron, Ada cresceu em um ambiente pautada pela lógica e os estudos matemáticos e não demorou a brilhar com seus talentos para os cálculos, o que a aproximou do inventor Charles Babbage.

5. Marie Curie

Talvez uma das mulheres que marcaram a História mais conhecidas dessa lista, Marie foi uma polonesa que viveu entre 1867 e 1934. Ela era física e química, mesmo sem nunca ter conseguido ingressar na faculdade, já que em sua época esse era uma privilégio restrito aos homens.

Ela também foi um símbolo de resistência contra o preconceito e a discriminação da mulher e acabou se tornando a primeira e a única até hoje a ganhar um Prêmio Nobel. Aliás, para sermos sinceros, Marie ganhou dois prêmios Nobel em áreas diferentes.

6. Valentina Tereshkova

A russa, que nasceu em junho de 1963, acabou se tornando a primeira mulher a viajar para o espaço. Cosmonauta, engenheira, paraquedista amadora e major-general da antiga União Soviética, Valentina nasceu em uma família de operários comunistas e superou todas as barreiras que lhe foram impostas para estudar e correr atrás de seus sonhos.

Em 2011, Valentina adicionou à sua lista de marcos históricos sua eleição ao Parlamento russo, onde atuou como deputada.

E então, você já conhecia a história de alguma dessas grandes mulheres? Qual delas marcou mais você? Não deixe de comentar.

E, falando em mulheres de fibra, você pode gostar de conhecer também essa outra história: Mulher constrói casa com garrafas pet no lugar de tijolos e realiza sonho da casa própria.

Fonte: Guia do Estudante