8 coisas comuns que dão pena de morte na Coreia do Norte

Eles não podem escolher a religião que vão seguir, não podem deixar o umbigo de for ou, sequer, a carreira profissional que vão seguir durante todas suas vidas. Esse é o estilo de vida nada democrático dos cidadãos da Coreia de Norte, que não podem sequer contestar seu grande ditador, “Kim Jong-un”, que desde 2001 pune com pena de morte aqueles que contestam suas ordens.

E você, ai achando que morar no Brasil era ruim, hein? Imagina pegar uma pena de morte ou outras punições severas por ser pego dormindo no trabalho? Ou, simplesmente, por ser flagrado comprando ou mesmo admirando uma revista de conteúdo adulto!? Já pensou em conviver com esse tipo de tortura psicológica?

Se, para você viver dessa forma é quase impossível, para os norte-coreanos todo esse controle faz parte do dia-a-dia e o pior, eles sabe que se cometerem um erro como os que citamos até agora, serão punidos com pena de morte.

Mas, as proibições absurdas da Coreia do Norte não param por aí. Nem os supostos “crimes” passíveis de pena de morte no País, que aliás, parece meio banal no lugar, como você vai perceber ao longo da matéria.

Veja, abaixo, algumas coisas comuns que dão pena de morte no País:

1. Dormir no trabalho

1

Claro que dormir no trabalho não é algo bem visto por aqui e, dependendo da situação, acabaria em demissão no Brasil. O problema, no entanto, é que na Coreia do Norte, esse tipo de coisa – mesmo um cochilo ou uma piscada mais demorada em meio a uma reunião, por exemplo – pode resultar em pena de morte! Isso porque, no País, o trabalho é encarado como uma forma de modificar o espírito e se tornar um ser humano melhor. Aliás, o próprio Ministro da Defesa da Coreia do Norte foi executado depois de ser pego cochilando durante uma solenidade.

2. Diversidade religiosa

2

Nada de diversidade religiosa na Coreia do Norte. Pregar religiões diferentes no País resulta em pena de morte, já que as igrejas do lugar são totalmente controladas pelo governo para manter a população dentro da cultura tradicional da razão e evitar possíveis revoluções.

3. Ter o mesmo nome que o ditador

3

Se você se chamar “Kim Jong-un” na Coreia do Norte, é possível que você receba uma pena de morte. Isso porque, desde um ano antes do atual ditador assumir o controle total do País, ficou proibido que outra pessoa se chamasse Kim e, aqueles que não queriam morrer, tiveram que procurar as autoridades para mudar de nome enquanto era permitido. Isso porque, segundo o regime totalitário da Coreia do Norte, o culto à personalidade dos líderes da dinastia Kim deve ser mantido e preservado.

4. Escolher a carreia profissional

6

Quem escolhe qual vai ser a carreia que cada um dos cidadãos vai seguir é o próprio governo da Coreia do Norte. Não acatar a ordem ou contestá-la pode resultar em pena de morte ou em ir a um campo de trabalho forçado. Aliás, as pessoas descobrem o que farão durante toda a vida assim que saem do serviço militar, aos 18 anos, e é encaminhada para alguma profissão, conforme a necessidade do País.

5. Umbigo à mostra

7

Moral e bons costumes, bem como os valores das famílias tradicionais são valores inquebráveis no País, a menos que você queira uma pena de morte só para si. Aliás, mulheres que deixam o umbigo à mostra ou que incitam, de outras formas, os instintos sexuais, são fortes candidatas a ter a morte declarada pela lei do País.

6. Prostituição

8

Se colocar o umbigo de fora já é um problema, você já deve imaginar que as coisas não devem ser melhores quando o assunto é a prostituição na Coreia do Norte. Da mesma forma, filmes adultos e materiais do tipo são terminantemente proibidos no País, a menos que você esteja interessado em uma pena de morte e uma execução em praça pública.

7. Sorrir, beber, e falar alto

9

Esse trio de ações é uma combinação que não pode faltar no happy hour ou nas outras festinhas brasileiras. Na Coreia do Norte, no entanto, isso tudo faz parte da lista de proibições do ditador, especialmente no dia 8 de julho, data que marca o aniversário de morte do primeiro grande ditador do País. Nesse dia, quem mostra sua felicidade ou euforia publicamente corre o risco de pegar uma pena de morte por desfigurar a ordem e o respeito do momento.

8. Ter/ dirigir um carro

10

Dirigir e ter um carro no País é um luxo que poucas pessoas na Coreia do Norte podem ter. Aliás, esse é um privilégio que somente os altos funcionários do governo têm. De forma geral, somente uma em cada 100 pessoas no País tem um carro e licença para dirigi-lo. Mulheres, claro, não fazem parte dessa estatística.

E então, viu como coisas simples podem resultar em pena de morte nesse País?

Veja também: 11 segredos da China que beiram a bizarrice