Saúde

12 benefícios da Astaxantina para a saúde e para que serve

A astaxantina é um composto carotenoide responsável pela pigmentação avermelhada de algas e frutos do mar, com efeitos positivos em humanos.

Por P.H Mota

A astaxantina é um pigmento avermelhado típico de algumas algas e animais marítimos. Nos animais, por exemplo, o composto é responsável por dar a cor de criaturas como salmão, truta, lagosta, camarão e outros frutos do mar.

O pigmento também recebe o nome de “rei dos carotenóides” por ser cerca de 10 a 100 vezes mais poderoso que outros com a mesma classificação, como betacaroteno e licopeno, por exemplo. Além disso, também possui algumas diferenças químicas que servem para defini-lo como mais seguro.

O composto também é vantajoso por não se tornar pró-oxidante no corpo, ou seja, age de forma diferente de vários outros antioxidantes. Dessa maneira, além de mais seguro, é também um dos mais eficazes e poderosos quando se trata de benefícios à saúde.

Benefícios da astaxantina

Atua com ação anti-inflamatória

A astaxantina possui propriedades anti-inflamatórias naturais, ou seja, sem risco de efeitos colaterais danosos como azia, úlceras gastrointestinais ou mesmo vício e dependência. A partir do bloqueio de enzimas inflamatórios COX2, então, o composto suprime níveis séricos de fatores inflamatórios (como oxido nítrico, interleucina 1B, prostaglandina E2, proteína reativa C  e TNF-alfa), reduzindo dores e inflamações.

Protege a pele do sol

Astaxantina: para que serve e benefícios na saúde

O tom avermelhado das criaturas ricas em astaxantina vem das propriedades anti-UV presentes nesse pigmento. Dessa maneira, ele é capaz de proteger as espécies marítimas da incidência dos raios solares desde o estágio de ovo. Quando ingerimos o composto, então, os benefícios são semelhantes, carregando ainda efeitos de redução de rugas e aumento da umidade da pele.

Continua após a publicidade

Combate a fadiga

Astaxantina: para que serve e benefícios na saúde

Além dos tons de vermelho, a astaxantina também é responsável pela grande quantidade de energia presente em peixes como o salmão, por exemplo. É graças a isso, por exemplo, que os peixes conseguem fazer viagens rio acima, anualmente. Os humanos também podem adquirir benefícios semelhantes a partir do consumo, com aumento de força e energia que ajuda a recuperar estados de cansaço, especialmente após o exercício físico, por exemplo.

Protege os olhos e o sistema nervoso

Astaxantina: para que serve e benefícios na saúde

A ação da astaxantina consegue atravessar as barreiras hemato-encefálica e hemato-retiniana, ou seja, chega diretamente nos olhos, cérebro e sistema nervoso. Dessa maneira, o composto consegue proteger essas regiões de oxidação e inflamações, garantindo a redução do risco de doenças como catarata, degeneração macular, cegueira, demência e doença de Alzheimer.

Protege o sistema cardiovascular

Astaxantina: para que serve e benefícios na saúde

Os benefícios da ingestão de astaxantina também incluem melhorias na qualidade do sangue, por exemplo. De acordo com estudos, o consumo de doses de 6 a 8 mg diárias ajuda a reduzir a oxidação do colesterol LDL, diminuindo o risco de entupimento das artérias. Além disso, o composto aumenta o fluxo sanguíneo e reduz a concentração de açúcar no sangue, especialmente em pacientes diabéticos e com pressão arterial alta.

Continua após a publicidade

Ajuda no tratamento do câncer

Astaxantina: para que serve e benefícios na saúde

A análise das propriedades antioxidantes da astaxantina revelou que o carotenoide pode ser eficiente no tratamento contra alguns tipos de câncer. A longo prazo, por exemplo, o composto inibiu o crescimento de células maléficas em pacientes com câncer de mama.

Neutraliza radicais livres

Astaxantina: para que serve e benefícios na saúde

Um dos principais riscos da presença de radicais libres no corpo é o risco de inflamações e doenças causadas por eles. Uma vez que a ação da astaxantina é antioxidante, ajuda a neutralizar tais radicais, protegendo o corpo de uma série de condições de saúde.

Promove o corpo de doenças do estômago

Astaxantina: para que serve e benefícios na saúde

A astaxantina tem efeitos gastroprotetores a partir da ação direta contra a bactéria Helicobacter pylori. Sendo assim, ela é responsável por gerar úlceras estomacais e câncer de estômago, o que significa que o consumo do pigmento protege o corpo contra o desenvolvimento das inflamações.

Continua após a publicidade

Aumenta a fertilidade

Astaxantina: para que serve e benefícios na saúde

Evidências clínicas apontam que a ingestão de astaxantina pode favorecer a fertilidade em homens. De acordo com as pesquisas, homens que foram considerados inférteis por pelo menos 12 meses antes de iniciar o tratamento com o carotenoide apresentaram aumento significativo nos parâmetros de fertilidade. Em média, o crescimento foi de cinco vezes maior do que no período sem a ingestão do composto.

Equilibra a testosterona

Astaxantina: para que serve e benefícios na saúde

Além de promover a fertilidade masculina, a astaxantina também tem outros efeitos ligados ao hormônio masculino. Isso porque o uso do composto foi capaz de inibir a ação da enzima 5-afa-reductase, que converte testosterona em hidrotestosterona. Ou seja, sem a conversão do hormônio, o corpo tem menos riscos de desenvolver condições como calvície de padrão masculino e aumento da próstata, com possível evolução para câncer de próstata.

Protege contra doenças do rim

Astaxantina: para que serve e benefícios na saúde

Análises feitas com ratos diabéticos revelaram que o consumo de astaxanina reduziu a hipertrofia glomerular, uma condição que ocorre na parte do rim em que acontece a filtragem do sangue. Sendo assim, é possível considerar que o composto ajuda a frear o avanço de doenças renais diabéticas, garantindo a saúde do órgão por muito mais tempo.

Continua após a publicidade

Aprimora o cérebro

Astaxantina: para que serve e benefícios na saúde

De acordo com evidências científicas, os efeitos da astaxantina também protegem o cérebro de doenças neurodegenerativas. Animais pesquisados apresentaram redução de propriedades nocivas de estresse oxidativo em neurônios produtores de dopamina, o que indica, então, que a alta concentração do carotenoide seria eficiente na proteção contra neurodegeneração associada à doença de Parkinson, Alzheimer e outras demências.

Fontes de astaxantina

Astaxantina: para que serve e benefícios na saúde

A principal fonte natural de astaxatina estão no salmão, natural do Pacífico. Além disso, o carotenoide pode ser encontrado em outros frutos do mar, como lagosta, camarão ártico, caranguejo, truta vermelha, krill e algumas algas.

A maior concentração na hora do consumo, entretanto, está em suplementos naturais. Nesse caso a indicação de consumo é de cerca de 6 a 8 mg por dia, por meio de produtos como óleo de salmão enriquecido ou suplemento Krill Oil, por exemplo.

A princípio, não existem efeitos colaterais observados em análises laboratoriais. Doses que variam de 20 a 50 mg foram toleradas por pacientes pesquisados, mas ainda não é possível estabelecer um limite para a toxicidade do composto. Com exceção de fezes com tons de vermelho, nenhum outro efeito foi significativo.

Continua após a publicidade

O consumo durante a gravidez e a amamentação, no entanto, ainda não passou por observações suficiente para ser considerado seguro.

Além disso, aastaxantina também pode ser produzida de forma sintética, a partir produtos petroquímicos. Aqui, no entanto, a forma de consumo oferece menos benefícios, além de ser potencialmente inseguro e fora das normas de segurança indicadas.

Fontes bibliográficas

Baralic I (2015). Effect of Astaxanthin Supplementation on Salivary IgA, Oxidative Stress, and Inflammation in Young Soccer Players. Evid Based Complement Alternat Med., 783761.

Park JS (2010). Astaxanthin decreased oxidative stress and inflammation and enhanced immune response in humans. Nutrition & Metabolism, 7:18.

I. D. Miletic ID et al. (1996). Salivary IgA secretion rate in young and elderly persons. Physiology & Behavior, 60(1):243–248.

Matos-Gomes N et al. (2010). Psychological stress and its influence on salivary flow rate, total protein concentration and IgA, IgG and IgM titers.

Continua após a publicidade

NeuroImmunoModulation, 17(6): 396–404.

Ridker PM (2001). Role of inflammatory biomarkers in prediction of coronary heart disease. The Lancet, 358(9286):946–948.

Sun, Zheng, et al. “Protective actions of microalgae against endogenous and exogenous advanced glycation endproducts (AGEs) in human retinal pigment epithelial cells.” Food & function 2.5 (2011): 251-258.

Iwasaki, T., and A. Tawara. “Effects of astaxanthin on eyestrain induced by accommodative dysfunction.” Journal of the Eye 23.6 (2006): 829.

Yasunori, N. “The effect of astaxanthin on retinal capillary blood flow in normal volunteers.” J. Clin. Ther. Med 21.5 (2005): 537-542.

Liao, Jiahn-Haur, et al. “Astaxanthin interacts with selenite and attenuates selenite-induced cataractogenesis.” Chemical research in toxicology 22.3 (2009): 518-525.

Continua após a publicidade

Camera, Emanuela, et al. “Astaxanthin, canthaxanthin and β‐carotene differently affect UVA‐induced oxidative damage and expression of oxidative stress‐responsive enzymes.” Experimental dermatology 18.3 (2009): 222-231.

Malmstena, Curt L., and Åke Lignellb. “Dietary Supplementation with Astaxanthin-Rich Algal Meal Improves Strength Endurance–A Double Blind Placebo Controlled Study on Male Students–.” Carotenoid Sci 13 (2008): 20-22.

Aoi, Wataru, et al. “Astaxanthin improves muscle lipid metabolism in exercise via inhibitory effect of oxidative CPT I modification.” Biochemical and biophysical research communications 366.4 (2008): 892-897.

Próxima página »

Escolhidas para você