Curiosidades

Beijo na boca: história, tipos e como ele se consolidou uma troca de afeto

O primeiro registro do beijo na boca veio dos hindus, em 1200 a.C. No livro védico Satapatha, ele foi descrito recheado de sensualidade: “Amo beber o vapor de seus lábios”.

Já parou para pensar o quanto o beijo na boca é estranho e até um pouco anti-higiênico? Apesar disso, esse ato é bastante comum e se trata de algo exclusivamente humano. E sim, ele é estímulo o que “vem depois”.

Mas, você imagina de onde vem esse hábito? E, sobretudo, como surgiu o primeiro beijo na boca?

O primeiro registro do ato, afinal, veio do Oriente, do hindus. Em síntese, ele foi citado, em 1200 a.C, no livro védico Satapatha (textos sagrados em que se baseia o bramanismo). A passagem dizia: “Amo beber o vapor de seus lábios”.

Por outro lado, um segundo registro também antigo foi o de Mahabarata. Este, para quem não sabe, se trata de um poema épico, com mais de 200 mil versos, compilados, aproximadamente, no ano 1000 a.C. Basicamente, ele descreve: “Pôs a sua boca em minha boca, fez um barulho e isso produziu em mim um prazer”.

Continua após a publicidade

O detalhe, sobretudo, é que, nessa época, nem se escovavam os dentes ainda. Sabia disso?

Manual do beijo na boca

Entre 400 e 200 d.C, o próprio Kama Sutra trouxe outra versão sobre essa história, com preceitos do prazer detalhados. Cerca de 200 passagens detalhando a prática, moral e ética do beijo.

O “manual”, em suma, descreve  três tipos de beijo:

Continua após a publicidade
  1. O beijo “nominal”, no qual só poderia tocar a boca do amante com os lábios;
  2.  O “palpitante”, que permite movimentar apenas o lábio inferior;
  3. O beijo de “toque”, no qual a moça está autorizada a passar a ponta da língua nos lábios do namorado.

O Kama Sutra, aliás, foi o principal veículo para os historiadores descobrirem a idade do beijo. Até porque ele traz referências históricas e geográficas de tradições antigas.

Para quem ficou curioso: 16 tipos de beijos do Kama Sutra que você não conhecia

Se romantizou em Roma

Beijo na boca, quando e como surgiu? Conheça a história do beijo

Quando o beijo na boca, finalmente, estreou em Roma, os registros dos românticos foram essenciais.

Continua após a publicidade

Em resumo, haviam três versões do ato, segundo as escrituras encontradas:

  1. O osculum, o beijo de amizade;
  2. O basium, o mais estimulante, entre homem e mulher;
  3. O savium, que o poeta Ovídio definiu como “de língua, voluptuoso e vergonhoso”. Outro poeta romano, Catulo, o descreveu ainda como “mais doce do que o doce da ambrosia”.

Já, para os gregos, o beijo selava acordos e demonstrava respeito. Por causa disso, se os cidadãos tinham a mesma casta, se beijavam na boca. Se, entretanto, vinham de castas diferentes, o beijo era no rosto e até mesmo nos pés.

Perseguido pela Igreja

A partir do século IV, o beijo, então, começou a incomodar a Igreja Cristã, por seu excesso de sensualidade. Isso porque, na época, o gesto de beijar era apenas direcionado à adoração de imagens de santos.

Continua após a publicidade

O beijo de língua, portanto, era visto como ilícito e responsável por propagar doenças do corpo e da alma.

A luta contra ele foi tamanha que o Papa Inocêncio III, no século XII, proibiu o beijo para atos religiosos e humanos. “Beijo com objetivo de fornicação é pecado mortal, mesmo que ela não se consume”.

Beijo francês ou beijo inglês?

No século XVII, contudo, o beijo já havia ganhado glamour e declaração de paixão. Por isso, recebeu até mesmo um nome novo, sendo apelidado de “beijo francês”.

Porém, na França mesmo, o beijo de língua ganhou fama de “beijo inglês”. Vai entender!

Continua após a publicidade

Lugares onde o beijo na boca não pegou

Beijo na boca: Saiba como surgiu o hábito de se expressar assim

Entre a população indígena, todavia, mesmo com toda liberdade corporal e a nudez, o beijo só passou a ser praticado após a chegada dos europeus.

Já, no Japão, o beijo era reprovado até metade do século passado. Inclusive, quando foi exposta em Tóquio, em 1924, a escultura O Beijo, de Auguste Rodin – célebre artista francês -, gerou protestos. Ainda hoje, raramente, se vê um japonês beijar em público.

Então, gostou de saber onde ocorreu o primeiro registro de beijo na boca e tudo o mais? Pois, veja também: 11 segredos sobre o beijo que você deveria conhecer.

Continua após a publicidade

Fonte: Super Abril

Imagens: Fatos desconhecidosSuper Abril, tenor

Próxima página »

Escolhidas para você