Mitologia grega: o que é, deuses e outros personagens

Mitologia grega: quem são seus deuses, heróis e monstros e como ela ainda é relevante atualmente na cultura. Conheça mais sobre ela aqui.

Mitologia Grega Zeus

O que hoje chamamos de Mitologia Grega é a antiga religião praticada pelos povos de origem helênica, há milhares de anos, antes da conversão para o cristianismo. É uma das mais famosas e populares da história humana. São diversas narrativas, lendas e mitos que envolvem deuses, entidades e criaturas fantásticas.

Esses mitos possuem grande importância para a história das civilizações, uma vez que ela é uma das primeiras formas de registro dos povos helênicos. Através dos relatos mitológicos, é possível entender a visão de mundo dos antigos gregos, bem como suas crenças religiosas, moral e costumes.

O que é a mitologia grega?

Árvore genealógica da mitologia grega: deuses e titãs

Mitologia é um termo que vem do grego mythologia, que é uma combinação de duas palavras gregas: mýthos, que significa “história”, “narrativa” ou “lenda”, e lógos, que se traduz por “estudo” ou “discurso”. Em outras palavras, mitologia é o estudo das histórias e lendas que fazem parte de uma determinada cultura. A mitologia é, portanto, uma forma de explicar a realidade, as origens e os significados da vida e do universo.

Continua após a publicidade

A mitologia grega, por sua vez, é um conjunto de histórias, mitos e lendas que descrevem a religião e cultura dos antigos gregos. Ela é uma das mais antigas e influentes mitologias do mundo, que influenciou a cultura ocidental em vários aspectos, incluindo a literatura, filosofia, arte, política e religião.

A partir do século VII a.C., entretanto, os primeiros filósofos gregos começaram a questionar os mitos por meio da razão e da lógica. Esse pensamento deu origem à filosofia grega, uma das bases que levaram até a ciência moderna.

Continua após a publicidade

Além disso, com o domínio do Império Romano na religião, a mitologia grega persistiu por meio de um sincretismo religioso. Ou seja, os deuses gregos e romanos se misturaram e Zeus ficou conhecido como Júpiter, Hera como Juno, Poseidon como Netuno, e assim por diante.

Em 476 d.C., após a queda do Império e, por consequência, do advento da Idade Média, o cristianismo passou a prevalecer como religião do povo grego.

Continua após a publicidade

Politeísmo

Os antigos gregos eram politeístas, o que significa que acreditavam em vários deuses. A mitologia grega descreve cerca de 12 principais deuses do Olimpo, que governavam diferentes aspectos da vida humana e do universo.

Antropomorfismo

Os deuses e semideuses da mitologia grega eram, ao contrário da egípcia, por exemplo, descritos como seres humanos com características divinas, incluindo habilidades e poderes sobrenaturais. Eles possuíam emoções humanas, como amor, inveja, raiva e ciúme, e interagiam com os seres humanos em várias ocasiões.

Heróis e monstros

A mitologia grega é cheia de histórias sobre heróis, que são personagens que realizam feitos extraordinários e enfrentam desafios sobrenaturais. Eles eram frequentemente filhos de deuses e seres humanos, e muitas vezes se tornavam figuras lendárias.

Monstros são seres híbridos de humanos e animais ou, ainda, de várias outras criaturas; e que geralmente são os antagonistas dos deuses e heróis. Podiam nascer de maldições ou como castigo pelo desrespeito aos deuses.

Continua após a publicidade

Quais são os seres que aparecem na mitologia grega?

Árvore genealógica da mitologia grega: deuses e titãs

A mitologia grega tem início a partir dos deuses primordiais, que surgiram com a criação do mundo. Segundo textos do poeta Hesíodo, o primeiro a surgir foi o Caos e, a partir dele, Gaia. Dela, a história continua com os Titãs.

Os Titãs eram governos por Cronos. Ao lado de sua irmã, Réia, Cronos teve seis filhos: Héstia, Deméter, Hera, Hades, Poseidon e Zeus. Por causa de uma profecia, Cronos engolia todos os seus filhos após o nascimento. Dessa maneira, ele acreditava que evitaria o destino de ser destronado por um deles.

Logo após o nascimento de Réia, no entanto, a mãe protegeu o filho. Uma vez crescido, ele libertou os irmãos e deu início a uma guerra entre deuses e titãs. Dez anos de guerra se sucederam e os deuses saíram vitoriosos. Assim, o governo do mundo ficou dividido entre Zeus (céu e terra), Poseidon (mares) e Hades (submundo).

Continua após a publicidade

Na mitologia grega, além dos deuses, existem muitos outros seres que permeiam as histórias mitológicas. Entre os mais conhecidos estão os Centauros, Ciclopes, as terríveis Harpias, a Medusa, o Minotauro e as Sereias, entre muitos outros. Esses seres aparecem em muitas histórias mitológicas, geralmente como obstáculos ou desafios para os heróis enfrentarem.

Conheça alguns deles com mais detalhes:

1. Ninfas

Ninfas da Mitologia Grega

Eram seres femininos da natureza e dos elementos; como florestas, rios, montanhas e mares. Elas apareciam como belas mulheres jovens e tinham um papel importante na mitologia grega.

Continua após a publicidade

As ninfas se dividem em várias categorias, cada uma com suas características e funções específicas. As Ninfas que mais aparecem nas histórias são:

  • das árvores: conhecidas como hamadríades;
  • dos rios: conhecidas como náiades;
  • das montanhas: conhecidas como oreiades;
  • do mar: conhecidas como nereidas e oceânides.

As ninfas, respeitadas pelos gregos antigos, apareciam como protetoras dos lugares onde viviam. Representavam a fertilidade e à proteção da vida selvagem. As ninfas aparecem em várias histórias mitológicas, muitas vezes como personagens secundárias ou como companheiras dos deuses.

2. Centauros

Centauro da Mitologia

Eram seres com corpo de cavalo e torso humano. Eles apareciam como seres brutos e selvagens, que viviam nas florestas e montanhas da Grécia antiga.

Continua após a publicidade

Segundo a lenda, os centauros nasceram a partir do casamento entre Íxion, rei dos lápitas, com uma nuvem em forma de Hera, esposa de Zeus. O resultado foi um filho chamado Centauro, que mais tarde se tornou o pai de todos os centauros.

Os centauros eram conhecidos por sua habilidade em combate e, muitas vezes, como bêbados e luxuriosos. Apareciam em conflito com os heróis gregos, como Hércules e Teseu.

Apesar de sua reputação de brutos e violentos, alguns centauros, como Quíron, eram sábios e benevolentes. Quíron, por exemplo, foi o professor de muitos heróis gregos, além de curandeiro e conselheiro. Mas vale lembrar que sua origem, no entanto, foi diferente, sendo ele filho de Cronos com a Ninfa Filira.

3. Heróis

Herói da Mitologia Grega

Continua após a publicidade

Os heróis gregos eram personagens lendários da mitologia grega que se destacavam por suas habilidades excepcionais e feitos heroicos. Eles eram filhos de deuses e mortais, com qualidades e habilidades superiores aos humanos comuns.

Os heróis gregos eram figuras corajosas, fortes e inteligentes que lutavam contra monstros, venciam desafios e salvavam pessoas em perigo. Eles apareciam juntos a deuses e deusas, muitas vezes recebendo ajuda divina em suas aventuras.

Alguns dos heróis mais famosos da mitologia grega incluem:

  • Hércules (ou Héracles): filho de Zeus e Alcmena, famoso por seus 12 trabalhos e sua força sobre-humana.
  • Perseu: filho de Zeus e Danae, famoso por derrotar a Medusa e salvar Andrômeda.
  • Teseu: filho de Egeu, rei de Atenas, famoso por matar o Minotauro e unificar a Grécia.
  • Jasão: líder dos Argonautas, famoso por buscar o Velocino de Ouro.
  • Aquiles: filho da deusa do mar Tétis e do mortal Peleu, famoso por sua invencibilidade em batalha (exceto por seu calcanhar).

Os heróis gregos eram frequentemente retratados em obras de arte, como pinturas e esculturas, e ainda são lembrados e celebrados na cultura popular até hoje. Eles simbolizam a coragem, a força e a sabedoria necessárias para superar obstáculos e triunfar em tempos difíceis.

Continua após a publicidade

4. Górgonas

Na mitologia grega, as Górgonas eram três irmãs monstruosas, chamadas de Esteno, Euríale e Medusa. Elas eram descritas como tendo asas de ouro, presas de javali e serpentes em vez de cabelos. O olhar direto de uma Górgona era capaz de transformar um homem em pedra.

A mais famosa das três irmãs era Medusa, que em um certo ponto era uma bela mulher mortal. Atena a transformou num monstro terrível, como punição por ter tido relações sexuais com o deus Poseidon em um templo da deusa. Assim nos conta o poeta romano Ovídio. Mas existem, ainda, outras versões dessa história. Como você pode ver no vídeo abaixo.

Eventualmente, o herói Perseu, filho de Zeus, matou Medusa com um escudo polido como um espelho. Assim conseguiu evitar o olhar petrificante. De acordo com a lenda, da cabeça decepada de Medusa surgiu o cavalo alado Pégaso.

Continua após a publicidade

As Górgonas apareciam em muitas obras de arte, pinturas e esculturas, e ainda hoje estão na cultura popular. Elas representam o perigo e o terror que os heróis gregos enfrentaram em suas aventuras, assim como, demonstram a capacidade da mitologia grega de criar seres monstruosos e sobrenaturais.

5. Sereias/Sirenas

Sirena Mitologia Grega

Ao contrário dos mitos mais recentes, em que Sereias são misto de peixes e mulheres, na mitologia grega as Sereias (ou sirenas) eram criaturas metade mulheres e metade pássaros. Elas habitavam uma ilha próxima à costa da Sicília. Sua beleza e voz encantadoras, aliás, atraiam os marinheiros para a morte nas rochas perigosas da costa.

As Sereias eram três irmãs, filhas de Aqueloo, o deus-rio. Elas apareciam com asas de pássaro, garras afiadas e uma voz hipnotizante capaz de seduzir qualquer um que a ouvisse. Na Odisseia de Homero, o herói grego Odisseu ordena que seus homens encham seus ouvidos de cera para não ouvirem o canto das Sereias enquanto passam pela ilha delas.

Continua após a publicidade

Algumas versões da lenda dizem que as Sereias eram originalmente ninfas que se tornaram seres monstruosos. Outras versões, entretanto, dizem que as Sereias eram responsáveis por seduzir e matar homens que desrespeitavam as leis divinas.

6. Sátiros

Sátiro da Mitologia

Para os gregos, os Sátiros eram criaturas metade humanas e metade bodes, assim conhecidos por sua natureza selvagem e luxuriosa. Apareciam em festas e celebrações, dançando e bebendo vinho.

Os Sátiros eram seguidores do deus do vinho e da fertilidade, Dionisio, e estavam sempre com ele. Famosos pela habilidade de tocar flauta e dançar, apareciam em peças de teatro e na arte grega.

Continua após a publicidade

Também se relacionavam com a natureza e com a vida selvagem, aparecendo em cenas de caça.  Eram criaturas alegres e brincalhonas, mas podiam ser perigosos quando provocados ou sob o efeito do vinho. Essas histórias simbolizavam a tensão entre o desejo sexual e a natureza, e mostravam a luta entre a civilização e a natureza.

7. Ciclopes

Ciclope Mitologia

Entre os gregos, os Cíclopes eram gigantes com um único olho no meio da testa. Eles eram filhos de Gaia, a deusa da terra, e eram famosos por sua força e habilidade em trabalhar com metais.

Segundo a lenda, os Cíclopes foram responsáveis por criar os relâmpagos e o trovão para o deus Zeus, bem como as armas para outros deuses gregos. Eles eram habilidosos ferreiros e trabalhavam em uma oficina nas profundezas da terra, onde criavam objetos de grande beleza e poder.

Continua após a publicidade

Os Cíclopes (aqui conhecidos como os Ciclopes Homéricos) também são conhecidos por terem um papel importante na história de Odisseu, um herói grego que tentou voltar para casa após a Guerra de Troia. Durante sua jornada, Odisseu e seus homens acabaram na ilha dos Cíclopes, onde foram feitos prisioneiros. Odisseu conseguiu enganar o Cíclope Polifemo e escapar com seus homens, mas não antes de provocar a ira do gigante.

Eles são uma parte importante da mitologia grega e são frequentemente retratados na arte e na cultura popular. Representam a força bruta e a habilidade em trabalhar com metais, mas também podem ser vistos como criaturas perigosas e imprevisíveis.

8. Gigantes

Seres poderosos e imponentes, os Gigantes são frequentemente vistos como inimigos dos deuses olímpicos. De acordo com a lenda, os Gigantes eram filhos de Gaia, a deusa da terra, e de Urano, o céu estrelado.

Continua após a publicidade

Os Gigantes eram famosos pela força e resistência, bem como por sua capacidade de desafiar os deuses. Eles são frequentemente vistos em batalhas épicas contra os deuses gregos, tentando derrubar o Olimpo e reivindicar o poder para si mesmos.

Uma das batalhas mais famosas envolvendo os Gigantes é a Gigantomaquia, uma guerra que ocorreu entre os deuses do Olimpo e os Gigantes. A batalha foi feroz e durou muitos anos, mas os deuses finalmente conseguiram vencer graças à ajuda de heróis gregos como Hércules e Teseu.

Na arte e na literatura grega, os Gigantes representavam a força bruta e a resistência contra o poder dos deuses. Eles simbolizam a luta eterna entre o homem e o divino, bem como a capacidade humana de desafiar as limitações e buscar a grandeza.

9. Titãs

Continua após a publicidade

Na mitologia grega, os Titãs eram uma raça de divindades poderosas que governaram o mundo antes dos deuses olímpicos. Eram filhos de Urano, o céu estrelado, e Gaia, a deusa da terra.

Os Titãs eram doze em número e cada um deles governava sobre uma esfera específica do mundo, incluindo o oceano, a luz, a agricultura e a justiça. Os mais conhecidos entre eles eram Cronos, Oceano, Réia, Têmis e Atlas.

Cronos, o mais jovem dos Titãs, derrubou seu pai Urano e governou o mundo por muitos anos. No entanto, ele foi posteriormente deposto por seu próprio filho, Zeus, que se tornou o governante do Olimpo e o líder dos deuses olímpicos.

Quais são os deuses da mitologia grega?

Deuses Gregos estátuas

Continua após a publicidade

1. Zeus

Zeus é o rei dos deuses na mitologia grega e governa o Monte Olimpo, o lar dos deuses. Filho do titã Cronos e da titânide Réia, Zeus liderou a luta contra seu pai e seus irmãos Titãs para, então, estabelecer sua supremacia como o governante do universo.

Como rei dos deuses, Zeus é frequentemente retratado como um deus justiceiro e poderoso, capaz de controlar o clima e lançar raios para demonstrar sua ira. Ele também é conhecido por seus muitos romances com mortais e deusas, o que, é claro, resultava em muitos filhos semideuses, como Hércules, Perseu ou, ainda, a bela Helena de Tróia.

Além de seu papel como governante do universo, Zeus também é associado à ideia de justiça divina. Afinal, ele é responsável por manter a ordem e a justiça no mundo, e muitas vezes é invocado pelos mortais em busca de justiça e proteção.

2. Atena

Atena é uma das principais deusas da mitologia grega, a deusa da sabedoria, da justiça e da guerra estratégica. Era vista como uma guerreira corajosa e inteligente, que usa sua astúcia para vencer batalhas e defender os fracos.

Continua após a publicidade

Ela é muitas vezes idealizada com uma coruja, que é considerada um símbolo da sabedoria, e também é associada a animais como a serpente e a corça. Atena é uma das poucas deusas gregas que não se envolve em relacionamentos amorosos, famosa pela castidade e foco na justiça e na sabedoria.

Uma figura importante na mitologia grega, Atena aparece em muitas histórias e lendas. Ela é considerada a patrona da cidade de Atenas, e seu templo, o Partenon, é um dos monumentos mais famosos da Grécia Antiga.

3. Hera

Hera é a rainha dos deuses na mitologia grega e esposa de Zeus, associada ao casamento e à maternidade. 

Como esposa de Zeus, Hera tem um papel importante na mitologia grega, sendo a mãe de muitos deuses e semideuses. Ela é retratada, geralmente, como ciumenta e vingativa, punindo aqueles que cruzam seu caminho ou que desafiam sua autoridade.

Continua após a publicidade

Hera é muitas vezes associada a animais como pavões, vacas e leões. Também é considerada a protetora do casamento, e muitas vezes é invocada por noivos em busca de sua bênção e proteção.

4. Poseidon

Poseidon era o deus do mar, dos terremotos e dos cavalos. Filho de Cronos e Réia, ele era irmão de Zeus e Hades, e um dos doze deuses do Olimpo. Na mitologia grega, Poseidon era um dos deuses mais poderosos e temidos. Seu poder era tão grande que até mesmo Zeus, o rei dos deuses, tinha medo dele.

Era frequentemente representado com tridente, um instrumento que ele usava para controlar as águas e provocar terremotos. Além disso, o deus do mar também era retratado em um carro puxado por cavalos, outro de seus símbolos.

Poseidon também teve muitas amantes na mitologia grega, e muitos dos heróis da mitologia eram filhos dele. Um dos mais famosos foi Teseu, o herói de Atenas que matou o Minotauro. Teseu era o filho de Poseidon com Etra, princesa de Trézene.

Continua após a publicidade

5. Afrodite

Afrodite é a deusa grega do amor, da beleza, da paixão e da fertilidade.

Era a filha de Zeus e Dione, segundo Homero. Mais tarde, no entanto, Hesíodo escreveria como ela emergiu do mar em uma concha de ostra. Ela tinha o poder de influenciar as emoções e desejos das pessoas, e era muitas vezes retratada, por isso, em lendas como a causa do amor e da luxúria entre deuses e mortais.

Adorada em toda a Grécia antiga como a deusa da fertilidade e do amor, e seu templo em Cnido era um dos locais mais sagrados da antiga religião grega.

Afrodite era representada, além disso, ao lado de outras divindades como Atena, Hera e Deméter. Ela é considerada uma das mais belas e poderosas deusas da mitologia grega, e sua influência é sentida em todo o mundo da arte, literatura e cultura popular até hoje.

Continua após a publicidade

6. Hades

Hades era o deus grego do submundo, responsável por governar sobre os mortos, assim como as profundezas da terra. Ele era irmão de Zeus e Poseidon, e formavam portanto, a tríade dos deuses mais poderosos do panteão grego.

Ele governava o mundo dos mortos com sua esposa Perséfone, que sequestrou para ser sua rainha do submundo. Os vivos tinham medo dele, justamente por sua influência sobre a morte e por sua capacidade de punir aqueles que transgrediam as leis do mundo inferior.

Na mitologia grega, Hades era visto como um deus sombrio e sinistro, mas também como um juiz justo e imparcial que governava sobre a vida após a morte. Seu domínio sobre o submundo incluía muitos seres como as Erínias, os Cérberos e os espíritos dos mortos.

Apesar de não ser tão reverenciado quanto outros deuses do panteão grego, Hades era invocado em cerimônias funerárias e rituais de adoração aos mortos.

Continua após a publicidade

7. Héstia

Héstia era a deusa grega do lar e da lareira. Ela era a irmã mais velha de Zeus e uma das doze divindades olímpicas do panteão grego. Héstia aparecia como uma figura suave e serena, e os mortais a veneravam como a protetora da vida doméstica, da harmonia e da segurança.

Na mitologia grega, Héstia era a guardiã do fogo sagrado do lar e era responsável por manter a chama eterna que representava a união e a estabilidade da família. Ela era invocada em cerimônias religiosas e domésticas, e seus altares eram comuns nas casas gregas.

Ao contrário de muitas outras divindades do panteão grego, Héstia não se envolvia nas intrigas e conflitos dos deuses, mas sim se dedicava a cuidar do lar e a garantir a harmonia e a paz dentro das famílias. Seu papel era tão importante, que todas as refeições começavam com uma oferenda a Héstia, em reconhecimento à sua proteção e bênção sobre o lar e a comida.

8. Ares

Marte para os romanos, Ares era o deus da guerra e da violência, filho de Zeus e Hera. Ele ficou conhecido por sua natureza agressiva e sanguinária, muitas vezes retratado em batalha usando uma armadura e carregando uma lança ou espada.

Continua após a publicidade

Apesar de ser um dos doze deuses olímpicos, não era bem visto pelos mortais, pois suas atividades não eram nobres e heroicas como as de outros deuses. Por esta razão, muitos deuses o desprezavam, e sua figura não era muito reverenciada pelos gregos.

No entanto, apesar de ser uma figura impopular, Ares era considerado pelos gregos como um deus importante na guerra, onde ele era encarregado de liderar o exército de deuses na batalha. Além disso, ele também era o protetor dos soldados e guerreiros, e muitas vezes era invocado antes da batalha para dar coragem aos combatentes.

Ares tinha muitos amantes, incluindo a deusa do amor, Afrodite, com quem teve vários filhos.

9. Ártemis

Era filha de Zeus e Leto e irmã gêmea de Apolo; a deusa da caça, da natureza selvagem, da lua e das mulheres jovens e virgens. Ártemis surgia como uma jovem donzela com um arco e flechas, perseguindo animais selvagens nas florestas.

Continua após a publicidade

Além de suas habilidades de caça, Ártemis também aparecia como protetora da juventude feminina e da virgindade. De acordo com a mitologia, ela ficou chocada quando sua seguidora favorita, a caçadora Calisto, engravidou. Como resultado, Ártemis transformou Calisto em um urso. No entanto, quando Calisto morreu, Zeus a colocou nos céus como a constelação Ursa Maior.

10. Apolo

Apolo era um dos deuses mais importantes da mitologia grega, sendo associado a diversas áreas da vida, como música, poesia, medicina, profecia, entre outras. Ele era filho de Zeus e Leto, e irmão gêmeo de Ártemis.

Apolo também era um deus solar, o que o tornava um símbolo de luz e vida. Na mitologia grega, além disso, ele era muitas vezes invocado para ajudar a curar doenças e outras enfermidades.

No entanto, Apolo também tinha um lado sombrio, como deus da praga e da destruição. Segundo a lenda, ele teria enviado uma praga para a cidade de Troia durante a Guerra de Troia, como vingança pela ofensa de um de seus sacerdotes.

Continua após a publicidade

11. Deméter

Era a deusa grega da agricultura, colheita e fertilidade da terra. Filha de Cronos e Réia, e irmã de Zeus, Hades, Poseidon, Hera e Héstia. Deméter era muito popular entre os camponeses e agricultores, pois eles dependiam da fertilidade da terra para sobreviver.

A mitologia grega conta que Deméter teve uma filha com Zeus chamada Perséfone. Hades, o deus dos mortos, se apaixonou por Perséfone e a raptou para o submundo. Deméter ficou inconsolável e abandonou suas tarefas de fertilizar a terra, fazendo com que ficasse infértil. Zeus interveio e ordenou que Hades devolvesse Perséfone a Deméter, mas Hades conseguiu enganar Perséfone para que ela comesse uma semente de romã no submundo, o que a obrigava a retornar ao mundo dos mortos por alguns meses do ano. Assim, durante o tempo em que Perséfone ficava com Hades, Deméter ficava deprimida e a terra ficava sem colheita.

A história de Deméter e Perséfone simboliza o ciclo anual das estações, em que a primavera e o verão são períodos de fertilidade e colheita, enquanto o outono e o inverno são períodos de dormência e infertilidade. Deméter também era cultuada em rituais de mistério em Eleusis, onde os iniciados participavam de cerimônias secretas para receber ensinamentos sobre a vida após a morte e a imortalidade da alma.

12. Eros

Eros é a divindade grega do amor e da paixão, o Cupido na mitologia romana. Desse modo, aparecia como um jovem alado que carregava um arco e flechas.

Continua após a publicidade

Segundo a mitologia grega, Eros era filho de Afrodite, a deusa do amor e da beleza, e de Ares, o deus da guerra.

Era responsável por inflamar o amor e a paixão nos corações das pessoas, tanto entre humanos quanto entre deuses. A figura de Eros era muito popular na arte e na literatura grega, sendo bastante representada em pinturas, esculturas e poemas e até hoje, na cultura popular.

13. Perséfone

Na mitologia grega, Perséfone era a deusa da primavera e do submundo.

Isso porque ela passava metade do ano no submundo, como a esposa de Hades, e a outra metade na superfície, como a deusa da primavera, trazendo, então, o renascimento da natureza após o inverno. Sua história é vista como uma representação da vida e morte, com sua jornada para o submundo simbolizando a morte e seu retorno à superfície, simbolizando, assim, a vida renovada.

Continua após a publicidade

Ela é adorada pelos agricultores como a deusa da fertilidade e da abundância.

14. Cronos

Na mitologia grega, Cronos era um dos Titãs, filho de Urano (o Céu) e Gaia (a Terra) e deus do tempo e da agricultura. Quando seu pai começou a dar problemas, Gaia ajudou Cronos a castrá-lo e assim ele se tornou o governante do universo. No entanto, de acordo com a profecia, Cronos seria destronado por um de seus próprios filhos.

Por esse motivo, ele devorou seus filhos assim que nasceram, exceto Zeus, que foi salvo por sua mãe, Réia. Quando Zeus cresceu, ele se rebelou contra seu pai e derrotou-o, tornando-se o novo rei dos deuses.

15. Gaia

Gaia era a personificação da Terra na mitologia grega. Um dos deuses primordiais, Gaia era uma figura maternal e responsável, portanto, por trazer a vida à Terra e a todas as suas criaturas.

Continua após a publicidade

Na mitologia, Gaia se casou com Urano, o deus do céu, e juntos eles tiveram vários filhos, incluindo os Titãs e as Titânides. No entanto, Urano era muito possessivo e mantinha seus filhos presos no interior de Gaia, causando grande sofrimento a ela e a seus filhos.

Gaia se revoltou contra o marido e convocou seus filhos para que a ajudassem a se libertar de Urano. Cronos, um dos Titãs, respondeu ao chamado de Gaia e castrou Urano, libertando seus irmãos e irmãs.

Após a queda de Urano, Gaia se tornou a mãe de todos os seres vivos da Terra, e os gregos a cultuavam como uma divindade da fertilidade e da natureza.

16. Hermes

Na mitologia grega, Hermes era o deus da comunicação, do comércio e dos viajantes. Era filho de Zeus e de Maia, uma das Plêiades, e nasceu na caverna de Cyllene, na Arcádia.

Continua após a publicidade

Hermes se tornou um mensageiro divino, além de responsável por levar as ordens dos deuses para os mortais, e, além disso, por transmitir as preces dos homens aos deuses. Tudo isso sem contar que era o patrono dos comerciantes, dos ladrões e dos atletas.

Entre seus símbolos estavam o caduceu, um bastão com duas serpentes entrelaçadas, que representava sua habilidade em negociar e proteger os viajantes, e as sandálias aladas, que permitiam que ele se movimentasse com rapidez e facilidade entre os mundos divino e mortal.

17. Dionísio

Dionísio, também conhecido como Baco na mitologia romana, era o deus grego do vinho, das festas, da loucura, além do teatro e da fertilidade. Ele era filho de Zeus e da mortal Sêmele.

Era, também, o responsável por trazer alegria e diversão aos festivais e celebrações, além de ser um patrono do teatro e da música.

Continua após a publicidade

Dionísio também era considerado o guardião das vinhas e da produção de vinho, e era adorado por aqueles que buscavam sua ajuda na produção de bebidas alcoólicas. Seus seguidores, conhecidos como bacantes, eram famosos por seus rituais de adoração, que incluíam dança, música e consumo exagerado de vinho.

Principais autores que abordaram a mitologia grega em suas obras

1. Homero

Homero é o autor de duas obras-primas da literatura grega antiga: a Ilíada e a Odisseia. Ambas apresentam histórias e personagens da mitologia grega, além dos deuses do Olimpo, assim como os heróis Aquiles e Ulisses, e criaturas mitológicas como as sereias e o Ciclope Polifemo. Foi ele quem criou boa parte do que hoje a gente entende como mitologia grega, dando personalidade, sentimentos humanos e até mesmo conflitos para os Deuses do Olimpo.

2. Hesíodo

Hesíodo foi um poeta grego antigo que também escreveu sobre a mitologia grega. Sua obra mais famosa é Teogonia, que narra a criação dos deuses e a sucessão de poder no Olimpo. Ele também escreveu Trabalhos e Dias, uma obra que explora temas como justiça, trabalho e a vida humana. Embora não fosse um poeta competente como Homero (narrativamente falando), foi Hesíodo quem estabeleceu a genealogia dos deuses. É graças a ele que, hoje, temos uma Árvore Genealógica na Mitologia Grega.

Continua após a publicidade

3. Ovídio

Ovídio foi um poeta romano que escreveu uma das obras mais famosas sobre a mitologia greco-romana: as Metamorfoses. Este poema épico conta histórias de deuses e heróis gregos e suas transformações em criaturas e objetos. Ovídio também escreveu outras obras mitológicas, como As Heroidas e A Arte de Amar.

Importância da mitologia grega para a sociedade

Grécia Antiga

A mitologia grega teve uma importância fundamental na Grécia Antiga, afinal uma forma de explicar o mundo e os fenômenos naturais, além de estabelecer a relação entre os deuses e os homens.

Atualmente

Hoje em dia, a mitologia grega ainda é muito relevante, principalmente na literatura, nas artes e no entretenimento em geral. As histórias e personagens mitológicos, bastante adaptados para filmes e séries, além de jogos e livros, continuam atraindo um público amplo e diverso. Ademais, a mitologia grega continua estudada e pesquisada por historiadores, que buscam compreender o seu impacto na cultura ocidental e na formação das sociedades contemporâneas.

E se você gosta de Mitologia Grega, considere também se inscrever no nosso canal.

Continua após a publicidade

Fontes: Toda Matéria, Brasil Escola, Info Escola, Mundo Educacao

Outras postagens