História

Canibalismo: o que é, origem e casos que chocaram o mundo

Se você acha que canibalismo existe só no reino animal, você está errado. Afinal, já existem inúmeros casos bem chocantes entre humanos.

Você, certamente, já ouviu falar sobre o canibalismo? Mas, será que sabe mesmo o que significa?

Acima de tudo, canibalismo é uma relação desarmônica entre uma mesma espécie. Basicamente, é quando um ser é capaz de comer parte ou até mesmo todo o corpo de um indivíduo da mesma espécie.

Contudo, felizmente, essa prática é considerada, nos dias de hoje, crime perante a lei. Inclusive, o canibal praticante pode ser processado por mutilação e profanação de cadáver.

Origem histórica

Essa relação, obviamente, é considerada um desrespeito ao ser humano. Contudo, na Era Antiga, o canibalismo ocorria como um ato comum, em rituais. Aliás, inúmeras tribos costumavam sacrificar outros seres humanos para comer uma parte ou até toda a carne do corpo da vítima.

Canibalismo, o que é? Origem, tipos e 4 casos que chocaram o mundo
Ilustração de um ritual canibal asteca – Fonte: Famsi

Porém, o canibalismo ficou mais conhecido entre os povos astecas. Eles sacrificavam e comiam os guerreiros prisioneiros de guerra e também de outras tribos.

Contudo, o canibalismo também era comum em rituais satânicos. Basicamente, nesses rituais, era normal um indivíduo ser sacrificado para algum deus.

Continua após a publicidade

Aliás, os adeptos dos rituais satânicos acreditavam que, ao comer a carne de suas oferendas, eles iriam receber toda sua força e seu poder. Além do mais, em alguns rituais como este, acreditavam-se que, se a pessoa sacrificada tivesse possessão de algum demônio, este mesmo passaria para o canibal. Consequentemente, ele ficaria mais poderoso.

Enfim, essas são algumas crenças e lendas já existentes sobre o canibalismo. Confira agora mais detalhes sobre essa prática.

A prática canibal no mundo animal

Canibalismo- O que é + 4 casos que chocaram o mundo
Fonte: Cobras

Sobretudo, no mundo animal, a prática do canibalismo é mais comum. Inclusive, para eles, ela funciona como uma forma de sobrevivência entre as espécies. Como por exemplo, podemos destacar que o canibalismo é comum entre as cascavéis, tubarões e os chimpanzés.

Contudo, cada caso é diferente. Por exemplo, cerca de 68% das cascavéis comem os seus filhotes recém-nascidos. Aliás, geralmente, elas fazem isso porque é uma forma das mães cobras conseguirem recuperar a sua saúde.

Da mesma forma, ocorre com os tubarões. Normalmente, eles também comem seus filhotes com o intuito de melhorarem a saúde e conseguirem sobreviver por mais tempo.

Já, no caso dos chimpanzés, os quais inclusive, possuem cerca de 98% do DNA semelhante ao do ser humano; o canibalismo não é tão comum assim. Porém, pode-se destacar que já ocorreram de chimpanzés comerem os seus filhotes.

Continua após a publicidade

Canibalismo no Brasil

Fonte: Educa mais Brasil

Primeiramente, na história, o canibalismo ficou mais conhecida entre os povos astecas, os quais já citamos aqui. Contudo, no Brasil, existem relatos históricos de que índios brasileiros, da tribo Tupinambá, costumavam praticá-lo. Além do mais, normalmente, eles utilizavam a carne humana em rituais sagrados.

Vale ressaltar, inclusive, que eles acreditavam que, ao comer a carne dos adversários mortos, eles iriam conseguir herdar a bravura, a coragem e a força do oponente em questão. Além da carne dos adversários, era comum também eles comerem a carne de alguns integrantes da sua própria tribo. Aliás, eles acreditavam que serem comidos após a morte seria um símbolo de coragem e de honra.

Tipos de Canibalismo

Canibalismo- O que é + 4 casos que chocaram o mundo
Fonte: Educa mais Brasil

Primeiramente, é importante destacarmos que existem três tipos de canibalismo:

  • Endocanibalismo: Basicamente, esse tipo consiste em comer a carne de um membro de uma tribo específica. Geralmente, ocorre em um ritual de veneração de morte. Aliás, eles acreditavam que comer uma pessoa morta, era uma forma de manter a alma do morto perto da família.
  • Exocanibalismo: Sobretudo, esse tipo consiste na prática de comer a carne de uma pessoa com a intenção de roubar a sua força ou mostrar poder. Vale ressaltar, inclusive, que essa é uma das mais comuns entre os canibais.
  • Autocanibalismo: Enquanto isso, esse tipo, como o próprio nome já diz, consiste em comer pedaços de si mesmo. Contudo, existem casos diversos. Como por exemplo, casos em que essa prática está relacionada com as formas extremas de modificação corporal. Ou, então, casos em que a pessoa come pedaços de si mesma para que, assim, ela consiga beber o seu próprio sangue. Aliás, esse ato é conhecido como autovampirismo.
  • Canibalismo de sobrevivência: Além dessas práticas, existe também o chamado canibalismo de sobrevivência. Basicamente, esses casos são praticados por pessoas normalmente não canibais, mas expostas a situações extremas.

Inclusive, podemos destacar como um exemplo, o caso do Voo Força Aérea Uruguaia 571, o qual caiu na Cordilheira dos Andes, Chile, no dia 13 de outubro de 1972. Nesse caso, após um tempo sem socorro, os sobreviventes começaram a comer a carne das pessoas que já haviam morrido. Esse tipo de canibalismo, foi o que os mantiveram vivos por dois meses.

4 casos reais de canibalismo

1- Georg Grossman

Fonte: Aventuras na história

O primeiro caso relatado ocorreu no ano de 1921, durante a crise econômica vivida pela Alemanha, após a Primeira Guerra. Consequentemente, nesse período, a carne animal se tornou um produto raro. Assim, algumas pessoas, como por exemplo, o açougueiro Gerog Grossman, procuraram por formas mais exóticas de sobrevivência.

Basicamente, o caso do açougueiro começou quando ele dedidiu fabricar e vender salsichas, na estação ferroviária da cidade de Neuruppin, por um preço bem “camarada” para a época. Contudo, o que ninguém fazia ideia era que a carne da salsicha, na verdade, era carne humana.

Continua após a publicidade

Sobretudo, a carne das salsichas eram resultados de inúmeros assassinatos. De modo geral, Georg após praticar relações sexuais com algumas prostitutas da cidade, ele as matava, e moía suas carnes. Assim sendo, ele separava alguns quilos para consumo própria e vendia o restante em forma de salsichas. (Bizarro, não é mesmo?).

Contudo, esse meio nada humano de se ganhar dinheiro teve fim, após alguns vizinhos ouvirem gritos agudos saírem da casa de Grossman. Assim sendo, eles denunciaram e a polícia foi até a casa do açougueiro. Consequentemente, eles encontraram quatro cadáveres humanos desmembrados. Além de dezenas de dedos femininos em uma frigideira, sobre o fogão.

2- Issei Sagawa

Canibalismo- O que é + 4 casos que chocaram o mundo
Fonte: Aventuras na história

O segundo caso de canibalismo ocorreu em 1981, em Paris na França. O praticante de canibalismo foi Issei Sagawa, japonês, o qual fazia doutorado em Literatura Inglesa na Sorbonne, universidade parisiense. Contudo, aos 32 anos Sagawa foi internado em um manicômio, após ser responsável pela morte de uma jovem.

Basicamente, tudo começou quando ele convidou uma colega de classe para um jantar oriental em sua casa. Mas, tudo na verdade não passou de uma desculpa para praticar o ato horripilante. Na verdade o japonês matou a jovem e ainda comeu sua carne. Após um tempo internado ele foi solto. Inclusive, após ser solto, ele escreveu um livro sobre o seu caso de canibalismo.

O seu livro se chamou, In the Fog (Sob a névoa), e vendeu mais de 200 mil exemplares. Além do mais, ele foi adaptado para mangá e Sagawa ficou conhecido ainda como cult entre os leitores japoneses. Ou seja, ele se tornou uma celebridade em seu país. E para melhorar a história, ele também chegou a escrever uma coluna de gastronomia em uma revista. (Seria cômico, se não fosse verdade).

3- Jeffrey Dahmer

Fonte: Aventuras na história

Já o terceiro caso de canibalismo, ocorreu nos Estados Unidos, em meados da década de 90. Sendo mais específico, Jeffrey Dahmer foi preso e condenado a 957 anos de prisão, em 1991, após matar e comer 17 vítimas. Sobretudo, Jeffrey abordava jovens homossexuais em bares. Assim sendo, ele os convidavam para seu apartamento.

Continua após a publicidade

Normalmente, seu pretexto era para assistirem a filmes pornôs, ou fazer fotografias eróticas, ou até mesmo para verem sua coleção de borboletas. Contudo, após fazer práticas sexuais com suas vítimas, ele os drogavam, e matavam estrangulados ou com golpes de faca. Em seguida, os dissecavam.

Inclusive, ele tinha o costume de guardar as carnes em sacos plásticos em sua geladeira. Vale destacar ainda, que ele separava em carnes nobres, e carnes “para comer mais tarde”. Enquanto, os ossos e a carcaça das vítimas eram dissolvidos com ácido. E já os crânios eram limpos e guardados, como uma espécie de coleção.

Além dos crânios, ele também tinha como hábito guardar os órgãos genitais, os quais ele conservavam em formol. Após, ser preso, ele foi porto por outro preso. O qual, inclusive, era esquizofrênico e dizia ser a reencarnação de Jesus Cristo.

4- Armin Meiwes

Canibalismo- O que é + 4 casos que chocaram o mundo
Fonte: Aventuras na história

Antes de lhe expor esse caso, vale destacar que ele pode ser o caso mais esquisito de todos. Sobretudo, iremos falar do caso de Armin Meiwes, ou melhor, “o canibal de Rotenburg”. Basicamente, Armin era um alemão que usava a internet, com o intuito de achar jovens a fim de ser esquartejado e comido, em seguida.

Antes que você ache ser impossível de achar, é importante dizermos que ele achou não só uma pessoa, como na verdade 430 pessoas. Inclusive, ele tinha 43 anos, era engenheiro e se chamava Bernd Jurgen Armando Brandes. Além do mais, era classificado como sadomasoquista.

Após ler o anúncio de Armin, em 2001, eles combinaram de se encontrar. Para que assim Armin pudesse cortar, comer e matar Bernd. Assim sendo, eles praticaram relação sexual, e após isso a vítima tomou dez analgésicos. Assim sendo, a primeira parte do corpo a ser cortada foi o pênis de Bernd. O qual inclusive, ambos fritaram para comerem juntos.

Continua após a publicidade

Mesmo Bernd ser obcecado pela dor, ele não conseguiu resistir e logo após perdeu a consciência e desmaiou. Assim sendo, Armin o esfaqueou no pescoço e em seguida o esquartejou. Após isso, Armin se alimentou com a carne de Bernd por meses. Contudo, após acabar o suprimento, ele colocou outro anúncio na internet.

Mas, dessa vez, em 2002, ele foi preso pela polícia. Após isso, ele ficou internacionalmente conhecido e foi também condenado a prisão perpétua, por ter cometido o crime de homicídio com consumo de cadáver.

Dicas de filmes e livros sobre o canibalismo

Fonte: Jornalismo Júnior
  1. Devorando o Vizinho – Uma História do Canibalismo, Daniel Diehl e Mark P. Donnelly, Globo, 2007
  2. Hannibal (edição de bolso), Thomas Harris, 2012
  3. Hannibal: A origem do mal, Thomas Harris, 2015

Curiosidades

Canibalismo- O que é + 4 casos que chocaram o mundo
Fonte: Fantasticursos
  • Segundo as pessoas que já experimentaram a carne humana, ela tem o sabor da carne suína. E não possui um cheiro muito específico.
  • Para algumas tribos, o canibalismo é uma questão cultural. Inclusive, comer a carne humana depois de já apodrecida é um dos costumes mais comuns.
  • A título de curiosidade, comer carne crua pode desencadear uma série de problemas de saúde. Como por exemplo, no caso da carne humana, pode ocasionar um tipo de contaminação chamada de kuru. Aliás, os sintomas mais comuns são: tremores, crises histéricas de riso, fala embaralhada, dificuldade para engolir e paralisia muscular.
  • Na Idade Média consumir carne humana era uma prática que associava-se a tratamentos medicinais para dores de cabeça, feridas profundas, artrite e reumatismo. Além do mais, o sangue humano era consumido para o tratamento da epilepsia.
  • No período da Idade Média, os corpos de homens mortos nas batalhas eram coletados para fins medicinais. Vale ressaltar, inclusive que os corpos de mulheres virgens e homens enforcados eram considerados como mais valiosos.
  • Geralmente, a prática canibal é considerada como uma doença mental. E os canibais “modernos” são diagnosticados como esquizofrênicos ou psicopatas.
  • O canibalismo pode ser considerado uma prática viciosa. Aliás, segundo alguns especialistas, a mente de um canibal pode ficar obcecada pela vontade de comer carne humana e quando atinge o objetivo, seu cérebro é inundado de dopamina, uma substância responsável por causar intensa sensação de prazer. Por isso, pode desenvolver uma dependência.

Enfim, o que achou da nossa matéria? Você já sabia de algum desses casos de canibalismo?

Confira mais matérias do Segredos do Mundo: Zumbis – A origem pouco conhecida dos mortos vivos

Fontes: Brasil escola, Educa mais Brasil, Aventuras na História

Imagem de destaque: Youtube

Continua após a publicidade
Próxima página »

Escolhidas para você