Curiosidades

O que é o Chester tradicional da época natalina e diferença para o peru

Todos os anos, quando chega o Natal, as pessoas começam a falar do Chester. Mas, no fundo, quase ninguém sabe o que ele é realmente.

Todos os anos quando chega o Natal, vários tipos de carne aparecem na mesa do brasileiro. Em meio ao lombo recheado e ao peru, também está o Chester.

Certamente, você já comeu essa carne na sua ceia natalina, mas realmente sabe o que ela é? Muitas pessoas não sabem o que é, e por isso o Segredos do Mundo vai te contar.

O que é o Chester?

O que é um Chester e qual a sua diferença para o Peru?

Primeiramente, você precisa saber que o Chester é um tipo de frango. A sua diferença para os demais tipos é que possui o peito e as coxas bem rechonchudos. Além disso, ele tem menos gordura do que os outros.

Continua após a publicidade

Essa ave atinge sua idade para o abate pesando cerca de quatro quilos. Além disso, 70% da carne do chester está concentrada no peito e nas cochas.

Muitos teóricos da conspiração acreditam que as empresas criam esses bichos em segredo. Apesar disso, o Chester é realmente só um frango. Grande e diferente, mas um frango.

História do superfrango e relação com o Natal

O que é um Chester e qual a sua diferença para o Peru?

Inicialmente, em 1979, um executivo da Perdigão, Saul Brandalise Jr., criou uma alternativa para o peru de Natal da concorrente da época, Sadia. Foi um sucesso de vendas.

Continua após a publicidade

O especialista enviou aos EUA dois técnicos, que voltaram com 11 linhagens de uma galinha escocesa. Elas foram direto para a avícola Passo da Felicidade, em Tangará, no interior catarinense. A granja ficava no meio de uma reserva de araucárias, protegendo as aves de contaminação e garantindo sigilo.

Em 1982, após três anos de desenvolvimento, surgiu no mercado o Chester. A marca registrada vem do inglês chest, que significa “peito”. Anos depois, apareceu o Fiesta, o superfrango da Sadia.

Alimentação do Chester

Todos os Chesters possuem uma dieta de grãos 100% natural, principalmente milho e soja. Eles não são alimentados com subprodutos animais. Eles não são medicamentosos; isto é, eles não recebem antibióticos, hormônios de crescimento ou esteroides para aumentar a velocidade de seu crescimento ou para aumentar seu peso. Seu tamanho maior é estritamente por causa da sua genética.

O Natal é de longe a maior temporada de vendas de Chester no Brasil, assim como o de peru. Mas os Chesters estão disponíveis o ano todo, congelados. Além do mercado brasileiro, a Perdigão já exporta Baús para 25 países ao redor do mundo.

Continua após a publicidade

Chester X Peru

O que é um Chester e qual a sua diferença para o Peru?

Primeiramente, o Chester tem 60 cm e pesa 4 kg. Os machos são abatidos com 50 dias e as fêmeas com 35 dias. Apesar de ser fácil acha-lo para a ceia natalina, é difícil achar um ovo dele. Sua produção é sob controle e a venda é proibida, para manter o bicho exclusivo da marca.

Em contrapartida, o peru tem 60 cm e pesa 4,3 kg. Ele é abatido em 12 semanas. Apesar de americano, em inglês, peru é turkey – de turkey hen, “galinha turca”. Na Turquia, é “galinha da Índia”. Ave inca para os lusitanos, virou “peru” em português. Por fim, no Peru, ele se chama pavo.

Você gostou de saber mais sobre o superfrango chamado Chester? Então você também vai gostar de: Como é a ceia de Natal ao redor do mundo?

Continua após a publicidade

Fonte: Terra Super Interessante

Imagens: Vida Sana Super Panelinha, Monta Encanta, Pinterest

Próxima página »

Escolhidas para você