Natal: o que essa data realmente significa e como surgiu?

É difícil encontrar por aí que não goste do Natal, não é verdade? Até porque as pessoas costumam ligar essa época do ano aos presentes de Natal, às bebidas e confraternizações e, claro, às belíssimas comidas da ceia. Mas, você sabe o que realmente significa o Natal?

Comemorado no dia 25 de dezembro e  em sua véspera, na noite do dia 24, o Natal é a data em que se comemora o nascimento de Jesus Cristo. Conforme registros religiosos, essa data existe e é comemorada, pelo menos, há 1.600 anos, pelo menos de forma parecida como é hoje em dia.

O que significa “natal”?

Aliás, antes de mais nada, a palavra “natal” se refere ao local de nascimento ou ao próprio nascimento de alguém. Uma pessoa que nasceu em São Paulo, por exemplo, tem como “cidade natal” a cidade de São Paulo. Entendeu?

Mas, como você já deve ter percebido a diferença, quando a palavra Natal é escrita com “N” maiúsculo está referindo à festa religiosa cristã.

Essa comemoração, inclusive, foi estipulada pela Igreja Católica no ano 350, no século 4, por meio do Papa Júlio I. Desde então, o dia 25 de dezembro ficou oficializado como feriado santo e, com o tempo, entrou para o calendário do mundo ocidental.

O dia 25 de dezembro e o Natal

O problema, no entanto, é que não existe indícios algum de que Jesus Cristo tenha nascido durante o nosso Natal, no dia 25 de dezembro.

Como você já viu nessa outra matéria aqui (clique para ler) existe toda uma explicação complexa para a escolha da data, mas, basicamente, a Igreja resolveu abrir competição à festa pagã da Saturnália, que era celebrada entre os dias 17 e 25 de dezembro.

Símbolos do Natal

Embora muita gente não conheça a fundo o significado do Natal ou de onde vem sua origem verdadeira, é possível que quase todo mundo que comemora essa data conheça pelo menos alguns dos principais símbolos natalinos, que estão presentes nos ritos da época e até mesmo nas decorações.

Abaixo, como você vai ver, destacamos alguns e o que eles significam.

Árvore de Natal

Normalmente representada como um pinheiro, a árvores de Natal conta com vários significados. Um dos mais populares compara seu formato triangular à Santíssima Trindade, um dogma do cristianismo que representa o Pai, o Filho e o Espírito Santo em uma só pessoa.

Sobre o costume de enfeitar a árvore, registros históricos apontam que o ritual tenha surgido em Estrasburgo, na França, por volta do ano de 1539. Na América Latina, por outro lado, esse costume só se instalou mesmo no século 20.

Papai Noel

A figura do Papai Noel é inspirada em São Nicolau, um bispo do século III, que tinha o hábito de presentear as crianças. Nessa outra matéria aqui (clique para ler) você vai entender melhor como esse personagem popular surgiu e a história que o inspirou.

Estrela de Natal

A estrela que normalmente fica no topo da árvore de Natal simboliza a Estrela de Belém. No contexto religioso, essa foi a estrela que guiou os três Reis Magos até o local do nascimento de Jesus, segundo conta o Evangelho de Mateus.

Cientificamente, vários fenômenos astronômicos já foram citados como possível explicação à Estrela de Belém. O mais comum deles é que a estrela fosse um cometa, até mesmo devido à calda com a qual a estrela que fica sobre o presépio ou no topo da árvore de Natal costuma aparecer.

Outros estudos dizem que a estrela de Belém era, na verdade, era o cometa Harley em aproximação com a Terra. Entretanto, essa versão é contestada, já que o cometa provavelmente passou próximo ao nosso planeta por volta do ano 12 a.C, muito antes da época em que Jesus teria nascido.

Há ainda quem diga que a tal estrela tenha sido fruto de um fenômeno raro de conjunção entre os planetas Júpiter e Saturno com a estrela Regulus, considerada a maior da constelação de Leão. O resultado dessa combinação de corpos celestes, supostamente, seria um efeito luminoso bastante intenso.

Presentes de Natal

Na Bíblia, os três Reis Magos presentearam Jesus Cristo como ouro, incenso e mirra. Além disso, o bisco Nicolau, que inspirou o Papai Noel (como já mencionamos), também tinha o hábito de dar presentes.

Logo, a troca de presentes também é uma das tradições e simbolismos mais populares dessa época do ano.

Velas

Muito usadas nas decorações de Natal, as velas e outras iluminações típicas da época simbolizam o nascimento de Jesus Cristo como a “luz do mundo”.

Presépio

O significado dessa palavra tem a ver com o local onde se recolhe o gado ou o estábulo. Entretanto, no sentido religioso, o presépio remete ao local exato do nascimento de Jesus Cristo, onde Maria teria dado à luz, ao lado de seu marido, José.

Guirlandas

As guirlandas de Natal são uma espécie de enfeite feito com folhas, frutas ou ramagens entrelaçadas (mesmo quando o material é sintético).

Ao que tudo indica, a tradição de pendurar guirlandas na porta de casa vem das religiões pagãs. Esse enfeite era muito comum na época do ano que hoje comemoramos o Natal, quando antes era comemorado o solstício de inverno no Hemisfério Norte.

Na época, elas representavam uma espécie de boas-vindas aos Deuses e uma agradecimento à fartura das colheitas. Era também uma forma de manter a casa longe de má sorte e de demônios.

Ceia de Natal

O momento da família reunida ao redor da mesa farta envolve muitas tradições populares e tem também origem na festa pagã que comentamos acima. No cristianismo, ela represente o banquete eterno e a união da família.

Os próprios alimentos servidos na ceia de Natal têm seus significados particulares. Mas, como sabemos, é comum que os pratos sejam diferentes dependendo da parte do mundo em que você esteja passando a festividade. Enquanto aqui é comum o peru, na Europa se consome muitos frutos do mar e bacalhau, por exemplo.

E aí, você conhecia o verdadeiro significado do Natal? Sabia que o nascimento de Jesus não aconteceu no dia 25 de dezembro? Não deixe de nos contar tudo sobre o assunto nos comentários!

E, falando em tradições e simbolismos natalinos, você pode gostar de conferir ainda: Como é a ceia de Natal ao redor do mundo?

Fontes: Astrocentro, Calendarr, Significados