Como ficar jovem por mais tempo, segundo a Ciência

Todas as vezes que alguém fala em retardar o envelhecimento ou em ficar jovem por mais tempo, a gente já pensa em injeções no rosto e em cirurgias plásticas dolorosas, não é mesmo? Mas, segundo a Ciência, a fonte da juventude é muito mais acessível e menos radical que qualquer um de nós poderia imaginar.

De acordo com a Pesquisa Nacional de Saúde e Nutrição, do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), o grande segredo para ficar jovem por muito mais tempo é, nada menos, que exercício pesado, de alta intensidade. E, se você está pesando apenas no desconforto da malhação, talvez essa outra informação estimule você a mudar seus hábitos: o exercício intenso pode deixar uma pessoa até 9 anos mais jovem!

Conforme os cientistas, o que determina o nosso envelhecimento são os chamados telômeros das células, estruturas constituídas por fileiras repetitivas de proteínas e DNA que formam as extremidades dos cromossomos. A função dessas estruturas é impedir o desgaste de nosso material genético e manter tal do cromossomo estável. O envelhecimento, então, acontece todas as vezes que uma célula se reproduz, que é o momento em que esses telômeros encolhem um pouquinho mais.

Permanecer jovem x ralar na malhação

Depois de examinar os dados de 5.823 adultos durante o estudo, os pesquisadores perceberam que as pessoas sedentárias contavam com sinais de envelhecimento celulares mais intensos, ou seja, com telômeros mais curtos. As pessoas que faziam exercício físico de alta intensidade, por outro lado, tinham telômeros mais compridos e, por isso, pareciam mais jovens, em comparação com o grupo anterior.

Mas, veja bem, para ficar jovem mais mais tempo não adianta pegar leve na academia, algumas poucas vezes por semana. Para manter os telômeros compridos, no caso dos homens, por exemplo; é preciso de malhação intensa, por pelo menos 40 minutos por dia, cinco vezes por semana. No caso das mulheres, a única diferença é no tempo da jornada de exercícios, que precisa ser de 30 minutos, no mínimo.

Embora você possa sentir diferenças no bem-estar mesmo pegando leve na academia, os cientistas foram bem claros quando afirmaram que não há vantagens consideráveis entre as pessoas que tinham uma tinham uma rotina de exercícios mediana e quem, simplesmente, não se exercitava. Isso, pelo menos, no caso do comprimento dos telômeros.

Exercício pesado x períodos de descanso

Outra forma de permanecer jovem por mais tempo é mantendo a produção de proteína dos ribossomos e de energia, advinda da respiração celular proporcionada pelas mitocôndrias. Isso, mais uma vez, pode ser mantido em bom funcionamento com exercícios físicos de alta intensidade.

Conforme os pesquisadores, uma boa maneira de conseguir essa façanha é alternando malhação pesada com períodos de descanso, com treinamento intervalado de alta intensidade (HIIT).

Durante o estudo, o treinamento sugerido pelos estudiosos envolveu três dias por semana de ciclismo mais dois dias por semana de exercício em esteira. O resultado foi que o exercício intenso produziu maiores benefícios em nível molecular, tanto para os idosos quanto para os jovens. Segundo os estudiosos, as células dos voluntários mais velhos começaram a gerar energia a uma taxa comparável às células de corpos muito mais jovens.

Interessante, não? Que tal ir renovar sua matrícula da academia ou ir fazer aquela aula experimental do crossfit? E, para ajudar ainda mais em sua missão de ficar jovem, essa outra matéria pode ser a cereja do bolo: Quantos litros de água você bebe por dia? Conheça a fonte da juventude da vida real.

 

Fonte: Exame