Golpe que promete mudar a cor do WhatsApp já fez mais de 1 milhão de vítimas

Todos os anos, pessoas mal intencionadas criam golpes novos para roubar dados de outros usuários na internet. E, embora todo mundo saiba que existe esse tipo de trapaças por aí, e apesar de todas as recomendações de segurança que já são conhecidas; um número sem fim de vítimas sempre caem em vários desses “contos do vigário”.

O ano de 2017, por exemplo, já começou com um novo golpe, disseminado por mensagens, que promete mudar a cor do WhatsApp. Conforme o site PSafe, todo o problema começa quando as vítimas clicam no link que vem junto com a mensagem, que as encaminha a uma outra página, que leva, por sua vez, à instalação de vários aplicativos. Estes últimos, fazem o criador do golpe ganhar dinheiro.

Você chama todo mundo para mudar a cor do WhatsApp!

Mas, o problema não é só esse. Além da pessoa que caiu no golpe ter o celular enfestado de aplicativos, ela é induzida a compartilhar a mensagem que, supostamente, permite mudar a cor do WhatsApp com mais 10 contatos e 5 grupos. Tudo isso, conforme relatado pelas próprias vítimas, seria para uma “verificação de usuário”.

Ainda não se sabe se os aplicativos instalados roubam dados ou se são nocivos de alguma forma, mas a recomendação é para que as pessoas não cliquem nesse tipo de mensagem. Como você já deve ter percebido, não é possível mudar a cor do WhatsApp dessa forma.

Como evitar esse tipo de transtorno?

E, para evitar outros golpes no futuro, especialistas indicam que se tenha um antivírus instalado e atualizado no celular. Além disso, é preciso ter senso crítico e evitar abrir links enviados por desconhecidos, não é, minha gente? Desconfiar de novas funções que não foram divulgadas oficialmente pela empresa responsável pela plataforma também é uma ótima forma de se prevenir desse tipo de dor de cabeça.

Agora nos conte: você caiu nesse golpe ou em algum outro anteriormente? E, se você ficou com uma “pulguinha atrás da orelha” depois dessa matéria, não deixe de ler também: Descubra se você já teve dados hackeados e vazados na internet.

Fonte: Olhar Digital