História

Leonor da Aquitânia: história da poderosa rainha da França e Inglaterra

Leonor da Aquitânia foi uma rainha proeminente da Idade Média; ela exerceu grande influência no curso da história e na vida cultural da época.

Leonor da Aquitânia estava entre as mulheres mais poderosas do século XII. Ela controlou uma extensa propriedade, tornou-se Rainha da França e depois da Inglaterra, e deu à luz um dos governantes mais famosos da Inglaterra, Ricardo Coração de Leão.

Embora sua biografia esteja agora emaranhada com mitos e lendas – até mesmo sua data e local de nascimento são difíceis de definir – muito de seu legado e influência sobreviveu. Descubra os principais fatos sobre a sua vida, a seguir.

Origem de Leonor da Aquitânia

Fonte: Pinterest

Nascida por volta de 1122 ou 1124, possivelmente no atual sul da França, Leonor ou Eleanor recebeu o nome de sua mãe, a duquesa Aénor de Châtellerault. Ela era a mais velha de três filhos.

Seu pai, Guilherme X, duque de Aquitânia e conde de Poitou – governava uma das maiores propriedades de terra da França. Pensa-se que desde cedo ela foi educada em latim, filosofia e equitação. E quando seu irmão mais novo morreu em 1130, Leonor se tornou a herdeira de uma quantidade formidável de terras e poder.

Continua após a publicidade

Quando seu pai morreu em 1137, durante uma peregrinação a Santiago de Compostela, na Espanha, a adolescente de repente se tornou a duquesa da Aquitânia, uma mulher de grande riqueza e, portanto, uma jovem cobiçada por suas qualificações.

Desse modo, assim que a notícia da morte de seu pai chegou à França, seu casamento com Luís VII, filho do rei da França, foi arranjado. O rei despachou 500 homens para transportar Leonor da Aquitânia a Paris para o casamento.

Então, pouco depois da cerimônia de verão, o rei adoeceu e morreu. Por este motivo, ao final do ano, seu filho estava no trono e ela foi coroada Rainha da França.

7 curiosidades sobre a soberana dos reinos da França e Inglaterra

1. Aparência de Leonor da Aquitânia

Fonte: Pinterest

Eleanor era conhecida em sua época como uma beldade e uma gravura da moda, mas a única semelhança real que temos dela é a efígie da tumba em Fontevrault.

Continua após a publicidade

Isso porque na Idade Média, reis e rainhas não tinham o hábito de ter seus retratos pintados. Na verdade, ninguém sequer registrou a cor dos olhos e do cabelo de Leonor.

2. Atuação nas cruzadas

Fonte: Pinterest

Quando Luís VII respondeu ao apelo do papa para uma segunda cruzada para defender Jerusalém contra os muçulmanos, Leonor da Aquitânia não ficou na França.

Entre 1147 e 1149, ela viajou com o grupo de seu marido para Constantinopla e depois para Jerusalém. Todavia, infelizmente, essa não foi uma aventura romântica para o casal real. Luís e sua rainha teimosa eram incompatíveis, e a tensão entre eles culminou na corte de seu tio, Raimundo de Poitiers, em Antioquia.

Ademais, rumores de uma infidelidade incestuosa entre Leonor da Aquitânia e seu tio, cuja luxuosa corte a emocionava com seus encantos, obscureceram sua reputação.

Continua após a publicidade

Ela também causou intrigas com seu apoio desafiador aos planos de seu tio para a cruzada; ele aconselhou atacar Aleppo, enquanto Luís preferiu continuar para Jerusalém. Logo, Louis forçaria a rainha a continuar com ele.

No final das contas, a Segunda Cruzada foi um desastre, culminando com o desastroso Cerco de Damasco em 1148, que terminou com uma vitória muçulmana. Assim, Luís VII e o exército dos cruzados foram mandados embora.

3. Casamento anulado

Fonte: Pinterest

Após 15 anos de casamento e sem herdeiros do sexo masculino, o casal estava farto. Luís VII finalmente concordou com os repetidos pedidos de anulação de Eleanor. Ele aceitou alegando consanguinidade, ou seja, eles eram parentes próximos demais para serem marido e mulher.

Com efeito, o rei Luís recebeu a custódia das duas filhas, enquanto Leonor conseguiu manter sua considerável propriedade francesa.

Continua após a publicidade

4. Rainha da Inglaterra

Leonor da Aquitânia: história da poderosa rainha da França e Inglaterra
Fonte: Pinterest

Em 1152, apenas oito semanas após sua anulação de casamento com o rei da França, Leonor, agora com 30 anos, casou-se com Henrique, duque da Normandia. Ele era o herdeiro do trono da Inglaterra e 11 anos mais jovem.

Dois anos depois, Eleanor e Henry foram coroados Rainha e Rei da Inglaterra. Desse modo, o casamento deles durou cerca de 40 anos, durante os quais ela deu à luz três filhas e cinco filhos. Com efeito, a maioria de seus filhos foi estrategicamente casada em toda a Europa para garantir a lealdade ao governo da família.

A Casa de Plantageneta iria governar a Inglaterra e partes do continente, com mais ou menos sucesso, pelos próximos 330 anos. Aliás, um dos apelidos de Leonor é “Avó da Europa”.

5. Fim do segundo casamento

Fonte: Pinterest

Com o tempo, as relações entre Leonor e Henrique azedaram depois de anos de adultério declarado e ausências frequentes. Eles se separaram em 1167, e ela se mudou para suas terras em Poitiers.

Continua após a publicidade

Posteriormente, os filhos de Eleanor encenaram uma rebelião contra seu ex-marido, o rei Henrique II, que ela apoiou fornecendo-lhes considerável apoio militar e dinheiro.

Muitos acreditavam que sua escolha de desafiar o marido tinha raízes no ciúme, já que o rei Henrique VII era famoso por suas traições públicas durante o casamento.

Por outro lado, outros argumentaram que a decisão de Eleanor foi estratégica, surgiu do desejo de preservar o status de sua família e manter a Aquitânia segura.

Quando a rebelião falhou, acusaram Leonor de alta traição e passou os 16 anos seguintes presa pelo marido na Inglaterra. Não foi até a morte do rei Henrique II em 1189 que ela foi finalmente voltou a ser livre.

Continua após a publicidade

Então, seu filho Ricardo, carinhosamente conhecido como Ricardo Coração de Leão, herdou o trono e ela, o papel de Rainha Regente.

6. Viúva poderosa

Leonor da Aquitânia: história da poderosa rainha da França e Inglaterra
Fonte: Pinterest

Antes de ser coroado rei da Inglaterra, Ricardo Coração de Leão viajou por todo o seu futuro reino para formar alianças e promover a boa vontade. Quando Ricardo partiu na Terceira Cruzada, Leonor assumiu o comando como regente, rechaçando seu filho faminto por poder, John.

Aliás, ela até pagou o resgate de Ricardo quando ele foi preso pelo duque da Áustria e pelo Sacro Imperador Romano, viajando ela mesma para trazê-lo de volta à Inglaterra.

Ricardo morreu em 1199, deixando João para se tornar rei. Leonor da Aquitânia, então na casa dos setenta, manteve seu compromisso com a estabilidade do reino, incluindo ir à Espanha para arranjar um casamento fundamental para sua neta Blanche de Castela com o herdeiro do trono francês. Ela também deu a John um apoio crucial contra uma rebelião liderada por seu neto Arthur.

Continua após a publicidade

7. Morte de Leonor da Aquitânia

Leonor da Aquitânia: história da poderosa rainha da França e Inglaterra
Fonte: Pinterest

Por fim, Leonor da Aquitânia se aposentou, tornou-se freira e morreu no mosteiro de Fontevrault em 1204. As freiras que escreveram seu obituário a chamavam de rainha “que superou quase todas as rainhas do mundo”.

Então, gostou de saber mais sobre a soberana dos reinos da França e Inglaterra? Pois leia também: Luís de Camões: como o autor de Os Lusíadas perdeu um olho?

Fontes: Aventuras na História, National Geographic, Civilopedia

Fotos: Pinterest

Continua após a publicidade
Próxima página »

Escolhidas para você