Curiosidades

Lombrigueiro, o que é? Origem, função e quando tomar

O lombrigueiro é também conhecido como vermífugo, sendo um remédio utilizado para expelir lombrigas e agentes estranhos do organismo.

Você, provavelmente, já ouviu dizer por aí que todo mundo precisa tomar remédio contra vermes, ou o famoso lombrigueiro, todos os anos. Mas, será que, morando numa cidade grande, com saneamento básico e asfalto, é realmente necessário tomar esses remédios para prevenir o surgimento de lombrigas?

De acordo com o especialistas, essa periodicidade não é necessária, mesmo estando no inconscientes das pessoas. Os médicos explicam que o consumo do lombrigueiro pelo menos uma vez por ano é recomendado apenas para umas comunidades mais expostas aos perigos de contaminação, como na falta de esgoto e de pavimentação; como forma de prevenção.

Sobre o assunto, a Organização Mundial da Saúde recomenda que o tratamento com lombrigueiro, em um tempo tão próximo, seja administrado às pessoas expostas aos riscos que mencionamos e àquelas que vivam em áreas de maior prevalência. Nesse grupo, aliás, estão crianças de 1 a 14 anos e alguns tipos de profissionais, como os mineradores e os trabalhadores do campo.

Quem vive em área onde a prevalência de parasitas, como as lombrigas, fique acima de 20%, então, devem receber o tratamento anual com lombrigueiro. Se a taxa de risco na região sobre para 50%, no entanto, esse tratamento deve ser ainda mais próximo, de 6 em 6 meses, de preferência.

Agora, para você que vive em um apartamento e só consome água de bebedouros, não pisa na lama e não tem contato com fezes, muito provavelmente não é preciso manter uma periodicidade tão engessada desses medicamentos. O ideal, nesses casos, é tomar de vez em quando ou conforme a orientação do seu médico.

Lombrigueiro: todo mundo precisa tomar esse remédio todos os anos?
Fonte: Pixabay

Lombrigas causam doenças?

E, se você acha besteira essa história de vermes e lombrigas, fique sabendo que o assunto pode ficar sério. Parasitas gastrointestinais como giardíase, ascaridíase, ancilostomíase, tricuríase, enterobíase, estrongiloidíase e amebíase podem causar doenças.

Continua após a publicidade

Conforme os médicos, o quadro clínico que esses vermes desencadeiam costuma ser bastante variado, aliás, nem sempre apresenta sintomas. No entanto, os sinais mais comuns de uma infestação desses vermes é a perda do apetite, uma espécie de coceira anal, fadiga, irritabilidade, náuseas, vômitos, dores abdominais, aumento do tamanho da barriga e diarreia.

Mas existem também infestações mais graves, que levam a desnutrição, anemia, dificuldades respiratórias e até mesmo a morte.

Como prevenir?

Além do uso do lombrigueiro, conforme orientação médica, é possível também tomar outras medidas, a maioria delas de higiene, para prevenir os vermes e as doenças que eles podem causar. Abaixo, você confere algumas dessas medidas preventivas:

  • Utilizar água filtrada e tratada com hipoclorito de sódio ou fervida
  • Lavar frequentemente adequada as mãos
  • Não andar descalço em locais onde possa ocorrer a presença de parasitas
  • Lavar as frutas, legumes e verduras antes do consumo
  • Evacuar em local apropriado e manter as instalações sanitárias limpas
  • Manter os alimentos, depósitos de água e lixeiras cobertos
  • Preferir alimentos cozidos (cuidado com a comida japonesa!)
Fotografia de um remédio de lombrigas, o lombrigueiro
Fonte: Pixabay

Quando realmente é preciso tomar lombrigueiro?

Em primeiro lugar, no passado costumava-se acreditar que devia-se tomar o lombrigueiro nos meses sem a letra R ou durante a lua minguante. Ademais, a recomendação envolvia buscar a junção dessas duas situações para consumo. Desse modo, os medicamentos tornaram-se popular a partir de uma superstição e passou a fazer parte da cultura, ainda que sem comprovação científica

No geral, essa prática persistiu até os anos 1990 porque o saneamento básico de diversas cidades não garantia a segurança e saúde da população. Portanto, consumia-se os vermífugos e remédios como o lombrigueiro com constância por recomendações de médicos, a fim de evitar os riscos de contaminação.

Apesar disso, atualmente a situação é outra e não há necessidade para esse consumo constante. Sendo assim, precisa-se tomar o lombrigueiro somente quando há recomendação dos órgãos de saúde. Além disso, o consumo constante ocorre somente em regiões de maior vulnerabilidade da população.

Continua após a publicidade

Em resumo, ao consumir o lombrigueiro sem necessidade pode-se expor um indíviduo aos efeitos colaterais dessa medicação, como o desconforto gástrico, enjoo, tontura e outros. Mais ainda, estima-se que os componentes químicos desse remédio alterem a microbiota do organismo, responsável pela regulação do sistema imunológico.

Por fim, o lombrigueiro é um medicamento a ser consumido somente a partir da prescrição médica. Ou seja, precisa-se manter visitaas regulares, realizando exames de rotina e permanecendo atento aos sinais do organismo diante de enfermidades.

E aí, aprendeu sobre esse tema? Então leia sobre Sangue doce, o que é? Qual a explicação da Ciência.

Fonte: Minha Vida | Tua Saúde | Viva Bem

Imagens: Pixabay

Continua após a publicidade
Próxima página »

Escolhidas para você