O que acontece com seu corpo quando você para de malhar?

Todo mundo sabe que praticar exercícios físicos traz uma série de benefícios para a saúde, e de forma muito rápida, como você já viu aqui, nesta outra matéria. No entanto, da mas forma que os ganhos chegam rápido, as perdas físicas são ainda mais drásticas quando você para de malhar por algum tempo.

E, se você está pensando que este “pouco tempo” que estamos falando se trata de meses, acredite, as consequências negativas para seu organismo chegam com muito mais rapidez. Quando você para de parar, em apenas uma semana, você já não consegue ter a mesma resistência física que tinha antes. Dá para acreditar?

1

E por falar em consequências negativas, a primeira coisa que sente o impacta da falta de exercícios, como você vai ver, é o metabolismo. O ritmo de funcionamento o corpo cai drasticamente quando você para de malhar por apenas uma semana e a lentidão do seu corpo fica ainda mais latente quando esses dias de pausa se estendem.

Agora tente adivinhar: o que acontece quando você para de malhar e o metabolismo fica lento? Isso mesmo, a porcentagem de gordura corporal aumenta e a massa magra começa a entrar em extinção em seu organismo.

7

Terrível, né? Mas isso não é nem o começo do “rebote” que seu corpo sofre quando você se entrega ao sedentarismo. Quer ver?

Descubra o que acontece com seu corpo quando você para de malhar:

Uma semana

2

Tirar alguns dias de descanso é recomendável para a reconstrução muscular, mas, quando você para de malhar por uma semana já é o suficiente para você sentir sinais negativos em seu corpo. Quando você suspende os exercícios por 7 dias, as fibras musculares diminuem e o organismo começa a ficar inchado, retendo mais líquido.

Voltar ao ritmo normal de exercícios depois deste período fica mais difícil que normalmente seria em uma segunda-feira, por exemplo, depois de um final de semana de repouso. No entanto, as consequências negativas não são suficientes ainda para prejudicar sua resistência física.

Mais de uma semana

3

Quando você para de malhar por mais de uma semana, no entanto, o cenário já é outro em seu corpo. Depois de 8 ou 10 dias de repouso, o organismo fica mais lento e sua resistência física fica comprometida. Sim, retornar ao exercício físico vai ser bem difícil e é possível que as dores musculares pós-treino voltem a aparecer.

Um mês

6

Agora, depois de um mês, a conversa fica um pouco menos divertida. Quando você não se exercita por todo estes tempo, o ganho muscular e cardíaco que havia conquistado já está comprometido. O acúmulo de gordura corporal e o enfraquecimento da massa magra se tornam perceptíveis. Estresse e dificuldades de dormir também são consequências desse período de “abstinência”.

Se você resolver voltar ao treino depois desse período, é melhor pegar leve. Não é possível malhar no mesmo ritmo de antes, para evitar contusões e muito sofrimento.

Alguns meses

5

Não se engane, depois de um mês e, especialmente, depois de alguns meses sem sair do sofá a coisa está realmente feia. O metabolismo estará mais lento e você terá mais dificuldade em queimar calorias. Cansaço constante e pouca disposição também são sinais claros de que seu corpo está entregue ao sedentarismo e sente falta de se exercitar.

A volta do treino, neste momento, também representará fadiga. Isso porque, nesta altura do campeonato, sua resistência física já foi “passear” e seus pulmões também não conseguirão absorver o oxigênio como antigamente.

Um ano

4

Se um dia você malhou, caro leitor, seu corpo já não se lembra mais. O metabolismo estará lento e todo o funcionamento de seu organismo pode estar funcionado de maneira prejudicada, digamos assim. A porcentagem de gordura acumulada em seu corpo também será maior, o que pode trazer problemas graves de saúde, como hipertensão, colesterol alto, depressão e outras doenças associadas ao sedentarismo e á obesidade.

E, se você já pecou parando de malhar, mas quer voltar a acelerar seu metabolismo, você precisa ler esta outra matéria: 10 segredos para acelerar o metabolismo e emagrecer.

Fonte: Vix