História

Pássaro dodô: como a ave foi extinta?

O curioso dodô foi uma espécie de ave extinta em meados do século XVII, natural da Ilha Maurício e que pertencia a família dos pombos.

Certamente você já ouviu falar dos dinossauros que habitaram a terra há milhões de anos, mas você conhece o extinto pássaro dodô?

Com 64 centímetros de altura, penas cinza-amarronzadas, cauda branca tufada, patas amarelas e um grande bico preto e verde, o dodô era uma ave de aparência estranha que vivia na ilha de Maurício, na Índia Oceano. Aliás, ele era, curiosamente, um parente maior do pombo.

O primeiro contato registrado entre humanos e um dodô data de 1598, quando marinheiros holandeses se aventuraram a desembarcar na ilha tropical. Em menos de um século após esse encontro inicial, o dodô foi extinto.

Características do pássaro dodô

Não existe fotografia nem esqueleto completo deste pássaro que não voa, no entanto, os pesquisadores acreditam que ele estava coberto com penas de cor cinza a marrom.

Continua após a publicidade

Acredita-se que sua cabeça era careca e tinha uma plumagem extra ao redor da cauda. Ademais, a aparência do pássaro dodô se caracteriza pela ponta grande e bulbosa de seu bico em forma de gancho.

Ele foi originalmente confundido como um parente próximo de vários pássaros diferentes, incluindo o albatroz, o abutre e o avestruz. Mais tarde, os cientistas determinaram que o pássaro dodô pertencia à mesma família dos pombos (a família Columbidae).

Além disso, os machos eram maiores do que as fêmeas, e era uma espécie endêmica e só existia em Maurício, uma ilha localizada no Oceano Índico.

Não se sabe ao certo a origem do nome dodô. Todavia, especula-se que a palavra tenha origem em “dodoor” (preguiçoso), pois era assim que os holandeses, primeiros navegadores que chegaram a Maurício, o chamavam.

Continua após a publicidade

Por outro lado, alguns acreditam que o nome é proveniente da palavra “dodaars”, que ainda em holandês significa traseiro gordo ou nó no traseiro. Ambas as características combinavam bem com a ave que era bem preguiçosa. Ou seja, o dodô não precisava voar para se deslocar, alimentar ou se proteger.

Como o dodô foi extinto?

O pássaro dodô é frequentemente usado como um símbolo dos danos duradouros que os humanos podem causar ao meio ambiente e às taxas de sobrevivência dos animais.

Seu status icônico como símbolo da extinção de espécies se deve à rapidez com que essa espécie se extinguiu após ser descoberta por exploradores europeus.

Em um período de apenas cerca de 100 anos, o pássaro dodô deixou de existir na natureza. Várias teorias tentam explicar exatamente como o pássaro dodô foi extinto e uma série de eventos foram atribuídos à sua morte rápida e infeliz. Abaixo estão alguns dos fatores que contribuíram para a extinção do pássaro dodô.

Continua após a publicidade

1. Caça predatória da ave

Talvez a razão mais comumente citada para a extinção do pássaro dodô seja que ele foi caçado até a extinção. No cerne dessa teoria está o fato de que esse pássaro não tinha medo dos humanos quando os dois fizeram contato pela primeira vez. Esse destemor era o resultado da falta de predadores naturais em toda a ilha de Maurício.

Com efeito, o pássaro dodô não aprendeu a ter medo de outra espécie e, portanto, enfrentou os exploradores europeus com curiosidade, em vez de medo. Esse comportamento, combinado com seu status de não voar, fez do pássaro dodô um alvo fácil para caçadores humanos e rapidamente se tornou um alimento básico na dieta dos marinheiros europeus.

2. Habitat natural destruído

Outra teoria é de que seu habitat natural também foi desfeito. Quando foi descoberta, a ilha Maurício tinha pouco valor para os marinheiros europeus. Era muito usado como escala durante viagens longas e até mesmo considerado amaldiçoado por alguns exploradores devido ao grande número de naufrágios na área.

Eventualmente, no entanto, Maurício se tornou uma importante fonte de madeira de ébano, que era colhida por qualquer pessoa que chegasse à costa. Durante a segunda tentativa de colonização pelos holandeses, a exportação de madeira de ébano tornou-se a principal atividade econômica da ilha.

Continua após a publicidade

Desse modo, a tentativa de conversão da ilha em uma plantação agrícola resultou na destruição de mais espécies de plantas nativas, que foram substituídas por plantas de cana-de-açúcar. Assim, o desmatamento desenfreado destruiu o habitat natural do pássaro dodô.

3. Espécies invasivas

Os cientistas também acreditam que a introdução de espécies não nativas na ilha foi o maior impacto feito pelos marinheiros europeus. Esses indivíduos trouxeram consigo várias espécies invasivas, incluindo: ratos, gatos, porcos e cães.

À medida que esses animais recém-introduzidos começaram a vagar livremente pela ilha, eles se reproduziram em grande escala e começaram a caçar as fontes locais de alimento. Portanto, uma dessas fontes de alimento era o ovo do pássaro dodô, localizado no solo e fácil de encontrar.

Como esses ovos se tornaram um importante alimento básico para espécies invasoras, isso afetou negativamente a capacidade do pássaro dodô de reabastecer sua população.

Continua após a publicidade

Pássaros fêmeas dodô botam apenas 1 ovo de cada vez. Adultos e jovens estavam sendo mortos para alimentar humanos e animais. Desse modo, o resultado foi prejudicial para a capacidade de sobrevivência do pássaro dodô.

4. Desastres naturais contribuíram para erradicar a ave

Por fim, embora o pássaro dodô tenha conseguido sobreviver a uma vasta gama de desastres naturais na ilha, alguns desses eventos afetaram a população de dodô.

Em 2005, os pesquisadores encontraram evidências de que um grande número de pássaros dodô foi morto durante uma inundação repentina. Esse desastre, combinado com os fatores mencionados anteriormente, tornou ainda menos provável a sobrevivência da espécie.

Outros animais extintos

A extinção traz algumas considerações evolutivas muito interessantes. As estimativas dizem que em meados do século 21, 30% das espécies podem estar extintas. Ou seja, a extinção será o destino final de todas as espécies – mas quanto tempo levará para chegar lá dependerá muito das ações da humanidade.

Continua após a publicidade

Além do pássaro dodô veja outros animais já extintos:

1. Mamutes

Pássaro dodô: principais características e como a ave foi extinta
Fonte: Águaboa

A última das populações de mamutes desapareceu perto do final da última Idade do Gelo, há mais de 4.000 anos. Essas criaturas incríveis carregavam presas que podiam medir até 4,5 metros de comprimento. Desse modo, acredita-se que a caça dos últimos mamutes sobreviventes contribuiu muito para seu declínio e extinção.

2. Tigres-persa

Fonte: Águaboa

Os tigres foram colocados pela primeira vez na lista de espécies ameaçadas de extinção na década de 1960, mas a caça de troféus e o comércio de peles continuaram, apesar do alto risco de extinção.

A espécie de tigre-do-cáspio ou tigre-persa foi bastante exterminada no início do século 20, quando o governo russo estava instalando campos de arroz e algodão nas florestas que esses tigres habitavam.

Continua após a publicidade

Assim, o exército recebeu ordens de exterminar todos os tigres encontrados perto do mar Cáspio. Como resultado, o tigre-do-cáspio, uma subespécie do tigre siberiano, foi extinto em algum momento entre 1954-1959.

3. Tilacinos

Fonte: Águaboa

Em 1936, o maior marsupial carnívoro da época, o tilacino – foi extinto. Com a cabeça de um cachorro, as listras de um gato e a bolsa de um canguru, essa criatura única, mais conhecida como tigre da Tasmânia, simplesmente não conseguia fazer seu lugar ao lado de humanos.

Muitos fazendeiros acreditavam que os tilacinos eram os responsáveis ​​pelo ataque ao gado. Por este motivo, matá-los era considerado aceitável e até mesmo encorajado. Ademais, empresas de lã e têxteis também foram em grande parte responsável por esses animais terem sido extintos.

4. Papagaio-do-paraíso

Fonte: Águaboa

Anteriormente encontrado no leste da Austrália, o papagaio ou periquito-do-paraíso não é visto desde 1928. De acordo com a ‘Lista Vermelha’ de espécies ameaçadas da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN), ele foi extinto principalmente devido à seca, pastoreio excessivo de animais de fazenda e pessoas cortando árvores de eucalipto.

Continua após a publicidade

5. Lobo siciliano

Pássaro dodô: principais características e como a ave foi extinta
Fonte: Águaboa

De acordo com um estudo do Museu de História Natural de Verona , o lobo siciliano foi levado à extinção pelo homem devido ao seu apetite pelo gado dos fazendeiros. Nativo da Sicília, também acredita-se que esses lobos ficaram sem comida selvagem para comer durante uma crise ambiental na ilha.

6. Leão-marinho-japonês

Fonte: Águaboa

Leões-marinhos japoneses foram caçados por suas peles, bigodes,  bem como órgãos e óleo, e também foram capturados para o comércio de circo. Isso, em combinação com a perseguição por pescadores e talvez disparos de soldados, provavelmente causou sua extinção. Com efeito, acredita-se que esses animais foram extintos, pois eles foram vistos pela última vez na década de 1950.

7. Sapo dourado

Pássaro dodô: principais características e como a ave foi extinta
Fonte: Águaboa

Por fim, o sapo dourado de água doce, das florestas nubladas da Costa Rica, foi extinto por vários motivos. De acordo com a IUCN , o aquecimento global, uma doença infecciosa e a poluição do ar contribuíram para isso. Anteriormente uma espécie comum, não é vista desde 1989.

Então, gostou desse artigo? Pois, veja a seguir: Animais extintos – 17 espécies que desapareceram nos últimos séculos

Continua após a publicidade

Fontes: BBC, Época, Superinteressante

Próxima página »

Escolhidas para você