Ciência & Tecnologia

Quimioterapia – O que é, o que acontece com o corpo e mitos sobre ela

Quimioterapia é um dos tratamentos que mais assustam os pacientes. Então, saiba o que é, o que acontece com o corpo e os mitos por trás dela.

A quimioterapia é um tratamento muito conhecido mundialmente. Embora esteja totalmente relacionada ao combate do câncer, ainda existem muitas dúvidas e muitos mitos a respeito dela.

A medicação utilizada nesse método de tratamento é aplicada de diversas formas. Além disso, ainda existem vários tipos de medicações. No entanto, é necessário conhecer o tipo da doença para o médico receitar a melhor opção.

Então, conheça mais um pouco sobre esse método e saiba as verdades e mitos ao seu respeito.

O que é a quimioterapia?

Quimioterapia - O que é, o que acontece com o corpo e mitos sobre ela
Agille

Como dito anteriormente, a quimioterapia é um método de tratamento para combater o câncer. Infelizmente, o câncer é uma forte doença que mata muitas pessoas anualmente e, com toda a certeza, a luta para combatê-lo é grande.

Apesar de agressiva, a quimioterapia ainda é um dos métodos mais eficientes. Ao realizar esse tratamento, os medicamentos se misturam com o sangue e “percorrem” todo o corpo para controlar, inibir ou destruir essas células malignas.

Como ela é feita?

Quimioterapia - O que é, o que acontece com o corpo e mitos sobre ela
Câncer de Mama Brasil

Primeiramente, todo o tratamento acontece com indicação de especialistas e os medicamentos são administrados das formas que descreveremos a seguir.

Continua após a publicidade

Em suma, há um ciclo para a realização da quimioterapia, pois é preciso que o corpo se recupere. Isso é para todos os métodos, exceto no caso da quimioterapia oral.

Via oral (Pela boca)

Método mais simples e que pode ser feito em casa. O paciente em tratamento precisa fazer o uso de comprimidos, pílulas ou líquidos.

Intravenosa

Aqui já é preciso ir ao hospital para aplicar os medicamentos na veia do paciente. Pode ser por aplicação direta na veia (injeção), cateter ou pelo soro.

Intramuscular

Em um hospital, a medicação é aplicada por injeções no músculo do paciente.

Subcutânea

Em um hospital, a medicação é aplicada por uma injeção no tecido gorduroso acima do músculo (abaixo da pele) do paciente.

Intratecal

Esse método ainda não é muito usual. O médico realiza o procedimento em um centro cirúrgico para aplicar o medicamento no líquor (o líquido da espinha).

Continua após a publicidade

Quimioterapia - O que é, o que acontece com o corpo e mitos sobre ela

O que acontece com o corpo durante a quimioterapia?

Quimioterapia - O que é, o que acontece com o corpo e mitos sobre ela

O tratamento com quimioterapia pode causar diversos efeitos colaterais. Entretanto, não necessariamente você terá todos e eles são temporários. Assim que o tratamento passar tudo começa voltar ao normal.

Conheça os efeitos colaterais mais comuns em pacientes que fazem quimioterapia:

Queda de cabelo e das unhas

Quimioterapia - O que é, o que acontece com o corpo e mitos sobre ela
Alto Astral

A princípio há tipos de câncer que exigem um tratamento mais forte e, consequentemente, a queda também é mais rápida. Os cabelos começam a cair aos poucos e após a terceira ou quarta sessão já não é possível ver mais os fios. Além do cabelo, todos os pelos do corpo também caem. Logo após finalizar o tratamento, os cabelos e pelos voltam a fortalecer e crescem rapidamente.

O organismo em um todo fica muito fragilizado, assim as unhas também pode cair durante o tratamento de quimioterapia. Caso as unhas não caiam, é importante sempre mantê-las limpinhas e bem cuidadas. No entanto é preciso ter alguns cuidados com os materiais a serem utilizados para evitar infecções e inflamações.

Continua após a publicidade

Pele sensível

Durante o tratamento a pele também fica muito sensível e por isso é importante manter uma boa proteção e hidratação. As solas dos pés, por exemplo, têm muita descamação.

Por outro lado as veias também ficam mais escuras, duras e finas devido a aplicação dos remédios.

Mitos sobre a quimioterapia

Quimioterapia - O que é, o que acontece com o corpo e mitos sobre ela
WeCancer

Existem diversos mitos por trás da quimioterapia. Algumas coisas que todos acreditam que vá acontecer, mas não é regra para todo paciente. Tudo depende do tipo de doença do paciente e o tratamento que o médico utilizará. Vamos então conhecer alguns mitos:

O cabelo cai para sempre?

Como citado anteriormente, não é em todos os casos que o cabelo irá cair. Sempre depende do tipo de medicamento que o médico indicará e do tipo de câncer que o paciente tem. Além disso, a intensidade em que o cabelo cai também varia bastante. No entanto, após o tratamento eles voltam a crescer normalmente.

Sinto náuseas e vômitos diários?

Todos os sintomas dependem do tratamento a ser indicado pelo seu médico. Náuseas e vômitos não acontecem com frequência, e caso o tratamento seja acompanhado por uma alimentação equilibrada, completamente não há.

Não pode ter contato com animais

Quimioterapia - O que é, o que acontece com o corpo e mitos sobre ela
Gauchazh Saúde

Os animais são ótimos companheiros dos humanos e por que em um momento tão difícil eles não poderiam estar juntos? Com toda a certeza a companhia de um animalzinho faz muito bem. No entanto, em casos bem específicos os médicos pedem um isolamento temporário.

Continua após a publicidade

Sexo é proibido?

De fato, o tratamento com quimioterapia deixa o organismo e o corpo mais fragilizados. Assim é preciso ter cuidados na hora da relação sexual e ir até o limite que aguentar. A maior preocupação dos médicos neste período é que as mulheres não podem engravidar enquanto estiverem em tratamento. Há sérios riscos para o bebê.

Infertilidade

Novamente depende do tipo de câncer e da medicação aplicada. Caso o seu médico identifique essa possibilidade ele vai indicar outros métodos de fertilidade, por exemplo congelar esperma, óvulos e embriões.

Isolamento durante o tratamento

Como dito sobre os animais, o isolamento não é necessário. Certamente existem certos casos especiais que pode ser necessário, mas na grande maioria não. Porém, é bom evitar grandes aglomerações.

E aí, gostou dessa matéria? Dê uma olhada nessa, pode te interessar também: Sinais de AVC – Como identificar, tipos e prevenção.

Fontes: Abrale; Estadão; Saúde.

Imagem de Destaque: WeCancer.

Continua após a publicidade
Próxima página »

Escolhidas para você