Curiosidades

Onde fica a tumba de Jesus? Este é mesmo o sepulcro verdadeiro?

Historiadores e arqueologistas apontam que as amostras de calcário da tumba de Jesus têm 1.700 anos, datando da antiguidade romana.

Você sabia que o túmulo que se acredita ser a tumba de Jesus foi aberto em 2016 pela primeira vez após séculos? Por décadas, arqueólogos e teólogos discutem se a Igreja do Santo Sepulcro em Jerusalém é o local onde ocorreu o sepultamento e ressureição de Cristo.

A tumba foi selada em mármore desde 1500 para evitar que os visitantes roubassem peças como relíquias. Desse modo, ela é cerca de 700 anos mais velha do que se pensava, construída no ano 300, de acordo com pesquisas da Universidade Técnica Nacional de Atenas.

Isso se alinha com a crença histórica de que os romanos construíram um santuário no local por volta do ano 325 para marcar o local do sepultamento de Jesus.

Onde fica a tumba de Jesus?

De acordo com historiadores, o descanso final de Jesus fica numa caverna dentro da igreja e contém uma tumba conhecida como Edícula. O teste foi se deu como parte do trabalho de restauração que abriu o túmulo pela primeira vez em séculos, em outubro de 2016.

Com efeito, a equipe da Universidade Técnica Nacional de Atenas datou a argamassa sob a laje inferior para o ano 345 usando um processo chamado luminescência opticamente estimulada, que determina quando uma substância foi exposta à luz pela última vez.

Continua após a publicidade

Ademais, acredita-se que Constantino, o Grande, o primeiro imperador cristão de Roma que governou de 306 a 337, tenha enviado representantes a Jerusalém para encontrar o túmulo de Jesus.

É realmente o túmulo de Jesus?

Tumba de Jesus: onde fica? Este é mesmo o sepulcro verdadeiro?

Os especialistas ainda têm dúvidas sobre se este túmulo realmente pertenceu ou não a Jesus Cristo. Ao contrário dos representantes da igreja de Constantino que determinaram qual cruz pertencia a Jesus por meio de façanhas milagrosas; arqueologicamente, existe a possibilidade de que essa tumba também pudesse ter pertencido a outro judeu famoso como Jesus de Nazaré.

Entretanto, uma longa prateleira ou leito funerário é a principal característica do túmulo. Conforme a tradição, o corpo de Cristo foi posto no local após a crucificação.

Essas prateleiras eram comuns durante o tempo de Jesus em tumbas de judeus ricos durante o primeiro século. Os últimos relatos escritos por peregrinos mencionam um revestimento de mármore cobrindo o leito do cemitério.

Como é por dentro da Edícula?

Continua após a publicidade

A edícula é uma pequena capela que abriga o Santo Sepulcro. Possui duas salas – uma contém a Pedra do Anjo, que se acredita ser um fragmento da pedra que selou o túmulo de Jesus, a outra é o túmulo de Jesus. Após o século XIV, uma placa de mármore sobre o túmulo agora o protege de novos danos causados ​​por multidões de peregrinos.

A Igreja Católica Romana, a Ortodoxa Oriental e a Apostólica Armênia têm acesso legítimo ao interior da tumba. Ademais, todas as três celebram a Santa Missa ali diariamente.

Entre maio de 2016 e março de 2017, a edícula passou por uma cuidadosa restauração e reparo após a estrutura para torná-la segura para os visitantes novamente. A entrada na igreja é gratuita e visitantes de todas as religiões são bem-vindos.

Outra provável tumba de Jesus

Tumba de Jesus: onde fica? Este é mesmo o sepulcro verdadeiro?

A tumba do jardim fica fora dos muros da cidade de Jerusalém, perto do Portão de Damasco. Desse modo, muitos a consideram como o local do sepultamento e ressurreição de Jesus Cristo. Também conhecida como Calvário de Gordon, a Tumba do Jardim é diferente da edícula que existe na Igreja do Santo Sepulcro.

A tumba foi descoberta em 1867, mas a crença de que este é o local exato onde Jesus foi sepultado, também vive em meio a controvérsias. Contudo, um dos pontos-chave para apoiar a autenticidade da Tumba é sua localização.

Continua após a publicidade

A bíblia afirma que o local de sepultamento está fora dos muros da cidade, o que de fato é o túmulo do jardim, ao contrário da Igreja do Santo Sepulcro, que está dentro deles.

Um outro ponto sobre a autenticidade da Tumba do Jardim é que os arqueólogos colocaram a data da tumba como sendo 9 a 7 a.C., correspondendo ao final da era do Velho Testamento.

Por último, os bancos funerários da Tumba do Jardim foram cortados durante o período bizantino dos séculos 4 a 6. Isso dá crédito aos historiadores que afirmam que, se fosse um local de tal importância, não teria sido desfigurado dessa forma.

Ademais, no momento da reforma do túmulo, a Igreja do Santo Sepulcro já era reverenciada como o mais importante santuário cristão.

Então, gostou deste artigo? Pois, confira também: Menina Sem Nome: um dos túmulos mais famosos do país

Continua após a publicidade
Próxima página »

Escolhidas para você