Ciência & Tecnologia

Velocidade da luz, qual sua medida? É possível viajar na sua velocidade?

Você já deve ter escutado falar muito sobre a velocidade da luz, porém, sabe o que realmente é e qual a velocidade real? Nós te contamos.

A velocidade da luz é famosa não só no meio científico, como também fora dela. Ela é reconhecida como a maior velocidade de todas. A velocidade da luz no vácuo é de 299 792 458 m/s, exatamente. O cálculo é: c = 3,0 x 108 m/s ou c = 3,0 x 105 km/s.

Além disso, o valor da velocidade da luz é extremamente elevado. Quer um exemplo? Enquanto a velocidade do som no ar é de aproximadamente 1 224 km/h, a velocidade da luz é de 1 079 252 849 km/h. Segundo a Teoria da Relatividade, de Albert Einstein, nenhum corpo pode alcançar velocidade superior ao da velocidade da luz.

Um exemplo da grandeza da velocidade da luz está expresso da natureza. Veja, quando ocorre uma tempestade, vemos o relâmpago de um raio muito antes que escutamos trovão.

Quando se propaga em outros meios, além do vácuo, a velocidade da luz sofre uma redução no seu valor. Por exemplo na água, a velocidade é igual a 2,2 x 105 km/s.

O desvio sofrido por um feixe luminoso ao mudar o meio de propagação é a principal consequência disso. Esse fenômeno ótico chama-se refração e ocorre pela mudança na velocidade da luz em função do meio de propagação.

Existe algo mais rápido do que a velocidade da luz?

O que é a velocidade da luz e qual a sua real velocidade

Continua após a publicidade

Em pleno século 17, o físico britânico Isaac Newton afirmou que o tempo e o espaço eram independentes. Alguns séculos depois, exatamente no século 20, Albert Einstein mostrou que não era bem assim. O físico afirmou que certamente o tempo e o espaço estão intimamente conectados, e o que os une é a velocidade da luz. Ou seja, a velocidade da luz é o que conecta o tempo e o espaço.

“Nada pode ir mais rápido, porque essa é a velocidade do próprio tecido do espaço-tempo. E a luz viaja a essa velocidade. Não é que a luz seja especial nesse sentido, é a própria velocidade que é especial em nosso Universo. Pode haver outros universos nos quais a velocidade máxima seja diferente.” afirmou o  o físico teórico britânico Jim Al-Khalili.

Em 2011, foi anunciada uma descoberta que ameaçou anular tudo o que sabemos sobre a velocidade da luz. Na Suíça, físicos europeus conduziam um experimento chamado Oscillation Project with Emulsion-tRacking Apparatus, para estudar o fenômeno da oscilação de neutrinos.

Os neutrinos são partículas que possuem uma pequena quantidade de massa. Consequentemente, segundo a Teoria da Relatividade Especial de Einstein, deveriam viajar a uma velocidade menor que a da luz. Acontece que o projeto chamou a atenção da comunidade internacional quando anunciou a detecção de neutrinos se movimentando em uma velocidade superior à da luz.

Acontece que por causa de um cabo de fibra ótica solto, a passagem do tempo foi registrada de maneira incorreta. Ou seja, a Teoria da Relatividade ainda está certa e a velocidade da luz ainda é a mais veloz de todas.

Quando a velocidade da luz foi medida?

Qual a exata velocidade da velocidade da luz e outras curiosidades

Continua após a publicidade

Inicialmente, até o século XVII, acreditava-se que o valor da velocidade da luz era infinito. Aristóteles (384-322 a.C.) já observava que a luz levava algum tempo para chegar à Terra. Até Descartes tinha a ideia de que a luz viajava instantaneamente. Galileu Galilei (1554-1642) tentou medir a velocidade da luz, usando um experimento com duas lanternas separadas por uma grande distância. Os equipamentos não foram capazes de fazer tal medição.

Em 1676 que um astrônomo dinamarquês chamado Ole Romer fez a primeira medição real da velocidade da luz. Trabalhando no Observatório Real de Paris, Romer elaborou um estudo sistemático. Em setembro de 1676, o cientista previu corretamente um eclipse. Romer concluiu que a luz levou cerca de 22 minutos para cruzar a órbita da Terra. As observações de Romer indicavam um número próximo ao da velocidade da luz. Mais tarde, chegou-se à precisão de 299 792 458 metros por segundo.

Em 1868, as equações do matemático e físico escocês James Clerk Maxwell o levaram a concluir que todas as ondas eletromagnéticas viajavam exatamente na mesma velocidade da luz no vácuo. Maxwell concluiu, ainda, que a própria luz era um tipo de onda que viaja através de campos elétricos e magnéticos invisíveis. A compreensão da velocidade da luz passa, assim, a ser o alicerce da Teoria da Relatividade.

Podemos viajar na velocidade da luz?

Qual a exata velocidade da velocidade da luz e outras curiosidades

Finalmente, o que aconteceria se viajássemos a velocidade da luz? Se fizéssemos isso experimentaríamos uma desaceleração, ou seja, o tempo se moveria mais devagar para nós do que para as outras pessoas. Consequentemente, o tempo pararia completamente. E caso se pudesse ir mais rápido do que a velocidade da luz, o tempo começaria a retroceder.

Nessa velocidade, seu campo de visão também mudaria drasticamente. O mundo apareceria através da janela da sua aeronave em forma de um túnel. Além disso, as estrelas na sua frente apareceriam em azul e as estrelas atrás de você apareceriam vermelhas.

Continua após a publicidade

A viagem na velocidade da luz é impossível para nós. De acordo com a teoria geral da relatividade de Einstein, quanto mais rápido um objeto se move, mais a sua massa aumenta. Considerando a velocidade da luz, se um objeto se movesse a essa velocidade, sua massa se tornaria infinita. Portanto, será necessária energia infinita para mover o objeto, o que é impossível.

Você gostou dessa matéria? Então você também vai gostar dessa: 24 imagens que desafiam as leis da física

Fonte: Hiper Cultura Mega Curioso G1 Toda Matéria

Imagens: Techannels Thoughtco

Próxima página »

Escolhidas para você