5 fatos da Bíblia que a Ciência confirma

Apesar de ser considerado um livro sagrado pelos cristãos, muitos fatos da Bíblia não são levados à sério pelos mais cético. Nem mesmo a comunidade científica, como historiados, arqueólogos e outros especialistas relacionados, costumam dar bola para algumas descrições que as “sagradas escrituras” dão de alguns fenômenos, lugares e personagens do mundo antigo.

Há algum tempo, no entanto, isso tem começado a mudar. Isso porque, ao contrário a expectativa dos ateus ou agnósticos, alguns fatos da Bíblia estão se mostrando reais há alguns anos, especialmente quanto aos lugares descritos em seus ensinamentos.

Um bom exemplo disso, como você vai ver, é a possibilidade, comprovada pela física, de a arca de Noé realmente ter existido um dia. Da mesma forma é com a existência do personagem Pôncio Pilatos, que se tornou, na década de 60, mais um dos fatos Bíblicos confirmados pela Ciência, depois que evidências físicas foram descobertas em uma escavação.

Claro que muita coisa sobre a história religiosa da Bíblia e a própria vida do profeta Jesus Cristo ainda está encoberta ou gera discordâncias. A possibilidade da existência de uma esposa de Jesus é um grande exemplo disso, como você já conferiu aqui, no Segredos do Mundo.

Mas, controversas à parte, a verdade é que fatos da Bíblia estão sendo desvendados e comprovados. Isso, com certeza, se mostra uma vitória para os religiosos e uma riqueza imensurável para os historiadores. Ou seja, todos ganham, não é mesmo?

Confira, abaixo, 5 fatos da Bíblia que a Ciência confirma:

5. Cidadela da Primavera

5

Uma dos fatos da Bíblia já confirmados pela Ciência é a existência da Cidadela da Primavera. No livro sagrado, ela é mencionada na passagem de Samuel, como conquistada pelo rei Davi, e é  o local onde Salomão foi ungido rei.

Na vida real, a cidadela bíblica foi encontrada na Cidade de Davi, principal sítio arqueológico de Jerusalém, e que já vinha sendo escavado há 20 anos. Segundo os arqueólogos, o local foi construído para proteger a água da Fonte do Giom de possível conquistadores e para proteger as pessoas que iam até ali para beber água.

4. Parede do rei Salomão

4

A parede do rei Salomão, mencionada no primeiro livro dos reis, ainda no Antigo Testamento, fala sobre uma muralha, construída por ordem do rei Salomão, em Jerusalém. Esse é um dos fatos da Bíblia que se confirmaram verdadeiros, recentemente, pela Ciência.

A descoberta aconteceu em 2010, quando uma parte dessa gigantesca construção foi encontrada, durante as escavações conduzidas pela Universidade Hebraica de Jerusalém. Conforme os registros da descoberta, a muralha conta com um guarita de segurança e tem 70 metros de comprimento por 6 metros de altura.

3. Reservatório de Siloé

3

Em 2005, encanadores acabaram encontrando, em Jerusalém, uma reserva de água. Estudiosos, notificados do achado, tomaram parte da escavação e concluíram, no final das contas, que se tratava do Reservatório de Siloé.

Para quem não sabe, esse é o reservatório citado no livro de João, e é dele que Jesus Cristo coleta água para curar os olhos de um cego de nascença. Até alguns anos atrás, a Ciência não acreditava que esse poderia ser um lugar real, apenas mais um simbolismo bíblico, mas o Reservatório de Siloé estava exatamente no local descrito por João.

2. Pedra de Pôncio Pilatos

2

E, para quem pensa que muitos personagens, assim com os fatos da Bíblia, são apenas invenções ou simbolismos usados pelos apóstolos de Jesus, fique sabendo que esse é um grande engano. Em 1961, por exemplo, arqueólogos descobriram a primeira evidência física de que o personagem Pôncio Pilatos existiu no passado.

Uma pedra, que ficou conhecida depois como a Pedra de Pôncio Pilatos, foi encontrada durante as escavações de um teatro construído por Herodes, em Cesareia, Israel. Conforme os estudiosos, as inscrições da pedra diziam: “Pôncio Pilatos, prefeito da Judeia, a dedica”.

1.  Arca de Noé

1

Esse talvez, seja um dos fatos da Bíblia mais chocantes a serem confirmados pela Ciência até agora. Bom, não foi exatamente a existência da arca que eles encontraram, mas cientistas conseguiram provar a viabilidade física de a arca ter existido e conseguido flutuar por águas turbulentas enquanto carregava um par de animais de cada espécie do planeta.

Para chegar a esse resultado positivo, em 2014, quatro alunos de Física, da Universidade de Leicester, na Inglaterra, começaram a testar, etapa por etapa, o processo de construção da arca descrito na Bíblia.

Para isso eles começaram convertendo os cúbitos, uma unidade de medida usada no livro sagrado, em centímetros. Logo de cara, eles conseguiram dimensionar a arca de Noé, que teria 145 metros de comprimento, 24 metros de largura e 14 de altura.

Além disso, o “manual de instruções” de Noé dizia para usar madeira de gofer, cuja densidade é parecida com a madeira do cipreste, utilizada pelos estudantes para os cálculos. Com isso, eles descobriram também o peso da arca vazia: 1,2 milhão de quilos.

Finalizando os estudos de probabilidades, os estudantes descobriram que a arca poderia carregar 51 milhões de quilos, o suficiente para carregar um casal de bichos de cada espécie, sem deixar com que a arca afundasse, já que ela precisava, apenas, de ter sua densidade menor que a da água.

Interessante tudo isso, não? Agora só faltam provar a existência do paraíso também.

Fonte: Galileu