Curiosidades

Aurora austral, o que é? Como, quando e porque acontece

A aurora austral é um fenômeno ótico que produz luzes coloridas no céu, nos meses de inverno. Ela ocorre na região do polo sul.

Provavelmente você já ouviu falar da Aurora Boreal. No entanto, existe outro fenômeno denominado Aurora Austral. Cujo nome advém da deusa romana do amanhecer, Aurora. Em síntese, eles consistem em fenômenos visuais ou óticos de luzes coloridas, que ocorrem em regiões polares do planeta Terra.

Em suma, ocorrem tempestades solares que ocasionam uma descarga elétrica, que colide com os gases da atmosfera e emitem luz. Logo, esse fenômeno pode se comportar de formas variadas, aparecendo como pontos luminosos e faixas no sentido horizontal ou circulares. Além disso, as cores podem variar, podendo aparecer vermelha, laranja, amarela, ou verde.

Portanto, locais do extremo sul do planeta são ótimos para observar a aurora austral. Por exemplo, Tasmânia, Austrália, Nova Zelândia, Ushuaia e as Ilhas Falkland. Por fim, o período do inverno é o melhor para admirar esse show de luzes.

O que é a Aurora austral?

Conceitos

A aurora boreal e a aurora austral consistem em fenômenos visuais de luzes coloridas, que ocorrem nas regiões polares do planeta Terra. Ademais, quando o fenômeno ocorre próximo as regiões do polo norte, é chamado de aurora boreal. E quando ocorre próximo ao polo sul, é chamado aurora austral.

Continua após a publicidade

Em suma, esse nome foi batizado por Galileu Galilei em 1619, referente à deusa romana do amanhecer, chamada Aurora, E, também ao seu filho Bóreas, representante dos ventos nortes. Além disso, podem ser visualizadas a olho nu durante a noite ou no final da tarde.

Em síntese, o fenômeno ocorre em função da interação entre partículas carregadas de energia. Que são advindas dos ventos solares, com o campo magnético do planeta. Por fim, o fenômeno é mais comum nos meses de fevereiro, março, abril, setembro e outubro.

Como ocorre o fenômeno da aurora austral?

Engenharia 360

A princípio, a parte superior da atmosfera recebe partículas carregadas de energia, que andam pelas linhas dos campos magnéticos da Terra. Em seguida, as tempestades solares provocam uma descarga elétrica, que colide com os gases da atmosfera, emitindo luz. Logo, o fenômeno se torna mais frequente em latitudes extremas ou polares. No entanto, também pode ocorrer em latitudes médias, em casos de grandes eventos solares.

Como a aurora austral aparece?

Nossa Ciência

A aurora austral pode aparecer em diversos formatos variados. Por exemplo, como pontos luminosos, faixas no sentido horizontal ou até circulares. No entanto, sempre alinhados ao campo magnético terrestre. Por outro lado, as cores podem variar, podendo aparecer vermelha, laranja, amarela, ou verde. Mas também, podem aparecer várias cores ao mesmo tempo. Curiosamente, trata-se de um fenômeno externo. Ou seja, não é exclusivo da Terra, podendo ocorrer em vários planetas próximos ao Sol. Como Vênus e Marte, por exemplo.

Continua após a publicidade

Qual a melhor época para ver esse fenômeno?

Nossa Ciência

A melhor época para ver o fenômeno da aurora austral é durante os meses de inverno. Pois, durante o verão, nas latitudes muito altas, há luz solar quase o dia todo. Além disso, em alguns períodos, o Sol não se põe. Assim sendo, ele desce de um ponto no horizonte e sobe em outro. Portanto, a luz solar impede a visualização da aurora austral, devido à claridade contida no astro.

Lugares para encontrar a Aurora austral

Locais do extremo sul da Terra são ótimos para observar o fenômeno da aurora austral. Ademais, Tasmânia, Austrália, Nova Zelândia, Ushuaia e as Ilhas Falkland são alguns dos melhores destinos para visualizar o fenômeno.

1 – Queenstown, Nova Zelândia

Catraca Livre

Existem diversos locais na Nova Zelândia que permitem observar a aurora austral. Por exemplo, Christchurch, a vilinha de Lake Tekapo e Stewart Island, na costa sul do país. Em suma, o céu de Queensland se destaca, chamando bastante atenção pelo espetáculo de luzes. Ademais, a cidade registrou várias auroras austrais super coloridas nas margens do lago Wakatipu.

2 – Tasmânia, Austrália

Notícias ao Minuto

Na Austrália destaca-se uma ilha ao sul, a Tasmânia. Ademais, conforme a Divisão Antártica do Departamento de Meio Ambiente e Energia da Austrália, em uma noite clara existe até 2% de chance de ver o fenômeno.

Continua após a publicidade

No entanto, essas chances se elevam nos períodos de equinócios ao final de março e setembro. Dessa forma, o Mount Wellington se destaca como um dos melhores pontos para visualizar tal fenômeno. Enfim, a montanha no interior da Tasmânia está perto da capital, Hobart. Por outro lado, também há o Bruny Island.

3 – Victoria, Austrália

Catraca Livre

Victoria, localizado na Austrália, é uma boa opção para ver a aurora austral. Ademais, quando há condições favoráveis, os 1.900 quilômetros de costa de Victoria apresentam uma infinidade de pontos de observação. Além disso, é possível observar a beleza no céu com os pés na areia.

4 – Antártica e ilha de Geórgia do Sul

Notícias ao Minuto

A Antártica representa um ótimo lugar para buscar as luzes do sul. No entanto, por ser uma área com acesso restrito, voltado para expedições científicas, cruzeiros são uma boa opção. Ademais, esses cruzeiros realizam uma parada na Ilha de Geórgia do Sul. Além disso, o final de março representa a época perfeita para realizar esse passeio. Além disso, é possível desfrutar momentos de observação de baleias Jubarte, cachalotes e orcas.

5 – Ushuaia, Patagônia

Melhores Destinos

De maio até julho a Patagônia apresenta fortes probabilidades para ver a aurora austral. Pois, o inverno aumenta as horas de escuridão, a deixando ainda mais visível e por mais tempo. Entretanto, o tempo da Patagônia pode não colaborar. Portanto, não representa uma melhor opção para observar a aurora austral. Por outro lado, é um excelente ponto turístico para se visitar.

Continua após a publicidade

Então, se você gostou dessa matéria, também pode gostar dessa: Aurora Boreal – O que é, como ocorre, onde é vista e curiosidades.

Fontes: Go Out Side; Correio Brasiliense; Azeheb; Unicamp

Imagens: Melhores Destinos; Conceitos; Engenharia 360; Nossa Ciência; Catraca Livre; Notícias ao Minuto

Continua após a publicidade
Próxima página »

Escolhidas para você