História

Bruxas de Salem, a história do julgamento e da morte de bruxas no EUA

Em 1962 aconteceu a maior caça a bruxa da história, culminando no julgamento das Bruxas de Salem. Nós reunimos algumas informações.

Provavelmente você estudou um pouco sobre as Bruxas de Salem nos tempos de escola. Além disso, houve-se falar muito sobre o assunto na internet. O tema é famoso por que marcou um momento importante da Idade Média.

Em 19 de agosto de 1692 foi um dos ápices do famoso julgamento das Bruxas de Salem, em uma pequena cidade do Massachusetts, nos Estados Unidos.

Primeiramente, devemos salientar que cerca de 200 pessoas foram presas ou acusadas de bruxaria. Além disso 20 foram condenadas à morte nesse julgamento. O que você sabe mais sobre o assunto? O Segredos do Mundo vai te mostrar informações importantes sobre o julgamento das bruxas.

Confira 7 coisas que você precisa saber sobre o julgamento das Bruxas de Salem

1 – Doenças misteriosas

7 coisas que você precisa saber sobre o julgamento das Bruxas de Salem

Primeiramente, tudo começa em fevereiro 1692. Nessa data a filha de nove anos do Reverendo de Salem, Samuel Parris, uma colônia britânica puritana em que a Igreja comandava, ficou doente.

Consequentemente ela contorcia-se de dor, gritava e alegava estar sendo picada por insetos. Casos sinistros como esse aconteceram em outras regiões ali por perto.

Continua após a publicidade

2 – Diabo

7 coisas que você precisa saber sobre o julgamento das Bruxas de Salem

Certamente, devido ao controle da igreja católica, o culpado pela “doença” sinistra que se espelhava era o Diabo.

Consequentemente, o que ocorreu as meninas foi atribuído a três mulheres: primeiramente Tituba, uma escrava; em seguida, a Sarah Good, uma mendiga; e, por último, a Sarah Osborne, uma idosa pobre. Elas eram vistas como servas do Diabo.

3 – Julgamento

7 coisas que você precisa saber sobre o julgamento das Bruxas de Salem

Em março daquele ano, deu-se inicio ao julgamento das Bruxas de Salem. Consequentemente, as três mulheres foram julgadas.

Tituba confessou que recebeu uma visita do diabo e que havia se tornado sua serva. Também acusou outras mulheres que estariam tramando contra os puritanos. As outras declararam inocência. No final, todas elas foram presas.

Continua após a publicidade

4 – Paranoia

7 coisas que você precisa saber sobre o julgamento das Bruxas de Salem

Esse julgamento levou a uma paranoia coletiva em toda a população. Consequentemente, muitas acusações começaram a aparecer e muitas mulheres foram presas.

Além disso, um ministro da igreja também chegou a ser enforcado por ser acusado de ser um dos lideres das bruxas.

5 – Fim da caça

7 coisas que você precisa saber sobre o julgamento das Bruxas de Salem

A caça acabou quando o governador William Phipps atendeu a um pedido do presidente da Universidade Harvard, que denunciou o uso de evidências especulativas. Ou seja, testemunhos sobre sonhos e visões.

“É melhor que dez bruxas suspeitas escapem do que uma pessoa inocente seja condenada”, escreveu. Consequentemente, o fim do julgamento foi em 29 de outubro.

Continua após a publicidade

6 – Julgamento ilegais

7 coisas que você precisa saber sobre o julgamento das Bruxas de Salem

Após o fim do julgamento, muitas pessoas admitiram o erro do que havia acontecido.

Em 1702, os julgamentos foram considerados ilegais, e nove anos depois a colônia determinou que os nomes dos condenados fosse limpos. Além disso, foi oferecido uma recompensa financeira para os envolvidos.

7 – Fungos

7 coisas que você precisa saber sobre o julgamento das Bruxas de Salem

Hoje em dia, o caso é considerado um exemplo de histeria coletiva.

Além disso, também existem teses que atribuem os sintomas esquisitos das crianças a um tipo de fungo que pode ser encontrado no pão e que provoca espasmos musculares, vômitos e alucinações.

Continua após a publicidade

Você gostou dessa matéria? Então você também vai gostar dessa: 8 filmes para o Dia das Bruxas que vão deixar sua noite mais medonha

Fonte: Galileu

Imagens: ComboPop Vice Torre de Vigilância Canal Ciências Criminais

Próxima página »

Escolhidas para você