Mundo Animal

Caravela-portuguesa: um dos seres mais temidos dos mares

A caravela-portuguesa é uma das criaturas mais fascinantes e perigosas que habitam os oceanos, reunimos aqui tudo sobre ela.

Embora seu nome remeta ao país lusitano, a exótica caravela-portuguesa habita também o litoral brasileiro. Assim como as embarcações responsáveis por trazer os primeiros navegadores europeus à terras sul-americanas, o ser vivo não costuma viajar sozinho e chega em grande número, trazendo consigo uma colônia que ultrapassa milhares.

Ademais, apesar de sua aparência ser bastante convidativa, com cores vibrantes e uma textura gelatinosa, a caravela-portuguesa é uma espécie que pode causar muito estrago. Só para ilustrar, mesmo depois de morto a criatura preserva seu veneno, podendo ferir qualquer um que aproxime-se.

Dessa forma, as parentes próximas das águas-vivas, primas por assim dizer, são bonitas e perigosas. Fascinante, né?! Aposto que você ficou interessado. Bom, pensando nisso, reunimos abaixo algumas informações cruciais sobre as caravelas-portuguesas. Vamos lá?

O que é uma caravela-portuguesa?

Fonte: Aloha Surf Sup School

Primeiramente, é comum confudirem a caravela-portuguesa com águas-vivas, também conhecidas como alforrecas. No entanto, assim como dissemos acima, qualquer semelhança é mera culpa da genética. Embora pertença também ao grupo dos cnidários, a Physalia Physalis sequer é considerada um animal. Curioso, né?

Pois é, acontece que a caravela-portuguesa está mais para um organismo pluricelular, composto de quatro pólipos, ou zooides, distintos – portanto, uma colônia. Esses pólipos não sobrevivem separados e cada um deles tem sua função:

  • pneumatóforo: é a vesícula flutuadora;
  • dactilozooides: formam os tentáculos;
  • gastrozooides: constituem os “estômagos” da colônia;
  • gonozoides: responsáveis pela reprodução.

Ademais, o nome caravela-portuguesa – em inglês, Portuguese Man’o’War – é uma referência à semelhança com as embarcações utilizadas pelos portugueses e aos chapéus utilizados pelos marinheiros lusitanos. Aliás, sua cor azulada também lhe rende o apelido de Garrafa Azul.

Continua após a publicidade

Características desse ser

Caravela-portuguesa: um dos seres mais temidos dos mares
Fonte: G1

Assim como dissemos acima, as caavelas-portuguesas são organismos pluricelulares aquáticos e marinhos. Além disso, os pólipos que constituem a colônio possuem funções muito bem designadas. O pneumatóforo, por exemplo, é a “cabeça” da caravela e o responsável por sua locomoção flutuante pelos mares.

Contudo, além disso, as caravelas-portuguesas contam com diversas outras características. Só para ilustrar, suas cores variam entre o rosa e o azul, assumindo com frequência um tom arroxeado. Ademais, essas variações de tonalidade ocorrem de acordo com o ambiente no qual as mesmas estão inseridas.

Embora possam parecer frágeis, as caravelas-portuguesas são, na verdade, muito resilientes. Ao contrário da maioria dos seres que, se expostos a muito tempo sob o sol, adquiririam tumores ou cancro, a caravela-portuguesa não é afetada pela radiação ultravioleta.

Já na parte da alimentação, as caravelas-portuguesas não caçam, apenas capturam pequenos organismos marinhos desatentos com seus tentáculos. Peixes e plâncton fazem parte da dieta da criatura, por exemplo. Além disso, a caravela-portuguesa tem poucos predadores conhecidos, sendo eles: a tartaruga-comum, o caracol-violeta e a lesma-do-mar azul, animais imunes a suas toxinas.

O perigo das caravelas-portuguesas

Fonte: VipSocial

Pois bem, antes de tudo, não precisa ficar com medo de ir à praia, já que a caravela-portugesa não ataca banhistas. Todavia, assim como já foi dito acima, mesmo depois de morta a criatura provoca lesões na pele e sistema nervoso de quem tocá-la. Portanto, é nisso que as pessoas devem atentar-se.

A picada da caravela-portugesa pode causar reações que vão desde coceiras e vermelhidão até queimaduras graves. O veneno semelhante ao da aranha Viúva-Negra pode provocar também: náuseas, vômitos, câimbras, tonturas, reações alérgicas graves acompanhadas de arritmias e necrose do tecido. Deu pra ver onde mora o perigo?

Continua após a publicidade

Além das queimaduras das caravelas-portuguesas poderem resultar em cicatrizas permanentes, em casos mais raros, uma única picada pode ser fatal.

O que fazer em caso de queimaduras?

Visto que é melhor prevenir do que remediar, se mesmo após todas as bandeiras vermelhas levantadas, você ainda se deparar com uma situação de queimadura de caravela-portuguesa, eis aqui os procedimentos que devem ser realizados:

  1. Lavar com água do mar o local da queimadura, com cuidado e sem esfregar. Atenção: nunca usar água doce na picada;
  2. Remover, com a ajuda de um instrumento de plástico, os fragmentos de tentáculos que possam estar agarrados à pele. O recomendado seria usar uma pinça, mas na hora do aperto até o cartão de crédito serve;
  3. Aplicar vinagre, se for possível. Nunca álcool ou amônia.
  4. Cobrir com bandagens quentes ou água quente para alívio da dor;
  5. Procurar assistência médica o mais rapidamente possível.

Além disso, a qualquer sinal de uma caravela-portuguesa encalhada na praia, alertar o salva-vidas ou autoridade responsável mais próxima para que tomem as devidas precauções.

Curiosidades sobre a caravela-portuguesa

Fonte: Notícias ao Minuto

Assim como pudemos ver acima, as caravelas-portuguesas são seres impressionantes. Porém, engano o seu se você acha que as curiosidades a respeito da espécie acabaram por aqui. Logo abaixo você pode conferir mais detalhes surpreendentes sobre o ser marinho.

Comprimento dos tentáculos

Caravela-portuguesa: um dos seres mais temidos dos mares
Fonte: Mega Curioso

Os tentáculos de uma caravela-portuguesa podem alcançar os 50 metros de comprimento. No entanto, apesar desse ser o tamanho máximo já registrado, é mais comum que os mesmos não ultrapassem os 9 metros.

Tentáculos zumbis

Caravela-portuguesa: um dos seres mais temidos dos mares
Fonte: InfoEscola

Alguns tentáculos podem desprender-se do resto da colônia e acabarem encalhados na praia. Atenção, eles continuam contendo veneno e podem gerar picadas doloridas.

Continua após a publicidade

Vizinho amigável

Fonte: Flickr

Apesar de comer principalmente peixes e crustáceos, as caravelas-portuguesas contam com um vizinho chamado Nomeus gronovii. O pequeno peixe australiano é capaz de nadar entre os ferrões delas e comer os plânctons ali presos. Em suma, a caravela-portuguesa está para o Nomeus, assim como a anêmona está para o peixe-palhaço.

Cuidado com as crianças

Caravela-portuguesa: um dos seres mais temidos dos mares
Fonte: Prefeitura de Santos

Ao passo que contam com cores muito chamativas e parecem uma bolha colorida viva, as caravelas-portuguesas podem atrair a atenção de crianças. Aliás, os países que sofrem com uma quantidade excessiva dessas criaturas costumam colocar avisos nas praias para alertar os pais.

Terras brasileiras

Caravela-portuguesa: um dos seres mais temidos dos mares
Fonte: Mega Curioso

Normalmente encontradas em águas quentes do Pacífico, do Atlântico e do Índico, as caravelas-portuguesas podem muito bem aportar no Brasil. Embora isso não seja um problema, já que aqui são todos bem-vindos, vale lembrar que elas costumam se aglomerar em grupos de mil colônias ou mais.

E então, o que achou da matéria? Se gostou, confira também: Polvos – características, espécies, reprodução e diferenças das lulas.

Próxima página »

Escolhidas para você