História

15 civilizações que desapareceram sem deixar vestígios

Algumas civilizações que desapareceram sem nenhuma explicação razoável ou clara, deixaram-nos poucas pistas quanto à natureza da sua cultura.

Do colapso da Roma antiga à queda do império maia, evidências da arqueologia sugerem que cinco fatores estiveram envolvidos nas civilizações que despareceram. São eles: movimentos populacionais incontroláveis; novas doenças epidêmicas; estados falidos levando a um aumento da guerra; colapso das rotas comerciais levando à fome; e, por fim mudanças climáticas.

Essas sociedades antigas desaparecidas deixam grandes lacunas em nossa compreensão. Ademais, algumas das culturas perdidas e civilizações históricas misteriosas sobre as quais menos sabemos, provavelmente têm algumas das histórias mais interessantes a revelar.

Confira a seguir quais foram estas civilizações que desapareceram e suas principais características.

15 civilizações que desapareceram sem deixar vestígios

1. Austronésios de Madagascar

Continua após a publicidade

Em suma, os habitantes originais de Madagascar parecem ser de origem austronésica, ou seja, as únicas pessoas desse tipo perto daquela parte do mundo. A língua falada em Madagascar era mais parecida com a falada em Bornéu, que ficava a 6.500 quilômetros de distância.

Contudo, os antropólogos acreditam que a existência dessa civilização foi comparada à chegada de Colombo ao Caribe e à descoberta de uma ilha singular cheia de suecos de cabelos louros e olhos azuis.

2. Astecas

15 civilizações que desapareceram sem deixar vestígios

Os astecas estão entre as civilizações que desapareceram por causa da conquista espanhola e do surgimento de novas doenças em seu território. Em suma, o Império Asteca foi conquistado em 1521 por Hernando Cortez liderando um exército de centenas de soldados espanhóis e mais de 200.000 guerreiros Tlaxcalan.

Continua após a publicidade

A conquista da grande capital asteca de Tenochtitlan foi principalmente auxiliada por um surto de varíola que matou milhares de astecas e enfraqueceu severamente sua resistência.

Muito também foi atribuído à posse espanhola de pólvora. No entanto, foram as doenças a principal causa do colapso da civilização asteca. Uma causalidade que também destruiu muitas sociedades nativas na América do Norte.

3. Civilização Maia

Os maias são uma das civilizações antigas mais famosas, mas, estranhamente, isso não significa que sabemos muito sobre eles.

Continua após a publicidade

Aliás, traços de sua cultura sul-americana vista em evidências deixadas para trás foram recuperados pela natureza, deixando os arqueólogos e antropólogos modernos com mais perguntas do que respostas.

Contudo, entre as principais descobertas, sabemos que os maias construíram algumas maravilhas arquitetônicas e criaram um calendário impressionante, mas não sabemos como todos eles desapareceram. O Império Maia parece ter entrado em colapso há cerca de 1.000 anos, deixando para trás uma verdadeira cidade fantasma.

Alguns teóricos modernos acreditam que a mudança climática foi a culpada e, em 2018, uma equipe de pesquisadores calculou as condições ambientais durante o declínio da cultura e confirmou essa hipótese. Um grupo de Ph.D. candidatos da Universidade de Cambridge publicaram seu estudo na Science Magazine.

Em dezembro de 2019, os arqueólogos descobriram um grande palácio que atribuem à elite maia, enterrado em Kulubá, nas florestas do estado mexicano de Yucatán. Acredita-se que os maias ocuparam o local de 600 a 900 d.C., quando a cultura prosperou, e novamente de 850 a 1050 d.C, durante o seu declínio.

Continua após a publicidade

Em junho de 2020, arqueólogos revelaram uma nova descoberta no sítio Aguada Fenix, na base do Golfo do México. O extenso complexo, com quase um quilômetro de comprimento, parece datar cerca de 1000 a.C., tornando-o potencialmente o maior e mais antigo monumento maia já encontrado.

4. Civilização Rapa Nui

As famosas “cabeças” (ou Moai) da Ilha de Páscoa (que eventualmente foram descobertas por terem corpos subterrâneos), são tudo o que restou das pessoas misteriosas que uma vez ocuparam a ilha remota.

A Ilha de Páscoa está longe de qualquer outra civilização, mesmo para os padrões polinésios. Isso significa que um pequeno grupo de navegantes provavelmente embarcou em uma canoa, encontrou a Ilha de Páscoa, criou algumas estátuas icônicas e depois foi embora ou morreu.

Continua após a publicidade

Além disso, pesquisas modernas sugerem que os habitantes da ilha, os Rapa Nui, podem ter destruído seu próprio meio de vida pelo esgotamento dos recursos.

5. Nabta Playa

15 civilizações que desapareceram sem deixar vestígios

Os Nabta Playa eram um povo notável entre as civilizações que desapareceram, descritos como antigos astrônomos do deserto da Núbia. Desse modo, esta civilização existiu há mais de 11.000 anos e foi a primeira cultura a deixar evidências de investigações astronômicas.

Eles criaram inúmeras estruturas de pedra destinadas a rastrear os movimentos das estrelas, o que provavelmente lançou as bases para que outras civilizações antigas continuassem com o estudo.

Continua após a publicidade

Além disso, o povo de Nabta Playa vivia em um ambiente árido de deserto, o que ajuda a explicar por que não deixaram muitas outras informações para trás, embora alguns acreditem que foram os ancestrais das civilizações do Nilo.

6. Civilização Olmeca

A cultura olmeca provavelmente tinha mais do que cabeças gigantes e ameaçadoras, mas tem sido difícil descobrir exatamente o que ela foi.

Os olmecas, que ocuparam a mesma área básica que os misteriosos maias 1200 anos antes de sua ascensão, foram vítimas do mesmo destino que obscureceu a história maia.

Continua após a publicidade

Em suma, os olmecas espalharam seu império por mais de 900 anos, estabelecendo o padrão que os futuros impérios sul-americanos seguiriam, antes de desaparecer misteriosamente por volta de 300 a.C.

7. Povos Clovis

A palavra “Clovis” agora é quase sinônimo de um tipo de artefato arqueológico em particular: pontas de flecha. Isso ocorre porque o povo Clovis espalhou todo um continente com elas. Aliás, os Clovis parecem ser a primeira civilização verdadeiramente dominante e expansionista na América do Norte, mas muito pouco se sabe sobre eles.

Eles se espalharam pela maior parte da América do Norte (e partes da América Central) dentro de alguns milhares de anos depois que os humanos chegaram ao continente, deixando para trás suas armas de marca registrada, mas muito poucas outras pistas.

Continua após a publicidade

Portanto, ninguém sabe exatamente o que aconteceu a essa cultura, se ela morreu ou simplesmente foi engolida por outras civilizações.

8. Civilização Silla

15 civilizações que desapareceram sem deixar vestígios

A Silla foi uma civilização que, apesar de governar a Coréia por mais de mil anos, deixou poucos esqueletos intactos devido ao solo peninsular.

Um dos conjuntos completos de ossos pertencia a uma jovem com um crânio grotescamente alongado, algo que os arqueólogos acreditam ser uma ocorrência natural.

Continua após a publicidade

Então, talvez não precisemos aprender mais sobre esse império mutante que se estende pela península.

9. Dinastia Sanxingdui

Os Sanxingdui eram aparentemente um império poderoso na China antiga que deixou para trás uma quantidade surpreendentemente pequena de evidências físicas. Eles parecem ter sido completamente apagados do mapa há cerca de 3.000 anos.

Além disso, estudos geológicos modernos mostraram que um grande terremoto sacudiu sua região na época de seu desaparecimento. Portanto, isso pode ter desviado sua fonte primária de água, levando à rápida morte de sua civilização.

Continua após a publicidade

10. Povos de Punt

15 civilizações que desapareceram sem deixar vestígios

O povo de Punt é uma das civilizações que desapareceram, quase mítica que operou com e em torno de várias nações africanas antigas, incluindo o Egito. Registros egípcios falam de muitas expedições comerciais à terra de Punt, mas até hoje, nenhum arqueólogo moderno foi capaz de descobrir exatamente onde era.

Punt era aparentemente uma terra muito rica, com tesouros e recursos que rivalizavam com os egípcios, mas há muito pouca evidência de que eles negociassem com alguém que não fosse o Egito.

Alguém poderia pensar que uma terra rica no meio da África estaria pronta para a invasão, mas nada disso parece ter acontecido. Se alguém realmente descobriu a localização de Punt, não a registrou, muito menos compartilhou com o resto do mundo.

Continua após a publicidade

11. Cultura Bell-Beaker

15 civilizações que desapareceram sem deixar vestígios

A misteriosa civilização de nome cultura Bell-Beaker, é assim chamada por causa da cerâmica característica que eles deixaram para trás. Os Bell-Beakers viveram 4.600 anos atrás na Inglaterra e provavelmente eram. em sua maioria, pastores de vacas e ovelhas.

Novas evidências sugerem que eles também são as mesmas pessoas que lançaram as bases de Stonehenge, antes de serem destruídas por culturas posteriores.

Dessa forma, parece que os Bell-Beakers são de vital importância para a história britânica, uma vez que conhecemos apenas poucos vestígios de suas realizações e todas parecem bastante notáveis.

Continua após a publicidade

12. Pompeia

Esta antiga cidade romana foi completamente destruída e enterrada sob 6 metros de cinza e rochas na erupção do Vesúvio, em um dia fatídico em 79 a.C. Com ela foi enterrada a sua civilização de 20.000 pessoas, assim como o seu anfiteatro, ginásio, aqueduto e complexo sistema de águas.

A sua destruição foi imortalizada por Plínio, o jovem que fez seu relato em primeira pessoa sobre a erupção do vulcão, visto do seu vantajoso ponto de observação do outro lado da Baía de Nápoles.

Atualmente, os visitantes podem observar uma cidade congelada no tempo e os seus cidadãos presos na pedra como gárgulas à volta do perímetro de uma catedral

Continua após a publicidade

13. Civilização Harappa

A cultura Harappa do Vale do Indo, cuja localização deveria parecer óbvia, prosperou entre 4.000 e 3.000 anos atrás, tornando-a contemporânea do Egito Antigo e da Mesopotâmia.

Algumas evidências sugerem, no entanto, que atingiu alturas ainda maiores do que aquelas duas civilizações e pode ter compreendido mais de 10% da população mundial.

Todavia, assim como as demais desta lista, essa civilização desapareceu misteriosamente. Os cientistas modernos acham que isso pode ter sido devido às mudanças climáticas.

Continua após a publicidade

14. Povos do Mar

Os Povos do Mar foram um grupo de invasores navais que aterrorizaram a região do Mediterrâneo por quase um século, entre 1276 e 1178 a.C., possivelmente provocando o colapso da civilização da Idade do Bronze.

Seus alvos principais eram os egípcios e o Império Hitita, mas ninguém sabe de onde vieram. Tudo o que está registrado é que eles navegaram vindos do nada, invadiram as terras do Mediterrâneo e então desapareceram.

Será então que um império pirata viking existia no mundo antigo, e esses povos conseguiram manter sua base secreta escondida para a história? Infelizmente, não há respostas para isso.

Continua após a publicidade

15. Gobekli Tepe

15 civilizações que desapareceram sem deixar vestígios

Por fim, os Gobekli Tepe certamente eram povos com desenvolvimento avançado. Isso porque a arquitetura encontrada entre as ruínas dessa misteriosa civilização parece muito tecnológica, o que se presta a especulações sobre intervenção extraterrestre nessa cultura.

O local original, um templo encontrado na Turquia moderna, data entre 13.000 e 12.000 anos, mas contém técnicas arquitetônicas que não seriam vistas novamente por milênios. As escavações subsequentes revelaram que o local é muito mais amplo do que se pensava anteriormente.

Agora que você leu sobre as civilizações que desapareceram, veja também: Como eram os primeiros seres humanos que habitaram a Terra?

Continua após a publicidade
Próxima página »

Escolhidas para você