Notícias

Clarão no céu de SP: fenômeno que intrigou cidadãos

Nas redes sociais, os internautas compartilharam fotos e vídeos e especularam sobre o que poderia ter causado o brilho no céu.

Um clarão no céu na madrugada desta quarta-feira (03), intrigou moradores do estado de São Paulo. Aliás, muitos registraram o fenômeno em vídeos, fotos e relatos nas redes sociais. Nas imagens é possível ver uma “bola de luz” cortando o céu e, depois, explodindo.

Internautas disseram que o clarão ocorreu por volta das 5h09. Aliás, nas redes sociais, surgiram inúmeras especulações sobre o que poderia ter causado o brilho no céu. Alguns achavam se tratar da passagem de algum meteoro, por exemplo.

O clarão foi registrado na capital, e em pelo menos oito cidades do interior do estado: Aguaí, Hortolândia, Rio Claro, Amparo, Pedreira, Campinas, Sorocaba e São João da Boa Vista.

O que os especialistas dizem sobre o clarão do céu em São Paulo?

Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – INPE

José Willians Vilas Boas, da divisão da astrofísica do INPE, em entrevista ao Portal G1, explicou o que aconteceu: “Eles (meteoros) caem na atmosfera e quando chegam a 100 quilômetros de distância, por causa da atmosfera terrestre, entram em atrito. Isso unido à velocidade faz com que queimem.

Em geral, elas são destruídas a 80 quilômetros de distância da superfície da Terra. O que vimos foi o caso de uma pedra maior, que levou mais tempo para se desfazer e por isso chegou a uma distância menor da Terra. Quando ela se aproximou, o atrito aumentou e explodiu em chamas. Essa explosão é o clarão que vemos nas imagens”, ressaltou Vilas Boas.

Rede Brasileira de Monitoramento de Meteoros – Bramon

“Estamos fazendo a triangulação desse objeto. Nossa análise preliminar, ainda sujeita a refinamento, mostra que o objeto passou a mais ou menos 16 km/s, o que é perto de 60 mil km/h”, explicou o geógrafo e servidor público federal Sergio Mazzi, diretor presidente da Rede Brasileira de Monitoramento de Meteoros (BRAMON), em entrevista ao Olhar Digital.

“Ele entrou a uma altitude de cerca de 107 km e explodiu quando estava perto de 70 km de altitude na atmosfera. Provavelmente, trata-se de um pequeno asteroide, com pouco mais de um metro e com origem na radiante 00691 ZCE Zeta Cetids. Contudo, para dizer com certeza, vai depender de mais estudos”.

Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas – IAG

Por fim, segundo Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) da Universidade de São Paulo (USP), o motivo mais provável é de que o clarão tenha ocorrido pela passagem de um bólido, ou seja, um meteoro brilhante.

Fontes: Olhar Digital, G1, O Liberal

Então, gostou desta notícia? Pois, leia também: Planetas que brilham – Causas e diferenças para com as estrela

Outros conteúdos que podem interessar:

10 motivos para olhar para cima e apreciar o céu em 2022
Asteroide perto da Terra fará sua maior aproximação ao planeta
Estudo analisa chances de mineração em asteroides no espaço sideral
Bombardeio de asteroides impactou o surgimento da vida na Terra
Cometa gigante está vindo em nossa direção [e pode ser o maior já visto]

Próxima página »

Escolhidas para você