Curiosidades

Código de barras – Origem e importância para o comércio

O código de barras foi criado com o intuito de facilitar os processos do comércio varejista e proporcionar maior segurança e eficácia na coleta de dados.

Por Renata Gonçalves Pereira

O código de barras é uma representação gráfica de números ou letras que podem ser decodificadas transmitindo algum significado. Ademais, são bastante utilizados em produtos e mercadorias de empresas. Além disso, trazem diversos benefícios e praticidade para quem adere esses códigos.

Dessa forma, é mais fácil controlar estoques, proteger contra fraudes, e rastrear os produtos. Consequentemente, com a agilidade das atividades, os custos também são bastante reduzidos. Por isso, é muito vantajoso investir nesses códigos nos produtos.

Existe uma variedade de tipos. Por exemplo, o código EAN, o QR code, e o GS1 DataBar. Ademais, cada um apresenta sua utilização e forma de identificação específica.

O que é, e para que serve o código de barras?

Imagem: UOL

O código de barras consiste em uma representação gráfica de números ou letras. Desse modo, pode ser decodificado por um scanner ou câmera comum. Ademais, a posição, espessura e espaçamento representam um caractere específico, que é transformado em números e letras.

Em suma, em um leitor de código de barras comum, uma luz infravermelha é emitida, para detectar os espaços pretos e brancos. Isto é, quando a luz é refletida no leitor através dos espaços brancos o leitor processa o código e envia para o computador. Com o intuito de controlar o estoque e aumentar a segurança do estabelecimento contra furtos, a adoção desses códigos é essencial.

Origem do código de barras

Imagem: Códigos de Barras Brasil

No ano de 1932, um estudante de negócios, Wallace Flint, desenvolveu um trabalho de dissertação. Em síntese, ele projetava um sistema para ser usado no supermercado para simplificar o processo de compras ao ponto de venda. Logo, o sistema consistia em utilizar cartões que faziam pequenos orifícios para indicar quais produtos compraram.

No entanto, mesmo sendo uma boa ideia, na época foi impossível implementa-la. Por isso, a ideia inicial dos códigos de barras surgiram em 1948, quando Bernard Silver escutou uma conversa entre o Deão do instituto e o proprietário de muitos supermercados. E, nessa conversa eles queriam alguma ferramenta que fosse automática e mais rápida para o ponto de pagamento nos mercados. Dessa forma, foram feitas algumas pesquisas, e o primeiro comercial do código de barras ocorreu em 26 de junho de 1974, em uma loja em Ohio, nos Estados Unidos.

Entretanto, em 1949, o primeiro sistema de codificação de produtos, espécie de precursor de código de barras, foi patenteado por Bernard Silver e Norman Joseph. Ademais, eram dois estudantes do Instituto Tecnologia de Drexel, na Filadélfia, que desenvolvem muitos sistemas diferentes de codificação numérica. Por fim, realizaram uma simplificação do ponto de venda nas lojas, e concluíram que o uso desses códigos facilitaria as vendas.

Tipos de códigos de barras

Existem variados tipos de códigos de barras. Ademais, cada um apresenta sua utilização e forma de identificação específica. Logo, os principais tipos são:

1 – EAN/UPC

Imagem: Cognex

É a forma mais usada no varejo, além de servir para identificar bens de consumo. Ademais, esse tipo apresenta tamanho padrão com 13 dígitos. No entanto o UPC apresenta 12 dígitos.

2 – GS1 DataBar

Imagem: Label Joy

Tem o tamanho menor quando comparado ao EAN. Entretanto, ele é capaz de armazenar uma maior quantidade de informações. Pois, ela é composta de duas fileiras de códigos. Por isso, é bastante encontrada no ramo do hortifrúti, por exemplo, permitindo a identificação de pequenos itens.

3 – Código 128

Imagem: Comprar códigos

É bastante compacto e denso, permitindo uma grande capacidade de armazenamento de informações. Ademais, é utilizado para a indústria e em transportes.

4 – Intercalado 2 e 5

Imagem: Cognex

Também chamado de ITF-14, é bastante comum na área de transportes e por operadores logísticos. Além disso, ele é bastante compacto, podendo ser encontrado em embalagens e caixas de papelão. Dessa forma, são utilizadas para acondicionar os produtos que serão encaminhados para os intermediários.

5 – Qr Code

Imagem: Data Plus Sistemas

O Qr code é bidimensional e que atualmente é bastante conhecido. Ademais, pode ser bastante utilizado no mercado, desde o controle do processo logístico até os medicamentos. Além de ser usado em aplicativos, ingressos, jogos, etc.

Composição do código de barras EAN

Imagem: JR Barcode

O código de barras mais comum é o EAN, que aparentemente só se enxerga uma sequência de números. Porém, ele é dividido em blocos que apresentam variadas informações, que são:

  • Bloco 1 – É um código do país. Portanto, é composto pelos três primeiros dígitos.
  • Bloco 2 – Consiste no código da empresa. Desse modo, apresenta de 4 a 7 dígitos que correspondem a empresa fabricante.
  • Bloco 3 – Corresponde ao código do produto para o fabricante. No entanto, a quantidade de dígitos variam conforme quantos produtos diferentes a empresa produtora precisa.
  • Bloco 4 – É o dígito verificador. Ademais, esse dígito é calculado segundo todos os demais, servindo para verificar se ao informar um código de barras durante a venda, os números informados para o código são válidos.

Benefícios do código de barras

Imagem: GS1 Brasil

O uso do código de barras não está relacionado apenas com a identificação dos produtos e sua origem. Isto é, esses códigos apresentam outros aspectos que os tornam muito importantes. Então, esses aspectos são:

  • Combate a fraudes – Pois garante a procedência e a qualidade a respeito da origem dos produtos.
  • Rastreabilidade dos produtos – É possível realizar o rastreamento dos produtos dentro da cadeia de abastecimento. Isto é, possibilidade de acompanhar cada fase dos bens dentro da logística.
  • Controle de entrada e saída – É possível identificar as entradas e saídas que o produto teve da empresa.
  • Melhorias na gestão de estoques – Possibilita uma melhor gestão dos estoques, sabendo o que tem e o que não tem.
  • Redução de custos – Através da agilidade na execução das atividades, e falta de erros, os custos se diminuem.

Como criar e ler um código de barras

Imagem: InfoVarejo

Para criar e ler esses tipos de códigos existem variados aplicativos eficazes. Logo, um aplicativo bastante usado no celular é o Leitor de QR Code & Barcode. Assim, só é necessário abrir o App, permitir o acesso à câmera e apontar para o código. Dessa maneira, o código de barras será lido e decodificado, transmitindo a sua mensagem. Por outro lado, esse aplicativo também permite criar um código de barras. Então, basta clicar na aba Criar e selecionar qual modelo será utilizado.

Em suma, a criação facilitou bastante a vida dos varejistas nas diversas operações diárias. Além de proporcionar maior segurança na hora de coletar as informações, auxiliando para que se tenha um bom funcionamento no processo de venda, controle de estoque e gestão em várias áreas.

Então, se você gostou dessa matéria, também vai gostar dessa: O Código da Vinci – 4 polêmicas que são verdadeiras e você não sabia.

Fontes: Códigos de Barras Brasil, GS1 Brasil, UOL, Blog de gestão para pequenas e médias empresas, Tecnoblog

Imagens: TecMundo, JR Barcode, Cognex, Label Joy, Comprar Códigos, InfoVarejo

Próxima página »

Escolhidas para você