Ciência & Tecnologia

Como se forma um vulcão? Origem e estrutura do fenômeno

Para aprender como se forma um vulcão é necessário entender sobre o fenômeno das placas tectônicas e a relação com as substâncias terrestres.

Em primeiro lugar, aprender como se forma um vulcão depende de conhecer mais sobre esse fenômeno da natureza. Nesse sentido, um vulcão consiste em uma estrutura geológica. Em resumo, se forma quando o magma, gases e partículas quentes escapam para a superfície.

No geral, os vulcões na Terra tendem-se a formar-se nas áreas das margens de placas tectónicas. Entretanto, existem exceções quando ocorrem em zonas de pontos quentes. Basicamente, consistem em locais onde o manto superior atinge altas temperaturas, sendo propício para surgimento de uma dessas estruturas.

Além disso, nesse processo elas ejetam altas quantidades de poeira, gases e aerossóis na atmosfera, interferindo no clima. Sendo assim, consistem em causadores de poluição natural, mas há ainda a possibilidade de um desastre natural de consequências planetárias. Sobretudo, esse fenômeno acontece porque a erupção é quase imprevisível e causa danos indiscriminados.

Curiosamente, o nome vulcão deriva do nome do deus do fogo na mitologia romana, o Vulcano. Em contrapartida, o ramo da ciência que estuda os vulcões chama-se vulcanologia, com o profissional que entende como se forma um vulcão sendo o um vulganólogo. Acima de tudo, deve-se possuir conhecimento em geofísica e geologia.

Continua após a publicidade

Fotografia de uma formação natural

Como se forma um vulcão?

A princípio, todo vulcão obedece À mesma estrutura. Desse modo, consistem em montanhas em formato de cone com uma abertura no cume. Entretanto, existem vulcões e montanhas com processos de formação geológica diversas. Ou seja, apesar de todo vulcão ser uma montanha, nem toda montanha é um vulcão.

Continua após a publicidade

Primeiramente, como se forma um vulcão é uma dúvida cuja resposta inicial parte do acúmulo de magma no interior da Terra. Em especial, esse acúmulo acontece em áreas de contato das placas tectónicas. No geral, essas placas ficam acima do magma, uma parte viscosa do manto responsável pelo movimento desses blocos rochosos.

No entanto, a pressão e o calor existentes nessa estrutura, assim como a movimentação circular do magma, provocam um acúmulo. Como consequência, esse excesso de pressão, calor e substâncias deve subir à superfície da alguma maneira para não causar uma implosão. Portanto, abrem-se as fendas, em forma de cone, para que o magma vaze para a superfície, e assim se forma um vulcão.

Continua após a publicidade

Portanto, forma-se erupções vulcânicas nas fendas que estão no ponto exato de contato entre as placas tectônicas. Em outras palavras, essas são as zonas de subducção. Basicamente, nesse ponto, a placa menos densa mergulha sob a mais pesada, o que acontece mais com placas oceânicas sob placas continentais.

Porém, ainda há formação de vulcão em áreas de afastamento de placa. Apesar disso, acontece pelo mesmo processo de pressão e acúmulo de magma. Dessa forma, quando as placas oceânicas se afastam, acontecem as erupções vulcânicas submarinas. Curiosamente, 80% de todo o vulcanismo do planeta acontecem desse modo.

Fotografia de uma formação natural

Curiosidades sobre o fenômeno

Em primeiro lugar, os países com maior número de vulcões ativos são o Chile, Japão, Indonésia, Estados Unidos e Rússia. Desse modo, esses países formam o Círculo de Fogo do Pacífico, uma área onde há maior frequência de atividades sísmicas e de vulcanismo. Ademais, estima-se haver aproximadamente 1500 vulcões ativos em todo o planeta Terra.

Continua após a publicidade

Mais ainda, cerca de 70 vulcões entram em erupção no planeta atualmente. Por outro lado, o vulcão ativo há mais tempo é o Yasur, na ilha de Tanna, em Vanuatu. Em resumo, está em erupção constante há 111 anos, com intervalos curtos de 3 a 4 minutos entre cada evento vulcânico.

Porém, o maior vulcão do mundo em terras emersas é o Mauna Loa, com 4.169 metros de altura e 90km de largura, no Havaí. Em contrapartida, sua última erupção aconteceu em 1984. No geral, conhece-o como o maior em largura, mas o mais alto é o Ojos Del Salado, no Atacama, Chile, com 6893 metros de altura.

Além disso, o vulcão com maior número de vítimas fatais ocorreu em Tambora, em 1815, e matou em torno de 100.000 pessoas na Indonésia. Curiosamente, esse fenômeno escureceu os céus no outro lado do planeta. Nesse sentido, o vulcão com maior nível de atividade dos últimos tempos consiste no Kilauea, no Havaí, em atividade ininterrupta há mais de 30 anos.

Por fim, o Brasil não possui vulcões. No entanto, em eras geológicas distantes existiram uma grande quantidade de vulcões no território brasileiro. Entretanto, essas atividades cessaram, porque o território encontra-se em uma área continental das placas tectônicas Ou seja, está distante da zona de encontro entre placas.

Continua após a publicidade

Quais são os principais vulcões do mundo?

1) Vesúvio, o vulcão mais famoso do mundo na Itália

Fotografia de uma formação natural

Em resumo, a fama do Vesúvio envolve a erupção no ano 79 depois de Cristo, quando o fenômeno fez desaparecer duas cidades por séculos. Basicamente, Pompeia e Herculano foram cobertas por lava e cinzas. Ademais, estima-se que o topo desse vulcão esteja  1200 metros acima do nível do mar, o que envolve uma longa trilha para os turistas.

2) Etna, o maior vulcão da Europa

Como se forma um vulcão: origem e estrutura do fenômeno

Também na Itália, o vulcão Etna é um dos grandes símbolos da região siciliana. Nesse sentido, possui 3.329 metros de altura com diversas crateras. Apesar disso, pode-se visitar o local por meio da ajuda de guias, e ver de perto as formações rochosas desse símbolo.

Continua após a publicidade

3) Mount Rainier

Como se forma um vulcão: origem e estrutura do fenômeno

Sobretudo, é um dos grandes símbolos do estado de Washington, nos Estados Unidos. Em resumo, consiste em um vulcão com 4.392 metros de altura, sendo um dos maiores e mais ativos do país. Porém, pesquisadores acompanham a atividade da estrutura e não há chances dele entrar em atividade nos próximos séculos.

4) Mount Kilauea, o vulcão mais ativo do mundo

Como se forma um vulcão: origem e estrutura do fenômeno

Em primeiro lugar, esse vulcão está no Parque Nacional dos Vulcões do Havaí, sendo extremamente popular como destino turístico. Ademais, sua última erupção aconteceu em dezembro de 2020. Desse modo, tornou-se um ponto de visitação, contendo trilhas e programas turísticos para os viajantes aventureiros.

Continua após a publicidade

5) Sakurajima, no Japão

Como se forma um vulcão: origem e estrutura do fenômeno

Por fim, o último vulcão dessa lista é um fenômeno ativo que está a leste da cidade central de Kagoshima, no Japão. Apesar disso, teve a última erupção com registro em 1914, o que mudou a geografia da região. Além disso, estima-se que ele esteja em constante erupções desde 1955, mas em escala insuficiente para causar riscos além da poluição natural por causa da fumaça.

E aí, aprendeu como se forma um vulcão? Então leia sobre Sangue doce, o que é? Qual a explicação da Ciência.

Continua após a publicidade

Próxima página »

Escolhidas para você