Curiosidades

Crowley, quem foi? Vida, obra e estudos do mago do ocultismo

Aleister Crowley, o mago que transformou a prática da magia em um estilo de vida, influenciou pessoas com sua religião, a Thelema.

Atualizado em 22/01/2020

Edward Alexander Crowley, ou mais conhecido por Aleister Crowley nasceu em 1875 e morreu em 1947. Ele foi um grande mago, escritor, poeta, ocultista, filosofo, iogue, montanhista e enxadrista. Essas foram as atribuições dadas a Crowley. Desta forma ele ficou mundialmente conhecido como um grande mago do ocultismo.

O mago nasceu na região de Warwickshire, na Inglaterra. E vindo de uma família extremamente religiosa, sempre teve experiências físicas e espirituais. Contudo isso não o impediu de se interessar por outras religiões e ritos. Sua mãe não tinha um bom relacionamento com ele, e constantemente o chamava de “A Besta”, o que no futuro e tornou o nome que ele se denominava, “Besta 666”.

Aos 20 anos Crowley já mexia com misticismo, e começou a escrever poesias eróticas. Sua busca pelo autoconhecimento frequentava prostíbulos e usava drogas par alcançar outros planos espirituais. Portando o mago se denominava bissexual e adepto de “ménage à trois””.

Crowley – vida e estudos do mago do ocultismo
Crowley com trajes cerimoniais em 1912, na Inglaterra – Folha de São Paulo.

Por conta disso ele apareceu em vários escândalos sobre libertinagem com comportamentos libertinagem. E juntamento com os escândalos a impressa britânica, do início do século passado o classificava como o “homem mais perverso do mundo”.

Mas foi com 23 anos que Crowley começou a sua carreira no misticismo, quando entrou para uma organização clandestina. A organização se chamava The Hermetic Order of the Golden Dawn (“Ordem Hermética do Amanhecer Dourado). Posteriormente após uma briga, decidiu ele deixar a ordem, mas ela inspirou várias de suas práticas.

O Livro da Lei e a religião fundada por Crowley

Quando Raul Seixas lançou a música Sociedade Alternativa, em 1974, a mesma alcançou as paradas de sucesso. Ela ganhou o país com a frase “Faz o que tu queres pois é tudo da Lei”. Essa tal lei, no caso foi criada por Aleister Crowley.

A música cita o livro mais famoso do mago, o “Livro da Lei”. A base do seu pensamento para a construção do livro se deu em sua lua de mel no Cairo, Egito, com sua esposa Rose Kelly, em 1904. De acordo com ele, entre os dias 08 e 10 de abril, um espirito chamado Aiwass teria entrado em contato com ele e ditado os três capitólios do livro.

Crowley – vida e estudos do mago do ocultismo
Fonte: Weiser Antiquarian Books

Aiwass seria uma entidade, emissárias do Deus egípcio Hoo-paar-kraat, ou Horácrates, como era conhecido na Grécia. Bem como era encarregada de cuidar dos segredos místicos do silencio. Logo as informações dadas por Aiwass deu origem ao “Livro da Lei”, obra mais famosa de Crowley.

A obra deu início à Thelema, religião fundada pelo mago. Ela defendia a tese de que o mundo passou por diversos aeons, ou seja, fases espirituais. Sendo o primeiro comandado por uma mulher, o segundo por um homem. O terceiro e atual por um Deus criança, que seria Hoo-paar-kraat. Deus esse, que Aiwass, a entidade que entrou em contato com Crowley era mensageira.

Mais tarde em 1920 ele fundou sua Abadia de Thelema, na Sicília, Itália. O espaço foi destinado a práticas de suas magias e ritos. Anos depois da sua fundação um seguidor da religião morreu dentro da mesma. A causa da morte foi injeção de sangue de um gato sacrificado. Por conta disso Crowley foi expulso do país pelo então ditador italiano, Benito Mussolini.

Ritos praticados por Crowley

O mago realizou inúmeros ritos e feitos, mais alguns se sobressaem, como a tentativa de traze a vida os deuses romanos Júpiter e Mercúrio. Em suma, ele sempre utilizava-se de sangue de animais, drogas e longos períodos de atividades sexuais. Bem como todos eles eram descritos detalhadamente em seu diário, que posteriormente vieram a ser publicados.

Crowley também possuiu uma casa na Escócia, chamada Casa Boleskine, onde tentou contactar o anjo da guarda por meio de um ritual. No qual ele teria que invocar 12 demônios e neutralizar um a um, durante um período de seis meses. Simultaneamente ele estaria em completa abstinência neste período. Mas o tal não aconteceu por conta de uma viagem.

Crowley – vida e estudos do mago do ocultismo
Uma das casas de Crowley, localizada na Escócia – Super Interessante.

Posteriormente a casa foi vendida, mas sempre ocorriam tragédias no local. Em 1960, o então dono major Edward Grant cometeu suicídio na cama onde Crowley dormia. Em seguida o guitarrista do Led Zeppelin, Jimmy Page também foi dono da casa, e alegava ter medo de dormir no local. Todavia, em 2015 a casa foi destruída devido a um misterioso incêndio.

Outro rito conhecido foi o de 1909 realizado durante uma viagem a Argélia. Nele Crowley invocou 30 demônios, em uma cerimônia de magia sexual. Além de ter sacrificado animais para Choronzon, demônio conhecido pelo número 333. Na época ele estudava o Alcorão.

O mago viajou o mundo todo, e em uma de suas viagens conheceu Ananda Coomaraswamy e Alice Richardson, em Nova York. Os três alegaram ter entrado em contato com Alamantrah, uma espécie de Alien. No ritual para tal contacto, Alice engravidou de Crowley, contudo, logo depois a mesma perdeu o bebe. Todavia o mago não era apoiador do aborto, porém essa situação era frequente em sua vida.

Influência em Filmes e HQs

O escritor, mago, “Besta 666” ou Aleister Crowley como todos o conheciam influenciou inúmeras obras, desde história em quadrinhos, os HQs, como músicas e músicos famosos. Bem como é muito fácil encontrar referências a ele na arte produzia nos últimos 50 anos, principalmente em músicas.

Gaiman cita Crowley de várias formas, porém a mais memorável é no personagem das histórias de “Sadman”: o mago Roderick Burguess, que teve seu desenho inspirado na figura real do ocultista. Grant Morrison já fez diferente, o cartunista tinha Crowley como um grande ídolo e o incluiu na sua obra mais famosa.

Em “Batman: Asilo Arkham”, Morrison criou um encontro do mago com o fundador do asilo Gotham City, Amadeus Arkham. Mas sem dúvida a mais memorável foi a de Alan Moore. Igualmente outros autores, Moore cita Crowley nas obras “V de Vingança”, “Promethea” e “Do Inferno”. Em especial na obra “Do Inferno” onde desenhou o ocultista ainda garoto, em uma participação especial.

Influências musicais

Na música ele Aleister influenciou de várias maneiras. Como dito anteriormente ele foi citado na música Sociedade Alternativa de Raul Seixas, baseada no “Livro da Lei”. Posteriormente,  Crowley também influenciou os álbuns “Krig-ha Bandolo!”, de 1973, “Gita”, de 1974 e “Novo Aeon” de 1975.

Ele também aparece na capa do álbum “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band”, de 1967, dos Beatles. O mago é o segundo rosto, da esquerda para a direita, da fileira superior. O vocalista da banda Iron Maiden, Bruce Dickinson também é um fã de carteirinha de Crowley, e cita o ocultista em várias de suas músicas.

Crowley – vida e estudos do mago do ocultismo
Capa do álbum “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band”dos BEATLES, de 1967 –Portal Beatles Brasil

O vocalista da banda Iron Maiden, Bruce Dickinson também é um fã de carteirinha de Crowley, e cita o ocultista em várias de suas músicas. Por outro lado o cantor Ozzy Osbourner gravou uma música intitulada “Mr. Crowley, em seu primeiro álbum solo, em 1980, além de dedicar a Aleister Crowley seu CD seguinte. David Bowie também cita o mago, em sua música “Quicksand”. Em suma ele se diz vestindo roupas de Crowley em um sonho delirante.

Fim da vida do mago

Sem sombra duvidas o mago ocultista Aleister Crowley foi um grande influenciador e figura história. E juntamente com o poeta Fernando Pessoa, em 1930, ele simulou sua própria morte em Portugal. Logo depois ele reapareceu em Berlin. Todavia sua morte realmente se deu em 1947, pobre e quase sem seguidores. Contudo seus ensinamentos ainda inspiram muitas pessoas, e ajudou no crescimento da corrente neopagã no mundo ocidental nos anos de 1960 e 1970.

Certamente Crowley foi uma grande figura histórica. Mas você já conhecia a sua história? Se a achou interessante confira também: Religiões – O que são, diferenças e quais as mais populares do mundo.

Fonte: Super Interessante e Folha de São Paulo

Imagem destacada: Super Interessante