30 fatos e curiosidades sobre a dengue que devemos conhecer

O vírus da dengue é transmitido através do Aedes aegypti. No entanto, existem algumas curiosidades sobre a dengue que muitas pessoas não conhecem.

A dengue consiste em uma doença infecciosa proveniente do vírus DENV 1, 2, 3, 4 ou 5. Logo, ela é transmitida através da picada do mosquito fêmea Aedes Aegypti.

Assim, conforme a Organização Mundial da Saúde (OMS), em torno de 390 milhões de pessoas são infectadas anualmente em cerca de cem países.

Dessa forma, os sintomas da dengue envolvem febre, cansaço, dor de cabeça, e dor no fundo dos olhos. Geralmente, o tratamento se baseia em repouso, e o consumo de analgésicos e antitérmicos.

Portanto, para diminuir os casos de dengue é necessário tomar algumas medidas de prevenção. Por exemplo, evitar o acúmulo de água parada, colocar tela nas janelas e colocar areia nos vasos de plantas.

Continua após a publicidade

30 fatos e curiosidades sobre a dengue que devemos conhecer

1. O mosquito é originário do Egito

O Aedes Aegypti é originário do Egito, e a primeira notícia sobre esse mosquito ocorreu no Egito em 1752. Ademais, o mosquito teria saído do continente africano rumo às Américas, alcançando os países da costa oeste africana.

2. Apenas as fêmeas picam

Dentre as curiosidades sobre a dengue, está o fato de que a fêmea do Aedes aegypti é que se encarrega do desenvolvimento dos ovos, e necessita do sangue humano para a produção dos ovos.

Continua após a publicidade

As fêmeas desse mosquito têm a capacidade de botar até 500 ovos e picar 300 pessoas durante a vida, que dura de 30 a 45 dias. Por outro lado, apresentam um tamanho menor que os mosquitos convencionais, e contém hábitos diurnos. Além disso, são identificadas através de listras brancas em seu corpo.

3. A dengue não ocorre apenas em países tropicais

A princípio, a dengue era uma doença que afetava apenas países tropicais. Já que o mosquito se reproduz facilmente em locais úmidos e quentes. Entretanto, alguns estudos atuais apontam que o vetor da dengue também é capaz de se reproduzir em países europeus.

Continua após a publicidade

4. O vírus já foi erradicado no Brasil

No início do século XX o país foi considerado livre do vetor pela Organização Mundial da Saúde (OMS). No entanto, ao final da década de 1960, o mosquito foi reintroduzido, fazendo parte de todos os estados brasileiros até os dias de hoje.

5. As larvas sobrevivem em reservatórios limpos

P mosquito deposita os seus ovos em águas limpas. Desse modo, as larvas não são capazes de sobreviver em reservatórios poluídos, com dejetos e matéria orgânica.

6. O ovo é minúsculo

O ovo do mosquito é menor que um grão de areia. Ademais, consiste em um grão escuro e menor que um grão de areia. Em síntese, as fêmeas buscam depositar em paredes dos criadouros, e podem durar até um ano.

7. O vírus se multiplica no intestino do vetor e dá início ao ciclo de transmissão

Para realizar o ciclo de transmissão da dengue, é necessário que uma fêmea pique a pessoa. Posteriormente, o vírus se multiplica no intestino médio do vetor, infectando outros tecidos e às glândulas salivares. A partir de então, o mosquito é capaz de transmitir a doença enquanto viver.

Continua após a publicidade

8. Uma pessoa pode ser infectada até 4 vezes

Existem 4 sorotipos da doença. Por isso, quando a pessoa se infecta com um desses tipos, ela ganha imunidade permanente somente em relação àquele sorotipo, podendo contrair os demais tipos.

9. A dengue não é contagiosa de pessoa para pessoa

O vírus da dengue não é contagioso. Ou seja, ele não é transmitido através de toques, ou conversas. Logo, ele é obtido somente através da picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti.

10. A dengue não tem cura

A doença não apresenta cura. Apesar disso, os medicamentos que são consumidos contribuem para aliviar os sintomas provenientes do vírus. Por exemplo, dores, febre e mal-estar.

Portanto, a cura da dengue ocorre naturalmente no organismo, levando cerca de 10 dias.

Continua após a publicidade

Por outro lado, a automedicação é perigosa em caso de dengue. Pois algumas substâncias analgésicas e antitérmicas prejudicam a coagulação sanguínea e ocasionam complicações que provocam a óbito. Por isso, é imprescindível que a medicação seja prescrita por algum médico, que irá avaliar cada caso e quais medicamentos serão necessários.

11. Altura que o Aedes aegypti consegue voar

O mosquito Aedes aegypti não consegue voar em alturas muito altas. Além disso, também não são capazes de realizar voos longos, alcançando cerca de 200 metros.

Geralmente, esses mosquitos se locomovem através de outros objetos, como ônibus, carros ou elevador. Dessa maneira, alcançam alturas maiores, e buscam locais mais escuros para se esconder.

12. As larvas sobrevivem sem água

Esvaziar recipientes com água acumulada contribui bastante para diminuir a proliferação do Aedes aegypti. No entanto, isso não é o suficiente para eliminar esses criadouros. Visto que as larvas conseguem sobreviver cerca de três meses sem contato com água.

Continua após a publicidade

Por isso, além de esvaziar os recipientes cheios de água, é preciso realizar a limpeza deles. Ao limpar utilizando bucha, água e sabão, você irá eliminar os ovos que ficam presos nas superfícies dos recipientes.

13. O vírus atinge apenas seres humanos

Dentre as curiosidades sobre a dengue, encontra-se que o Aedes aegypti é capaz de picar outros animais. Entretanto, ele transmite o vírus apenas para seres humanos. Isto é, animais, como cachorros e gatos, não são afetados pela dengue.

14. É um mosquito difícil de identificar

O mosquito da dengue é bastante difícil de identificar. Ele apresenta apenas cerca de 0,5 cm de comprimento. Entretanto, quando os mosquitos se alimentam eles ficam mais pesados e voam lentamente, sendo possível vê-los mais facilmente.

15. Existem 4 tipos de vírus da dengue

Existem quatro tipos diferentes do vírus da dengue, e a infecção com um tipo não confere imunidade aos outros tipos. Na verdade, a infecção anterior com um tipo de vírus da dengue pode tornar a infecção subsequente com um tipo diferente mais grave.

Continua após a publicidade

16. O Aedes aegypti pode transmitir diversas doenças

O Aedes aegypti pode transmitir também a febre chikungunya, zika vírus, febre amarela.

17. Quem tem dengue não pode tomar aspirina

Isso ocorre devido ao fato de o ácido acetilsalicílico aumentar o risco de hemorragia.

18. O mosquito não morre no frio

Apesar de ser característico do clima tropical, ele pode sobreviver em temperaturas mais frias por um curto período de tempo.

Quando exposto a temperaturas abaixo de 10°C, o mosquito entra em um estado de hibernação e diminui sua atividade metabólica para conservar energia. Nesse estado, ele pode sobreviver por um período limitado, mas não é capaz de se reproduzir e transmitir a dengue.

Continua após a publicidade

No entanto, mesmo em climas mais frios, é importante tomar medidas para prevenir a propagação da dengue.

20. Sintomas

A dengue é conhecida por causar sintomas como febre, dor de cabeça e dor muscular, mas também pode afetar os olhos. Em alguns casos, a doença pode causar dor nos olhos, vermelhidão, fotofobia (sensibilidade à luz) e visão embaçada.

21. Chegada no Brasil

O Aedes aegypti, o mosquito que transmite a dengue, chegou ao Brasil durante o período colonial e se espalhou rapidamente por todo o país devido à sua capacidade de se adaptar a diferentes ambientes.

22. Fatalidade

A dengue pode ser fatal em casos graves. A forma mais grave da doença é conhecida como dengue hemorrágica, que pode levar à hemorragia interna, choque e falência de múltiplos órgãos.

Continua após a publicidade

23. Origem do nome

O nome “dengue” vem de “dengue quebrado” ou “dandy fever”, termos usados pelos soldados americanos que foram infectados com a doença durante a Segunda Guerra Mundial. O nome faz referência à dor intensa nas articulações, que muitas vezes faz com que os pacientes se dobrem ou se contorçam de dor.

24. Transmissão vertical

A dengue não se transmite diretamente de pessoa para pessoa.

No entanto, em casos raros, a transmissão vertical (da mãe infectada para o feto) e a transmissão por transfusão de sangue, também podem ocorrer.

25. Diagnóstico

O diagnóstico da dengue se dá por meio de exames de sangue que detectam a presença do vírus ou de anticorpos contra o vírus.

Continua após a publicidade

26. Vacina

Em 2023, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o registro de uma nova vacina contra a dengue.

O imunizante é indicado para população entre 4 e 60 anos. Assim, a aplicação é por via subcutânea em esquema de duas doses, em intervalo de três meses entre as aplicações.

27. Controle e prevenção da doença

O controle da dengue depende em grande parte da eliminação dos criadouros do mosquito Aedes aegypti. Isso envolve a eliminação de água parada em recipientes e áreas abertas, a instalação de telas nas janelas e portas e o uso de repelentes e roupas protetoras.

28. Ambiente preferido

Ambientes da casa úmidos, escuros e sombreados são os preferidos do Aedes aegypti.

Continua após a publicidade

29. Horário propício

O Aedes aegypti tem atuação acentuada das 8h às 16h, pois é totalmente doméstico e adaptado aos hábitos dos seres humanos

30. Muitas pessoas tiveram a dengue e não sabem

Por fim, dentre as curiosidades sobre a dengue, destacamos que diversas pessoas tem ou já tiveram dengue e não sabem. Pois, em cerca de 30% dos seus casos, ela é assintomática. Ou seja, em muitos casos ela não apresenta sintoma nenhum. Portanto, essa pessoa só identifica que teve dengue quando se infecta pela segunda vez. Pois, ela desenvolve uma versão mais clássica da doença.

Então, se você gostou dessa matéria, também vai gostar dessa: Zika vírus: 5 coisas que você precisa saber

Fontes: R7, G1, Globo, Desinservice

Continua após a publicidade

Outras postagens