Curiosidades

Desidratação – o que é, o que causa, sintomas e tratamentos

A desidratação pode até parecer um problema banal para a maioria de nós, porém ele pode levar ao coma e até mesmo a morte. Descubra mais!

Quando se fala em desidratação, a maioria das pessoas simplesmente ignora o assunto. Certamente você é uma delas, que acha que esse problema não é grave o suficiente para ganhar atenção.

Acontece que essa opinião está longe de estar correta. A desidratação é um sim um problema grave o suficiente para ser discutido.

Aliás, esta é uma doença potencialmente perigosa. Ela se caracteriza pela baixa concentração de água no corpo. Além disso, ela também conta com a ausência de sais minerais e de líquidos orgânicos no corpo.  E o problema pode chegar ao ponto de impedir que o corpo realize suas funções normais.

A enfermidade pode afetar pessoas de todas as idades. Apesar disso, ela é mais perigosa para as crianças e para os idosos.

Continua após a publicidade

Por que a desidratação acontece?

Agora, se quer saber como a desidratação acontece, o processo é bem simples, afinal. Basicamente, ela aparece quando o corpo acaba perdendo muita água. Como resultado disso, o organismo fica fora de equilíbrio ou desidratado.  E o mais preocupante de tudo é que a desidratação severa pode levar ao coma ou até mesmo à morte.

E não é de nenhuma forma mirabolante ou rara que podemos ficar desidratados. Na verdade, perdemos uma certa quantidade de água com suor, urina, fezes e sob a forma de vapor, ao respirar.

Consequentemente a desidratação ocorre se a água eliminada pelo organismo não for reposta adequadamente. Isso pode acontecer quando a ingestão de líquidos é insuficiente, principalmente se o corpo estiver fragilizado de algum forma.

Outras causas

Desidratação, quais são os sintomas, causas e tratamentos

Continua após a publicidade

Muitas condições podem levar a um cenário de desidratação. A perda excessiva de líquido pode ser causada por febre, sudorese (normalmente relacionado ao calor intenso ou esforço físico), vômito, diarreia e aumento da frequência urinária devido à infecção.

Além disso, a desidratação também pode ser consequência de urinar em excesso. Geralmente relacionado com o diabetes.

Por fim, a doença também pode ser causada pela capacidade diminuída para ingerir líquidos, falta de acesso à água potável, e até mesmo por lesões significativas na pele, como queimaduras ou feridas na boca.

Também é possível apontar como causas doenças de pele graves ou infecções. Isso porque o organismo pode perder muita água através da pele danificada.

Continua após a publicidade

Sintomas de desidratação

Desidratação, quais são os sintomas, causas e tratamentos

Basicamente, existem três tipo de desidratação: leve, moderada e grave. O diagnóstico da doença, aliás, pode ser feito com avaliação clinica e com alguns exames básicos, como o de urina, fezes e de sangue.

Leve e moderada

Nesses casos, os sintomas são a sede exagerada, boca e pele secas, olhos fundos, ausência ou pequena produção de lágrimas, diminuição da sudorese. Nos bebês, a moleira – aquela parte molinha no topo da cabeça – pode ficar afundada.

Além disso, também pode ocorrer dor de cabeça, sonolência, tonturas, fraqueza, e cansaço. Também é comum o aumento da frequência cardíaca.

Continua após a publicidade

Grave

Em casos de desidratação grave, podem surgir outros sintomas como queda de pressão arterial, perda de consciência, convulsões, coma, falência de órgãos e morte.

Como tratar a desidratação?

Desidratação, quais são os sintomas, causas e tratamentos

Primeiramente, a desidratação tem cura. Porém, precisa ser tratada imediatamente.

Nos casos de desidratação leve e moderada, é importante beber muita água filtrada ou fervida em goles pequenos e em intervalos curtos. Isso pode ser o suficiente para reidratar o organismo.

Continua após a publicidade

Também deve-se manter a pessoa em ambiente com temperatura amena para evitar a perda de água pelo suor.

Já, nos casos graves, a reidratação deve ser feita com o soro oral. Aliás, esse tratamento é distribuído gratuitamente nos postos de saúde.

É possível ainda conciliar o tratamento com o soro caseiro. Para prepará-lo, basta misturar 1 litro de água filtrada ou fervida com uma colher rasa de chá de sal e duas colheres rasas de sopa de açúcar.

Prevenção

Também é interessante prevenir a desidratação. Primeiramente, ingira pelo menos dois litros de água por dia.

Continua após a publicidade

Além disso, é aconselhável beber quantidades extras de água quando estiver em eventos ao ar livre. Isso devido à quantidade maior de suor que produzimos nessas ocasiões. Atletas e trabalhadores ao ar livre, por exemplo, devem repor os líquidos a todo momento.

Também é importante evitar a prática de exercício e a exposição durante os dias de índice de calor intenso. Evite ainda o consumo de álcool, especialmente quando o clima está quente; uma vez que ele aumenta a perda de líquido pela urina.

Use roupas de cores claras e soltas se você estiver exposto ao calor intenso. E, claro, não permaneça o tempo inteiro no sol.

E, um detalhe importante: manter o controle dos níveis de diabetes no sangue também evita a perda intensa de líquidos.

Continua após a publicidade

Você gostou dessa matéria? Então você também vai gostar dessa: 10 efeitos colaterais que beber água em excesso pode causar no corpo

Fonte: Drauzio Minha Vida

Imagens: Clique Diário Opas Guia da Farmácia Marcos Britta

Continua após a publicidade
Próxima página »

Escolhidas para você