Dieta low carb, com restrição de carboidratos, reduz expectativa de vida

Tem um tempo que a chamada dieta low carb entrou em alta. Basicamente, o que ela manda, é reduzir a quantidade de carboidratos consumidos ao longo do dia, substituir os carboidratos chamados “vazios” – como os pães e os bolos feitos com farinha de trigo – por carboidratos funcionar e aumentar a ingestão de frutas, verduras e, especialmente, de proteínas e gorduras.

Embora muita gente tenha conseguido ao chegar ao peso ideal com a ajuda da dieta low carb, cientistas americanos acabaram de concluir um estudo que aponta que essa não é a melhor opção para emagrecer e manter a boa forma. Isso porque, ao que tudo indica, uma dieta pobre em carboidratos pode nos fazer viver menos.

O outro lado da moeda

Publicada pela revista médica The Lancet, a pesquisa coloca em dúvida esse tipo de dieta de emagrecimento, especialmente a conhecida como paleolítica. Para quem não sabe do que se trata, a paleo é um tipo de dieta low carb.

Seus defensores, dizem que as mudanças rápidas em nosso estilo de vida e em nossa alimentação ,há 10 mil anos, com o surgimento surgimento da agricultura não deu tempo suficiente para que o corpo humano se adaptasse aos alimentos ricos em carboidratos.

Como identificar a dieta low carb?

Só para que você tenha uma base de comparação, o estudo considerou como dieta low carb ou de baixa consumo de carboidratos aquelas as quais esse grupo de alimentos proporcionam menos de 40% do total de energia.

E esse nem é o máximo que as dietas baseadas em proteínas e gorduras costuma restringir. Muitas reduzem o carboidrato como fonte de 20% ou menos de energia.

Nem tanto ao céu, nem tanto à Terra

Mas, como tudo na vida requer equilíbrio, não vai achar que o consumo de carboidratos está liberado indiscriminadamente.

O estudo apontou que um percentual igual ou superior a 70% de energia procedente dos carboidratos, como as massas, o arroz e outros alimentos do grupo; também é capaz de reduzir a expectativa de vida, embora de uma maneira menos intensa.

O estudo na prática

Para chegar a essas conclusões, os pesquisadores levaram em consideração o histórico médico de 15,5 mil pessoas entre 45 e 64 anos, nos Estados Unidos. Os participantes faziam parte de uma pesquisa sobre saúde, realizada nos quatro cantos do país, entre os anos de 1987 e 1989, na qual tiveram que responder a um questionário rico em detalhes sobre seus hábitos alimentares.

Ao longo de 25 anos, mais de 6 mil desses participantes acabaram falecendo.

Ao analisar o histórico dessas pessoas, os pesquisadores perceberam que homens e mulheres que tiravam entre 50% e 55% de suas calorias dos carboidratos viveram, em média, quatro anos a mais que as pessoas que restringiam o consumo desses alimentos. Elas também contavam com um ano de vida a mais que aquelas com alimentação baseada no consumo muito elevado dos carbos.

E então, você já entrou nessa moda da deita low carb? Os carboidratos representam quantos por cem de sua alimentação, na sua opinião? Não deixe de comentar.

Agora, falando no perigo da dieta low carb e do alto consumo de proteínas, você precisa conferir ainda esse outro post: Fisiculturista morre após corpo não suportar excesso de proteína na dieta.

Fontes: G1, BBC